FAMÍLIAS E ESCOLA EM TEMPOS DE PANDEMIA: FACES DAS DESIGUALDADES EDUCACIONAIS EM POSTAGENS DO FACEBOOK

Resumo

A pandemia do coronavírus nos últimos meses desvelou a face mais perversa da desigualdade socioeconômica vivida mundialmente por milhares de pessoas. No campo da educação, os desafios impostos ao acesso e permanência escolar foi ainda mais impactante para famílias pobres que vivem em territórios de vulnerabilidade, sem acesso às tecnologias para aulas virtuais. Nesse sentido, esse trabalho teve o objetivo de analisar o discurso social a respeito dos impactos da pandemia no campo da educação a partir de imagem de um post “viralizado” e os comentários gerados na rede social facebook sobre o assunto. Os dados analisados reforçam ideias generalizadas e preconceituosas sobre as famílias pobres em sua tarefa de educar, ora culpabilizando crianças, ora pais e professores, naturalizando a complexidade do sistema público de educação e, reforçando pensamentos pautados numa ideologia neoliberal meritocrática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edna Martins, Universidade Federal de São Paulo
Doutorado em Psicologia da educação pela PUCSP. Docente do Departamento de Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de São Paulo

Referências

ALMEIDA PRADO, Eduardo Fraga et al. Reflexões sobre a relação família e escola em territórios de vulnerabilidade social. Olhares: Revista do Departamento de Educação da Unifesp, v. 8, n. 1, p. 18-32, 2020.

ASBAHR, Flávia da Silva Ferreira; LOPES, Juliana Silva. A culpa é sua. Psicologia USP, v. 17, n. 1, p. 53-73, 2006.

BEZERRA JAB. Alimentação e escola: significados e implicações curriculares da merenda escolar. Rev Bras Educ 2009; 14:103-15.

BIROLI, Flávia. Família: novos conceitos. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2014.

BRITO, Fausto. (2008). Transição demográfica e desigualdades sociais no Brasil. Revista Brasileira de Estudos da População, 25(1), 5-26.

COUTO, Edvaldo Souza; COUTO, Edilece Souza; CRUZ, Ingrid de Magalhães Porto. # FIQUEEMCASA: EDUCAÇÃO NA PANDEMIA DA COVID-19. Interfaces Científicas-Educação, v. 8, n. 3, p. 200-217, 2020.

DORNELLES, João Ricardo. Necrocapitalismo e neofascismo em tempos de peste In AUGUSTO, Cristiane Brandão; SANTOS, Rogerio Dultra dos. Pandemias e pandemônio no Brasil, Editora, Tirant Lo Blanch, 2020

FRAGOSO, Suely; RECUERO, Raquel; AMARAL, Adriana (2011). Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulina. 239 p.

FRANÇA FILHO, Astrogildo Luiz de; ANTUNES, Charlles da França; COUTO, Marcos Antonio Campos. Alguns apontamentos para uma crítica da EAD na educação brasileira em tempos de pandemia. Revista Tamoios, v. 16, n. 1, 2020.

HALAVAIS, Alexander. Prefácio. In: FRAGOSO, Suely; RECUERO, Raquel; LAZARETTI, Lauana Rossetto; TEIXEIRA, Felipe Orsolin; OLIVEIRA, Sibele Vasconcelos de. Desigualdades socioeconômicas e demográficas nos municípios do Rio Grande do Sul/Brasil: um índice de vulnerabilidade à pobreza. urbe, Rev. Bras. Gest. Urbana, Curitiba, v. 11, e20180154, 2019.

NASCIMENTO, Maria Lívia do; CUNHA, Fabiana Lopes da; VICENTE, Laila Maria Domith. A desqualificação da família pobre como prática de criminalização da pobreza. Revista Psicologia Política, v. 7, n. 14, p. 0-0, 2007.

MATA, Natália Teixeira; SILVEIRA, Liane Maria Braga da; DESLANDES, Suely Ferreira. Família e negligência: uma análise do conceito de negligência na infância. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, p. 2881-2888, 2017.

MELO, Bernardo Dolabella et al. Saúde mental e atenção psicossocial na pandemia COVID-19: violência doméstica e familiar na COVID-19. 2020.

MOREIRA, Eliane Silva; DE OLIVEIRA LIMA, Erika; DE OLIVEIRA BRITO, Renato. Estudo comparado das políticas públicas educacionais de inclusão digital: Brasil e Uruguai. Revista da Faculdade de Educação, v. 32, n. 2, p. 17-41, 2020.

MOLL, Jaqueline. Reflexões acerca da educação para a superação da extrema pobreza: desafios da escola de tempo completo e de formação integral. In: CAPELLO, T.; FALCÃO, T.; COSTA, Patrícia Vieira da (Org.). O Brasil sem Miséria. Brasília 2014. p. 563-581.

OLIVEIRA, Flaviane da Costa et al. Novas páginas de pesquisa em Psicologia Social: o fazer pesquisa na/da internet. Psicologia e Saber Social, v. 6, n. 2, p. 186-204, 2017.

OLIVEIRA, Irabel Lago de. Etnografia digital: o uso das TIC na pesquisa social, novos métodos de observar. Tabuleiro de Letras, v. 12, n. 1, p. 190-203, 2018.

ROCHA, Telma Brito. Pesquisa em redes sociais na internet: os discursos no ciberespaço. Educação em foco, p. 225-244, 2018.

SILVA, Edleuza Oliveira; AMPARO-SANTOS, Lígia; SOARES, Micheli Dantas. Alimentação escolar e constituição de identidades dos escolares: da merenda para pobres ao direito à alimentação. Cadernos de Saúde Pública, v. 34, p. e00142617, 2018.

SILVA, Cristiane Moreira et al. Etnografia das práticas psis no Facebook. Psicología, Conocimiento y Sociedad, v. 9, n. 2, p. 197-220, 2019.

SILVEIRA, Sergio Amadeu da. Interações públicas, censura privada: o caso do Facebook. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 22, p. 1637-1651, 2015.

Publicado
2020-12-17
Como Citar
Martins, E. (2020). FAMÍLIAS E ESCOLA EM TEMPOS DE PANDEMIA: FACES DAS DESIGUALDADES EDUCACIONAIS EM POSTAGENS DO FACEBOOK. Interfaces Científicas - Educação, 8(3), 627-643. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n3p627-643
Seção
Artigos