PROPOSTAS DE ENSINO DISSONANTES PARA MENINAS E JOVENS BRASILEIRAS, NAS PRIMEIRAS DÉCADAS DO SÉCULO XX

DOI:

https://doi.org/10.17564/2316-3828.2022v11n2p120-133

Autores

  • Anamaria Gonçalves Bueno de Freitas UFS
  • Walna Patrícia de Oliveira Andrade UFS
  • Joelza Oliveira Santos UFS

Publicado

2022-02-10

Downloads

Downloads

Não há dados estatísticos.

Resumo

O objetivo deste estudo é investigar as propostas dissonantes de ensino e formação de meninas e jovens brasileiras, nas primeiras décadas do século XX, tendo como pressupostos teóricos metodológicos a História da Educação, a História das Mulheres e a análise de fontes documentais (revistas e jornais), e bibliográficas. Neste período, há um esforço do Estado brasileiro na estruturação, criação e implantação dos Grupos Escolares, nas capitais e principais cidades do interior, em cada uma das diferentes regiões e estados. Entretanto, apesar do aumento da oferta de vagas em instituições escolares públicas, voltadas para o ensino primário, associadas aos ditames da Pedagogia Moderna e do higienismo, as disciplinas ensinadas às meninas e jovens tinham como objetivo, prepara-las para funções vinculadas ao espaço doméstico, formando assim esposas dedicadas e mães zelosas. Neste mesmo contexto, percebemos a produção, circulação e apropriação de discursos e recomendações de formação, construídas no interior de associações feministas, com destaque, para ideias defendidas pelas intelectuais que integravam a Federação Brasileira do Progresso Feminino e a União Universitária Feminina que indicavam outras propostas curriculares e instituíam novos campos de atuação para meninas e jovens, oriundas de diversos grupos sociais, que se configuraram dissonantes do que era previsto e prescrito nas instituições públicas. A ampliação do acesso ao ensino superior associado à diversificação do mercado de trabalho, bem como, a possibilidade de realizar concursos públicos, aberta às mulheres após 1930, entre outros fatores, permitiram novas atribuições e atividades profissionais a serem conquistadas pelas jovens brasileiras.

 

Biografia do Autor

Walna Patrícia de Oliveira Andrade, UFS

Doutoranda em Educação pelo PPGED/UFS. Mestra em Educação pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) Atua como docente no Atendimento Educacional Especializado (AEE) na rede pública do estado de Sergipe. Integra o Grupo de Pesquisa em História da Educação: Memórias, Sujeitos e Práticas Educativas (Gephed/CNPq/UFS).

Joelza Oliveira Santos , UFS

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), Especialista em Psicopedagogia  e Licenciada em Pedagogia. Atualmente atua como Técnica  Judiciária do Tribunal de Justiça de Sergipe. Experiência docente na educação básica nas redes estaduais e municipais do estado de Sergipe. Membro de Grupo Pesquisa em História da Educação: sujeitos, saberes e práticas educativas (GEPHED/CNPq/UFS).    

 

Como Citar

Gonçalves Bueno de Freitas, A., de Oliveira Andrade, W. P., & Oliveira Santos , J. . (2022). PROPOSTAS DE ENSINO DISSONANTES PARA MENINAS E JOVENS BRASILEIRAS, NAS PRIMEIRAS DÉCADAS DO SÉCULO XX. EDUCAÇÃO, 11(2), 120–133. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2022v11n2p120-133