A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA NO BRASIL: ANOTAÇÕES A PARTIR DOS GOVERNOS DE COLLOR, FERNANDO CARDOSO E LULA

DOI:

https://doi.org/10.17564/2316-3828.2021v10n3p275-291

Autores

  • José Júlio César do Nascimento Araújo Instituto Federal do Acre - Campus Cruzeiro do Sul
  • Marcondes de Lima Nicácio Instituto Federal do Acre; Programa de Pós-graduação e Educação - Universidade Federal do Amazonas
  • Selma Suely Baçal de Oliveira Universidade Federal do Amazonas

Palavras-chave:

Políticas Educacionais, Neoliberalismo, Educação profissional e tecnológica.

Publicado

2021-09-01

Downloads

Downloads

Não há dados estatísticos.

Edição

Seção

Artigos

Resumo

O artigo discute neoliberalismo e educação profissional nas condições histórico-econômicas da criação dos Institutos Federais (IFs). A análise metodológica centra-se em estudo bibliográfico e documental ancorado no método dialético. Na discussão apresenta-se a educação profissional e tecnológica e as reformas e transformações neoliberais no Brasil marcadas pela interferência de organismos internacionais (1990-2014) que institui-se para o atendimento dos interesses do mercado produtivo em sua mercadologização e expansão articulada às políticas sociais e à oferta ampliada e precarizada. No desfecho, indica que a organização sócio-histórica da educação profissional não se renova, permanecendo espaço de reprodução dos interesses fragmentados e imediatos do capital.

Biografia do Autor

José Júlio César do Nascimento Araújo, Instituto Federal do Acre - Campus Cruzeiro do Sul

Docente do Instituto Federal do Acre - Campus Cruzeiro do Sul, Doutor em Educação (UFAM).

Marcondes de Lima Nicácio, Instituto Federal do Acre; Programa de Pós-graduação e Educação - Universidade Federal do Amazonas

Docente do Instituto Federal do Acre - Campus Cruzeiro do Sul; Doutorando em Educação do PPGE/UFAM, Bolsista CAPES.

Selma Suely Baçal de Oliveira, Universidade Federal do Amazonas

Professora do PPGE/UFAM. Doutora em Educação (USP).

Como Citar

Araújo, J. J. C. do N., Nicácio, M. de L., & de Oliveira, S. S. B. (2021). A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA NO BRASIL: ANOTAÇÕES A PARTIR DOS GOVERNOS DE COLLOR, FERNANDO CARDOSO E LULA. EDUCAÇÃO, 10(3), 275–291. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2021v10n3p275-291

Referências

ANTUNES, Ricardo. As formas contemporâneas do estranhamento (Alienação). CADERNO CRH, Salvador, n. 37, p. 23-45, jul./dez. 2002. Disponível em: <http://www.cadernocrh.ufba.br/viewarticle.php?id=128>. Acesso em: 20 jan. 2014.

AZEVEDO, Luiz Alberto; SHIROMA, Eneida Oto; COAN, Marival. As políticas públicas para educação profissional e tecnológica: sucessivas reformas para atender a quem? Boletim Téc. Senac. Rio de Janeiro, v. 38, n. 2, maio/ago. 2012. Disponível em: <http://www.senac.br/media/20984/artigo3.pdf>. Acesso em: 10 maio 2014.

BRASIL. Decreto n. 2.208 de 17 de abril de 1997. Regulamenta o § 2 º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. (Revogado pelo Decreto nº 5.154, de 2004). Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D2208.htm>. Acesso em: 10 maio 2015.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Seção 1, p. 27833, 23 dez de 1996.

BRASIL. Lei nº. 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Seção 1, p. 1, 30 dez. 2008.

BRASIL. Lei nº. 9.649/1998, de 27 de maio de 1998. Dispõe sobre a organização da presidência da república e dos ministérios, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Seção 1, p. 5, 28 maio 1998.

BRASIL. MEC/SETEC. Chamada Pública MEC/SETEC n.º 001/2007. Chamada pública de propostas para apoio ao Plano de Expansão da Rede Federal de Educação Tecnológica – Fase II. MEC, 2007. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/chamada_publica_assinatura2304.pdf>. Disponível em: 15 ago. 2015.

BRASIL. MEC/SETEC. Plano de expansão da Rede Federal de Educação Tecnológica Fase III. MEC, 2009. Disponível em: <http://www.jc.iffarroupilha.edu.br/site/metodologia_expansao_fase_iii.pdf>. Acesso em: 15 ago. 2015.

COLLOR, Fernando. Brasil: um projeto de reconstrução nacional. Brasília: Senado Federal, 2008.

DEITOS, Roberto Antonio. O capital financeiro e a educação no Brasil. 2005. 369 p. Tese, Doutorado em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005. Disponível em: < http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/253566>. Acesso em: 10 jun. 2015.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e Crise do Capitalismo real. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Juventude, trabalho e educação no Brasil. In: NOVAES, Regina; VANNUCHI, Paulo. (Orgs.). Juventude e sociedade: trabalho, educação, cultura e participação. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA Maria; RAMOS, Marise. A política de Educação Profissional no governo Lula: um percurso histórico controvertido. Educ. Soc., Campinas, v. 26, n. 92, p. 1087-1113, Especial, out. 2005.

GRABOWSKI, Gabriel. Financiamento da Educação profissional no Brasil: Contradições e desafios. 2010. 216 f. Tese, Doutorado em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2010.

GUERRA, Isabel Carvalho. Pesquisa qualitativa e Análise de Conteúdo: Sentidos e formas de uso. Portugal: Principia, 2014.

LIMA FILHO, Domingos Leite. Universidade tecnológica e redefinição das institucionalidades. In: MOLL, Jaqueline (Org.). Educação profissional e tecnológica no Brasil contemporâneo: desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed, 2010.

LIMA, Telma Cristiane S; MIOTO, Regina Celia T. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Rev. Katál. Florianópolis v. 10 n. esp. p. 37-45, 2007.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Livro 1. Tradução de Rubens Enderle. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2017.

MARX, Karl; ENGELS, F. Manifesto do Partido Comunista. 2. ed. Lisboa: Edições Avante, 1997.

NOGUEIRA, Silvia C. C. II Fase da política de expansão da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica no Amazonas: acesso ampliado e precarizado à educação pública. 2016. 210 f. Tese, Doutorado em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2016.

SILVA, T. T. A ‘nova’ direita e as transformações na pedagogia da política e na política da pedagogia. In: GENTILI, Pablo A. A.; SILVA, Tomaz Tadeu da. Neoliberalismo, qualidade total e Educação: visões críticas. 14. ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

YANAGUITA, A. I. As políticas educacionais no Brasil nos anos 1990. In: XXV Simpósio Brasileiro, 2011, São Paulo. Cadernos ANPAE. v. 10. São Paulo: ANPAE, 2011. p. 1-13. Disponível em: <http://www.anpae.org.br/simposio2011/cdrom2011/PDFs/relatos/0004.pdf>. Acesso em: 05 jan. 2016.