EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS COMO POLÍTICA EDUCACIONAL: ANÁLISE DE PROJETOS PREMIADOS NA CIDADE DE SÃO PAULO

DOI:

https://doi.org/10.17564/2316-3828.2021v10n3p263-274

Autores

Palavras-chave:

Educação em direitos humanos, Politicas públicas educacionais, Projetos escolares.

Publicado

2021-08-03

Downloads

Downloads

Não há dados estatísticos.

Edição

Seção

Artigos

Resumo

O compromisso do Brasil com a Educação em Direitos Humanos (EDH) enquanto política de Estado é firmado em 2006 com a publicação do Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. Em 2012, Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos tornam este tipo de educação obrigatória da Educação Infantil ao ensino superior. Cabe aos municípios promoverem a educação nos níveis de ensino infantil e fundamental e com isso a responsabilidade de levarem para os currículos escolares a EDH. A cidade de São Paulo entre os anos de 2013 e 2016 promoveu o Premio de Educação em Direitos Humanos visando estimular o desenvolvimento de projetos relacionados aos Direitos Humanos. O presente estudo analisa os 52 projetos premiados nos quatro anos de premiação a partir das dimensões da EDH: conhecimentos, valores e práticas. A abordagem utilizada é qualitativa e utilizou-se como técnica a análise documental. Os resultados demonstram que a grande maioria dos projetos teve como foco Direitos sociais e culturais, priorizando valores como igualdade, respeito às diversidades e democracia. Todas as ações decorrentes dos projetos voltam-se à promoção dos DH.

Biografia do Autor

Ana Maria Klein, Universidade Estadual Paulista - UNESP

Professora Doutora do Departamento de Educação da UNESP/ São Jose do Rio Preto. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade de São Paulo, graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo, mestrado e doutorado em Educação (área temática psicologia e educação) pela Universidade de São Paulo. Professora da Universidade Estadual Paulista, UNESP campus São José do Rio Preto e do Programa Multidisciplinar Interunidades de Pós Graduação Strictu Sensu: Ensino e Processos Formativos (UNESP São José do Rio Preto/Ilha Solteira e Jaboticabal). Coordenadora do curso de Pedagogia. Presidente da Comissao de Direitos Humanos UNESP/São Jose do Rio Preto. Coordenadora do GT do Nucleo Negro para Pesquisa e ExtensãoNUPE/Rio Preto. Membro do Conselho Consultivo do Observatorio de Educação em Direitos Humanos da UNESP. Consultora ONU/PNUD;UNESCO em Educação e Direitos Humanos. Foi membro da Comissão Relatora das Diretrizes Nacionais de Educação em Direitos Humanos (DCNEDH) junto ao Conselho Nacional de Educação (CNE). Docente na USP - EACH (2005-2010). Consultora da UNESCO em programa de formação docente. Consultora do MEC no programa Ética&Cidadania e em Educação em Direitos Humanos. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em formação docente, atuando principalmente nos seguintes temas: educação em direitos humanos, formação moral, ética e cidadania, metodologias ativas de aprendizagem.

Paula Toledo Lara dos Santos, Centro Universitário do Norte Paulista (Unorp)

Professora na graduação em Direito no Centro Universitário do Norte Paulista (Unorp), São José do Rio Preto. Mestranda em Ensino e Processos Formativos pela Unesp de São José do Rio Preto

Flaviana de Freitas Oliveira, Universidade Estadual Paulista

Mestre em Ensino e Processos Formativos pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), bacharel em Direito e em Comunicação Social – Jornalismo, advogada inscrita na OAB/SP e subcoordenadora da Comissão de Direitos Humanos da OAB de São José do Rio Preto.

Como Citar

Klein, A. M., Toledo Lara dos Santos, P., & de Freitas Oliveira, F. (2021). EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS COMO POLÍTICA EDUCACIONAL: ANÁLISE DE PROJETOS PREMIADOS NA CIDADE DE SÃO PAULO. EDUCAÇÃO, 10(3), 263–274. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2021v10n3p263-274

Referências

BRASIL. Lei Federal Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 1996.

BRASIL. Ministério dos Direitos Humanos. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. 3ª reimpressão, 2018. Disponível em: https://www.mdh.gov.br/navegue-por-temas/educacao-em-direitos-humanos/DIAGRMAOPNEDH.pdf. Acesso 02/12/2019.

BRASIL. Lei Federal nº 11.525 de 25 de setembro de 2007 que acrescenta §5º ao artigo 32 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 para incluir conteúdo que trate dos Direitos das Crianças e Adolescentes no currículo do Ensino Fundamental. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2007.

DUARTE, Clarice Seixas. Direito público subjetivo e políticas educacionais. São Paulo Perspec. São Paulo, v. 18, n. 2, p. 113-118, junho de 2004. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-88392004000200012&lng=en&nrm=iso>. Acesso 02/12/2019

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2002.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo, EPU, 1986.

SÁ-SILVA, J.R.; ALMEIDA, C.D.; GUINDANE, J.F. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Rev. Bras. Hist. Cienc. Soc., v.1, n.1, p.1-15, 2009.

SÃO PAULO. Decreto nº 57.503-2016 que institui Plano Municipal de Educação em Direitos Humanos, 2016. Disponível em: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/direitos_humanos/edh/programas_e_projetos/index.php?p=270070. Acesso 02/12/2019

SINDICATO dos profissionais em educação no ensino municipal. Disponível em: https://www.pebsp.com/relacao-de-emefs-prefeitura-de-sao-paulo/. Acesso 02/12/2019.