NEOLIBERALISMO, TERCEIRA VIA E O GERENCIALISMO NA GESTÃO EDUCACIONAL: (DES)CAMINHOS DO INVESTIMENTO EM EDUCAÇÃO PÚBLICA NO BRASIL

DOI:

https://doi.org/10.17564/2316-3828.2021v10n3p306-317

Autores

  • Tatiana Oliveira Couto Silva Instituto Federal do Paraná (IFPR)
  • Eduardo Fofonca Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Palavras-chave:

Gerencialismo. Terceira Via. Políticas educacionais. Financiamento da educação.

Publicado

2021-09-01

Downloads

Downloads

Não há dados estatísticos.

Edição

Seção

Artigos

Resumo

O estudo em questão discute a necessidade da educação escolar trabalhar em busca, além da formação profissional exigida pelo mundo do trabalho, de uma formação humana completa, omnilateral, que deve ser almejada para o estabelecimento de uma sociedade sem divisão de classes. Na sequência, o estudo apresenta as mudanças ocorridas na gestão pública desde a década de 90, a partir da adoção do modelo do Gerencialismo, como proposta de gestão escolar, baseado em um modelo empresarial de administração que pretende superar o modelo burocrático. Assim, analisa-se a situação política e econômica do Brasil no governo Temer, discutindo a influência do neoliberalismo de terceira via nas políticas públicas, em específico na política educacional. Desse modo, ressalta-se a ênfase na promoção de parcerias público-privadas na criação de instâncias de participação popular na gestão escolar. Propõe, por fim, uma reflexão sobre a importância da população brasileira apropriar-se dos espaços de participação democrática, lutando por maiores investimentos na educação pública, enquanto que os educadores precisam resistir as reformas governamentais que desvalorizam o magistério e tiram o foco de uma educação para a transformação social.

Biografia do Autor

Tatiana Oliveira Couto Silva, Instituto Federal do Paraná (IFPR)

Mestra em Educação: Avaliação e Políticas da Educação Básica pela Universidade Federal de Juiz de Fora, (UFJF). Especialista em Gestão Escolar pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro). Especialista em Gestão Pública Municipal pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Atualmente é Diretora de Pesquisa na Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa, Pós-graduação e Inovação do Instituto Federal do Paraná (FPR).

Eduardo Fofonca, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, SP. Possui pós-doutorado em Educação pela Universidade do Estado de Santa Catarina e pela Universidade Paulista "Júlio de Mesquita Filho", Campus Assis. É professor pesquisador permanente do Programa em Educação: Teoria e Prática de Ensino da Universidade Federal do Paraná.

Como Citar

Silva, T. O. C., & Fofonca, E. (2021). NEOLIBERALISMO, TERCEIRA VIA E O GERENCIALISMO NA GESTÃO EDUCACIONAL: (DES)CAMINHOS DO INVESTIMENTO EM EDUCAÇÃO PÚBLICA NO BRASIL. EDUCAÇÃO, 10(3), 306–317. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2021v10n3p306-317

Referências

ARAUJO, Suêldes. CASTRO, Alda Maria D. Araújo. Gestão educativa gerencial: superação do modelo burocrático. Ensaio: aval. Pol. Públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 19, n. 70, p. 81-106, jan.-mar. 2011.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 95, de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/Emendas/Emc/emc95.htm#art1> Acesso em: dez. 2018.

BRASIL. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em:

<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm>. Acesso em: ago. 2018.

BRASIL. Lei nº13005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Disponível em:

<http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2014/lei-13005-25-junho-2014-778970- publicacaooriginal-144468-pl.html >Acesso em: dez. 2018.

BRASIL. Lei nº 13415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis n 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015- 2018/2017/lei/L13415.htm > Acesso em: dez. 2018.

BRASIL.Ministério da Educação. Portaria nº 818, de 13 de agosto de 2015. Disponível em: http://redefederal.mec.gov.br/images/stories/pdf/port_818.pdf Acesso em: dez. 2018.

BRASIL..Ministério da Educação. MEC define conceito de aluno equivalente para os Institutos Federais. Disponível em: http://redefederal.mec.gov.br/noticias/806-mec-define-conceito-de-aluno-equivalente- para-os-institutos-federais. Acesso em: dez. 2017.

CAMPOS, Cidinha. Discurso na Câmara dos Deputados, DF. 24/03/2010. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=q21rM03_R18. Acesso em: 18 de agosto de 2017.

CONIF. Histórico. Disponível em: < http://portal.conif.org.br/index.php?option=com_sppagebuilder&view=page&id=11&It emid=552&lang=br > Acesso em 16 de agosto de 2017.

DIAS, Edmundo Fernandes. A Liberdade (Im)possível na ordem do capital. Reestruturação produtiva e passivização. Campinas: IFCH, 1997.

FREITAS, Luiz Carlos. Os reformadores empresariais da educação: da desmoralização do magistério à destruição do sistema público de educação.

Educ. Soc. Campinas, v. 33, n. 119, p. 379-404, abr-jun. 2012.

GROPPO, L. A; MARTINS, M. F. Terceira Via e políticas educacionais: um novo mantra para a educação. RBPAE, v.24, n.2, p. 215-233, mai./ago. 2008.

INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ E SETEC. Termo de Acordos e Metas de 15 de julho de 2010. Documentos internos da Direção Geral do Campus Ivaiporã, 2017.

INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA. Série “Orçamento”: entenda a distribuição orçamentária na Rede Federal. Disponível em:

<http://www.ifsc.edu.br/institucional/6210-serie-orcamento-entenda-a-distribuicao- orcamentaria-na-rede-federal.> Acesso em : dez. 2018.

LAVAL, Christian. A grande onda neoliberal. In: A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino público. Londrina. Planta, 2004. P. 89-108.

MOREIRA, Antonio Flávio Barbosa; SILVA, Tomaz Tadeu. Currículo, cultura e sociedade. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1999.

PERONI, V. M. V. A democratização da educação em tempos de parceria entre o público e o privado. Revista Educação Pública, Cuiabá. v. 9. N. 40. p. 215-227. maio. ago., 2010.

PROIFES. Expansão e funcionamento das IFES estão ameaçados por cortes orçamentários, afirmam Conif e Andifes. Disponível em:<http://www.proifes.org.br/noticias-proifes/expansao-e-funcionamento-das-ifes- estao-ameacados-por-cortes-orcamentarios-afirmam-conif-e-andifes/> Acesso em: 20 de agosto de 2018

PORTAL DA REDE FEDERAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL, CIENTÍFICA E

TECNOLÓGICA. Histórico. Disponível em:< http:// redefederal.mec.gov.br/histórico> Acesso em 14 de dezembro de 2018.

SILVA, Thamires Olimpia. "Operação Lava Jato"; Brasil Escola. Disponível em

<http://brasilescola.uol.com.br/brasil/operacao-lava-jato.htm>. Acesso em 15 de agosto de 2018.