Os fundamentos de uma Pedagogia Social Crítica

Sanna Ryynänen

Resumo


A construção e o desenvolvimento da pedagogia social tem sido atribuído a três perspectivas meta-teóricas: positivista ou técnica, hermenêutica ou interpretativa e critica ou emancipadora, cada uma com a sua própria história de reflexão teórica e, como tal, as suas próprias características enquanto uma prática educacional e social. No artigo, procuramos esclarecer os fundamentos de pedagogia social crítica analisando as suas variadas raízes, com o objetivo de entender melhor o seu significado no Século XXI. Na discussão, abordamos o reformismo social do final do Século XIX; a teoria crítica da Escola de Frankfurt; a virada crítica da pedagogia social na Alemanha depois da Segunda Guerra Mundial; e a pedagogia da libertação dos anos 1960 na América Latina. Entendemos esses assuntos como componentes que têm contribuído na construção da abordagem que denominamos de pedagogia social critica, e concluímos que a sua essência é esta: a pedagogia social crítica carrega fundamentos políticos e ideológicos que lhe orienta para a transformação social rumo a uma sociedade mais justa e mais igualitária, com os processos educacionais dialógicos e anti-hierárquicos que se baseiam nos ideais do encontro entre os sujeitos iguais e da reflexão crítica.

Palavras-chave


Pedagogia social, pedagogia social crítica, educação.

Texto completo:

PDF

Referências


ADDAMS, J. Twenty Years at Hull-House with Autobiographical Notes. New York: The MacMillan Company, 1912. Disponível em: Acesso em: 3 maio 2014.

BRANDÃO, C. R. A pesquisa participante e a participação da pesquisa. Um olhar entre tempos e espaços a partir da América Latina. In: BRANDÃO, C. M. STRECK, D. R. (orgs.) Pesquisa participante: a partilha do saber. Aparecida, SP: Idéias & Letras, 2006, p. 21–54.

CALIMAN, G. Pedagogia Social: seu potencial crítico e transformador. Revista de Ciências da Educação - UNISAL - Americana/SP - Ano XII - Nº 23 - 2º Semestre, 2010, p. 341–368.

CARIDE GÓMEZ, J. A. Paradigmas teóricos na Animação Sociocultural. In: TRILLA, Jaume (org.) Animação sociocultural. Teorias, programas e âmbitos. Lisboa: Instituto Piaget, 1997, p. 45–63.

DEEGAN, M. J. Jane Addams and the men of the Chicago School, 1892–1918. New Brunswick, NJ: Transaction Books, 1988.

DÍAS, A. S. Uma Aproximação à Pedagogia-Educação Social. Revista Lusófona de Educação, 2006, 7, p. 91–104. Disponível em: Acesso em: 3 maio 2014.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

FUREDI, F. Therapy Culture. Cultivating Vulnerability in an Uncertain Age. London: Routledge, 2004.

GEOGHEGAN, L. Residential settlements and social change. Infed.org, 2000. Disponível em: Acesso em: 3 maio 2014.

HÄMÄLÄINEN, J. The Concept of Social Pedagogy in the Field of Social Work. Journal of Social Work 3 (1), 2003, p. 69–80.

HÄMÄLÄINEN, J. Social Pedagogical Eyes in the Midst of Diverse Understandings, Conceptualisations and Activities. International Journal of Social Pedagogy, 1(1), 3-16, 2012. Disponível em: Acesso em: 3 maio 2014.

HÄMÄLÄINEN, J. KURKI, L. Sosiaalipedagogiikka. Porvoo: WSOY, 1997.

KURKI, L. Sosiokulttuurinen innostaminen. Muutoksen pedagogiikka. Tampere: Vastapaino, 2006.

LEME, M. C. G. Pedagogia Social Crítica e Teologias da Libertação: caminhos que se encontram na práxis latino-americana. Revista Dialogos: pesquisa em extensão universitária. IV Congresso Internacional de Pedagogia Social: domínio epistemológico. Brasília, v.18, n.1, dez, 2012, p. 125–136. Disponível em: Acesso em: 4 maio 2014.

MARX, K. Teses sobre Feuerbach. 1845. Disponível em: Acesso em: 4 maio 2014.

PÉREZ SERRANO, G. Pedagogía social – educación social. Construcción científica e intervención práctica. Madrid: Narcea, S.A. de Ediciones, 2003.

PUCCI, B. (org.) Teoria crítica e educação: a questão da formação cultural na Escola de Frankfurt. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

QUINTANA CABANAS, J. M. Antecedentes históricos de la educación social. In: PETRUS, A. (org.) Pedagogía Social. Barcelona: Ariel, 1997, p. 67–91.

QUINTANA CABANAS, J. M. (org.) Textos clásicos de pedagogía social. Valencia: Nau Llibres, 1999.

RYYNÄNEN, S. Nuoria reunoilla. Sosiaalipedagoginen tutkimus rikollisuuden ja väkivallan keskellä elävien nuorten kasvun tukemisesta brasilialaisissa kansalaisjärjestöissä. [Jovens no limite. Pesquisa sócio-pedagógica sobre o apoio pedagógico por ONGs brasileiras para os jovens e adolescentes que vivem no contexto de criminalidade e violência]. Dissertação de doutorado (em finlandês). Tampere: Tampere University Press, 2011.

RYYNÄNEN, S. É possível perder-se no universo socioeducativo? Notas sobre o campo da Educação Social e sobre seus diálogos internos. Revista Dialogos: pesquisa em extensão universitária. IV Congresso Internacional de Pedagogia Social: domínio epistemológico. Brasília, v.18, n.1, dez, 2012, p. 185–192. Disponível em:

SÁEZ CARRERAS, J. La construcción de la pedagogía social: algunas vías de aproximación. In: PETRUS, Antonio (org.) Pedagogía Social. Barcelona: Ariel, 1997, p. 40–66.

SCOCUGLIA, A. C. A história das idéias de Paulo Freire e a atual crise de paradigmas. João Pessoa: Ed. Universitária UFPB, 2006.

SUORANTA, J. RYYNÄNEN, S. Taisteleva tutkimus. Helsinki: Into Kustannus, 2014.

TORRES, C. A. Education and the archeology of consciousness: Freire and Hegel. Educational Theory (44) 4, 1994, p. 429–445.




DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2316-3828.2014v3n1p45-56


Indexada em: