POLÍTICAS DE AVALIAÇÃO E OS IMPACTOS NA VIDA DO PROFESSOR: UM ESTUDO NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA/RS

Micheli Bordoli Amestoy, Luiz Caldeira Brant de Tolentino-Neto

Resumo


O presente estudo visa tecer apontamentos sobre a política de accountability e os impactos no ambiente escolar docente. Nesse sentido, pensar e repensar o processo de formulação de políticas públicas significa, hoje, um grande desafio frente a atual conjuntura educacional do país. Para a elaboração da pesquisa utilizou-se uma abordagem qualitativa alicerçada nas bases da pesquisa documental. Além disso, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com quinze professores em quatro escolas do município de Santa Maria/RS. Os resultados obtidos nas avaliações externas reverberam na prática docente e nas escolas, as quais pressionadas por uma prestação de contas e a obtenção por bons resultados, buscam alternativas e estratégias para reverter números não desejáveis dentro das exigências da lógica da performatividade competitiva.

Palavras-chave


Políticas públicas educacionais. Accountability em educação. Avaliações externas. Educação Básica.

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, A. J. Políticas avaliativas e accountability em educação: subsídios para um debate ibero-americano. Sísifo, Lisboa, n.9, p. 57-69, 2009a.

____________. Nem tudo o que conta em educação é mensurável ou comparável. Crítica à accountability baseada em testes estandardizados e rankings escolares. Revista Lusófona de Educação, n. 13, p. 13-29, 2009b.

____________. Um olhar sociológico em torno da accountability em educação. In: ESTEBAN, Maria Teresa; AFONSO, Almerindo Janela (Orgs.). Olhares e interfaces: reflexões críticas sobre a avaliação. São Paulo: Cortez, p. 147-170, 2010.

____________. Para uma Concetualização alternativa de Accountability em Educação. Educação e Sociedade, Campinas, v. 33, n. 119, p. 471-484, 2012.

AMESTOY, M.B. A política de accountability na educação básica e os efeitos da avaliação externa no ensino e na gestão escolar: um estudo no município de Santa Maria/RS. 265 p. Tese (Doutorado em Educação em Ciências), Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2019.

AMESTOY, M. B.; TOLENTINO-NETO, L.C.B. Uniformização Curricular, Testes Estandardizados e Responsabilização de Professores e Gestores: Os efeitos das avaliações externas. In: IX Simpósio Nacional de Educação e III Colóquio Internacional de Políticas Educacionais e Formação de Professores: Políticas e Processos de Formação Docente no Território Ibero-Americano: construindo um futuro comum. Frederico Westphalen, p. 269-282, 2016.

BALL, S.J. Profissionalismo, Gerencialismo e Performatividade. Cadernos de Pesquisa, v.35, n. 126, p. 539-564, Set/Dez. 2005.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Ed. 70. 2011.

BONAMINO, A.; SOUSA, S. Z. Três gerações de avaliação da educação básica no Brasil: interfaces com o currículo da/na escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 2, p. 373-388, abr./jun. 2012.

FREITAS, L. C. Eliminação adiada: o caso das classes populares no interior da escola e a ocultação da (má) qualidade do ensino. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, p. 965-987, 2007.

HYPOLITO, A.M. Políticas curriculares, Estado e regulação. Educação & Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1337-1354, out/dez. 2010.

MULGAN, R. Accountability: An ever-expanding concept? Public Administration, v.78, n. 3, p.555-573, 2000.

SANTA MARIA. Lei municipal n. 5341, de 10 de agosto de 2010. Cria o Prêmio Qualidade da Educação e da outras providencias.

SANTA MARIA. Lei municipal n. 5610, de 05 de janeiro de 2012. Acresce incisos IV e V ao Art. 2 da Lei municipal n. 5341/10, que cria o Premio Qualidade na Educação e dá outras providencias.

SANTOS, B. V. J. Qualidade da Educação: Consensos e Dissensos Entre O Discurso Oficial e dos Seus Críticos. Interfaces Científicas - Educação, v. 2, p. 71-81, 2013.

SCHEDLER, A. Que es la rendición de cuentas? Cuadernos de Transparencia. IFAI: México, 2004.

SHIROMA, E. O.; EVANGELISTA, O. Avaliação e responsabilização pelos resultados: atualizações nas formas de gestão de professores. In: Revista Perspectiva. Florianópolis, v. 29, n. 1, jan./jun. 2011, p. 127-160.

SUDBRACK, E. M; COCCO, E. M. Avaliação em Larga Escala no Brasil: potencial indutor de qualidade? Roteiro, Joaçaba, v. 39, n. 2, p. 347-370, jul./dez. 2014.




DOI: https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n3p512-525


Indexada em: