ENTRE NUDES, ACONTECIMENTOS E PERFORMATIZAÇÕES: NORMATIZAÇÕES/DESLOCAMENTOS DE GÊNERO E SEXUALIDADE NO COTIDIANO ESCOLAR

Paulo Melgaço da Silva Júnior, Leandro Teofilo de Brito

Resumo


O compartilhamento de nudes por dispositivos móveis entre estudantes de uma escola da rede municipal de Duque de Caxias desestabilizou o cotidiano da instituição de ensino. Tal fato, ocorrido em 2016, impulsionou a escola à realização de um projeto que discutisse questões de gênero e sexualidade em suas práticas pedagógicas cotidianas. Deste modo, realizamos pesquisa participante no espaço da escola, fazendo uso de observações, entrevistas com sujeitos da comunidade escolar e análises de documentos, para investigar a condução do projeto no que diz respeito a problematização destas questões. Mobilizamos como teorizações a noção foucaultiana de acontecimento e os estudos de gênero localizados nas perspectivas pós-estruturalistas pelos trabalhos de Judith Butler, Guacira Louro, Richard Miskolci, Paul B. Preciado, entre outros/as. O acontecimento do nudes provocou importantes deslocamentos no cotidiano escolar da instituição, repensando e problematizando verdades em relação a questões de gênero e sexualidade ao colocar em xeque as relações de poder que produzem efeitos de realidade sobre os corpos.

Palavras-chave


Dispositivos móveis. Gênero. Sexualidade. Escola. Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE JUNIOR, Durval. No Castelo da História Só Há Processos e Metamorfoses, Sem Veredicto Final. In: Edson Passeti (Org.). Kafka/Foucault sem medos. Cotia: Ateliê Editorial, 2004, p. 13-32.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: orientação sexual. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero. Feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

CASTRO, Suzana de. O papel das escolas no combate às masculinidades tóxicas. Aprender, Vitória da Conquista, n. 20, p. 75-82, jul./dez. 2018.

FOUCAULT, Michael. Resumo dos Cursos do Collège de France (1970-1982). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

KUMARAVADIVELU, B. A Linguística Aplicada na era da globalização. In: MOITA LOPES, Luiz Paulo (Org.). Por uma Linguística Aplicada Indisciplinar. 2. ed. São Paulo: Parábola, 2006.

LEMOS, André. Cultura da mobilidade. Revista Famecos, Porto Alegre, n. 40, p. 28-35, dez. 2009.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

MISKOLCI, Richard. Sexualidade e orientação sexual. In: MISKOLCI, Richard (Org.). Marcas da diferença no ensino escolar. São Carlos: EdUFSCar, 2010, p. 75 – 112.

MISKOLCI, Richard. Teoria queer: um aprendizado pelas diferenças. Autêntica, 2013.

MOITA LOPES, Luiz Paulo. Gêneros e sexualidades nas práticas discursivas contemporâneas: desafios em tempos queer. In: SILVA, Antônio de Pádua Dias (Org.). Identidades de gênero e práticas discursivas. Campina Grande: EDUEP, 2008, p. 13-9.

PRECIADO, Paul B. Manifesto contrassexual: práticas subversivas de identidade sexual. São Paulo: N¬1 edições, 2014.

ROOKE, Alison. Queer in the field: On emotions, temporality and performativity in Ethnography. In: BROWNE, Kathe; NASH, Catherine (Org.). Queer methods and methodologies. London: Asghate, 2010. p. 25-40.

SOUSA FILHO, Alípio de. “Ideologia de gênero”: quem pratica? Revista Bagoas, Natal, v. 9, n. 12, p. 9-14. 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n2p175-188


Indexada em: