ARTE E EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS: sensibilização e sensibilidades por justiça social.

Palavras-chave: Educação, Arte, Direitos Humanos, Justiça social.

Resumo

O presente artigo visibiliza as correlações entre Arte e Direito, para pensar uma educação em direitos humanos com sensibilidade. Partindo do cenário atual de policrises (Morin), traz a arte como possibilidade de resgatar percepções de vida digna para contagiar o Direito, colaborando com uma educação em direitos humanos pela práxis. Assumindo a forma metodológica de um ensaio, as reflexões aqui organizadas dão sentido hermenêutico ao direito pela força retórica da palavra cantada e da imagem, comprometendo-o com uma perspectiva de justiça social que não é abstrata ou formal, mas que empodera e vem da arte, como experiência de percepção e elaboração do mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Jeane Hefemsteller Coelho, Universidade Tiradentes
Doutora em Educação (UFBA, 2011), com formação em filosofia, é professora do Programa de Pós-graduação em Direitos Humanos da Universidade Tiradentes. E-mail: ccfilos2@yahoo.com.br.
Hannah Silva Linhares, Universidade Tiradentes
Bacharel em Direito, Mestranda do Programa de Pós-graduação em Direitos Humanos da Universidade Tiradentes. E-mail: hannah-linhares@outlook.com
Gabriela Maia Reboucas, Universidade Tiradentes
Doutora em Direito (UFPE,2010), com estágio pós-doutoral (CAPES 2015/2016) no Centro de Estudos Sociais (UC/PT). É professora do Programa de Pós-graduação em Direitos Humanos da Universidade Tiradentes e do Programa de Pós-graduação em Sociedade, Tecnologias e Políticas públicas UNIT/AL). E-mail: gabriela_maia@unit.br

Referências

ADORNO, T. W. O ensaio como forma. Sociologia. São Paulo: Ática, 2003.

BRASIL. Decreto n. 592, de 06 de jul. de 1992. Atos Internacionais. Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos. Promulgação. Declaração das Nações Unidas. Brasília, DF, jul 1992.

COELHO, Carla J. H; PELIZZOLI, Marcelo. Inclusão social, inteligência coletiva e diálogo: aportes para os direitos humanos, in: COELHO, Carla J. H. (Org.); OLIVEIRA, Liziane P. S. (Org.); RUBIO, David S. (Org.)., Teorias Críticas e Direitos Humanos: contra o sofrimento e a injustiça social, Curitiba: CRV, 2016.

COLAÇO Thais Luzia; MATTOS Fernando da Silva. Cinema e literatura como instrumentos de contenção da crise operacional do ensino jurídico. Revista de Direito, Arte e Literatura. Curitiba, v. 2, n. 2, p. 54-69, Jul/Dez. 2016.

DAVIS, Angela. A liberdade é uma luta constante. São Paulo: Boitempo, 2018.

FERRAZ, Fernando B. A literatura e a música como expressão de sentimentos, com repercussão no mundo do direito. Revista de Direito, Arte e Literatura. Minas Gerais, v. 1 , n. 2, p. 246-263, Jul/Dez 2015.

FERREIRA, Bia. Cota não é esmola. Disponível em: https://www.letras.mus.br/bia-ferreira/cota-nao-esmola/. Acesso em: 27 de outubro de 2018.

FLORES, Joaquín H. Cultura y Derechos Humanos: la construccíon de los espacios culturales. In: MARTÍNEZ, Alejandro R. ... [et al.] (Org.). Teoria Crítica dos Direitos Humanos no século XXI. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2008. p. 227-268.

MATURANA, Humberto. Emociones y lenguaje em Educación y Política. Santiago de Chile: DOLMEN, 1997.

Moonlight: Sob a luz do luar. Dirigido por: Berry Jekcins. EUA: A24, Plan B Entertainment, 2016. 1 DVD.

MORIN, Edgar. Terra-Pátria. Porto Alegre: Sulina, 2011.

OST, François. Contar a lei: as fontes do imaginário jurídico. São Leopoldo: Unisinos, 2007.

PIOVESAN, Flávia. Ações Afirmativas da perspectiva dos direitos humanos. Cadernos de Pesquisa, v. 35, n. 124, p. 43-55, jan./abr. 2005

PIOVESAN, Flávia. Ações Afirmativas no Brasil: Desafios de perspectivas. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 16, nº 3, p. 887-896, setembro/dezembro/2008.

RECURSO EXTRAORDINÁRIO 597285. Constitucional. Política de Ações Afirmativas. Ingresso no ensino superior. Uso de critério étnico-racial. (STF, 2012). Disponível em: < http://portal.stf.jus.br/processos/detalhe.asp?incidente=2662983> Último acesso em: 04/11/2018.

RIBAS, Giovanna Paola P. Multiculturalismo e Direitos Humanos sob a ótica da teoria da tradução de Boaventura de Sousa Santos. In: PIOVESAN, Flávia (Org.); FACHIN, Melina G. (Org.). Direitos Humanos na Ordem Contemporânea: Proteção nacional, regional e global. Curitiba: Juruá, 2012, p. 411-428.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política, 3. Ed., São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, Boaventura de Sousa (org) Reconhecer para Libertar: os Caminhos do Cosmopolitanismo Multicultural, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2003.

Publicado
2020-05-27
Como Citar
Coelho, C. J. H., Linhares, H. S., & Reboucas, G. M. (2020). ARTE E EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS: sensibilização e sensibilidades por justiça social. Interfaces Científicas - Educação, 8(3), 231-243. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n3p231-243
Seção
Artigos