PARA ALÉM DA SIGNIFICAÇÃO ‘FORMAL’, ‘NÃO FORMAL’ E ‘INFORMAL’ NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

  • Arthur Vianna Ferreira Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ
  • Marcio Bernardino Sirino Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Patricia Flavia Mota Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO
Palavras-chave: Educação Formal. Educação Não Formal. Educação Informal.

Resumo

Este presente artigo, fruto de discussões realizadas no bojo do Grupo de Estudos, Pesquisas e Extensão Fora da Sala de Aula (FFP/UERJ), desde 2016, tem como objetivo problematizar a divisão entre educação formal, não formal e informal na educação brasileira – ainda defendida por teóricos da Pedagogia e do campo, em construção, da Pedagogia Social. Com uma abordagem reflexiva, esta pesquisa de cunho bibliográfico apresenta as especificidades destas três formas de significação da educação e argumenta em defesa do uso dos termos escolar e não escolar, de maneira articulada, a fim de minimizar os processos de escalonamento entre conhecimentos, saberes e experiências e, ainda, questionar a centralidade de determinados espaços sociais em detrimento de outros – na certeza de que todos os espaços sociais se configuram num território (socio)educativo produtor de múltiplas pedagogias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arthur Vianna Ferreira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ
Professor Adjunto de Didática do Departamento de Educação da Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ
Marcio Bernardino Sirino, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Doutorando em Educação (ProPEd/UERJ); Mestre em Educação (UNIRIO); Professor da Universidade Castelo Branco (UCB);
Patricia Flavia Mota, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO
Doutoranda no PPGEdu - UNIRIO Professora na Universidade Castelo Branco

Referências

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. São Paulo: Editora Brasiliense, 1981.

CALIMAN, Geraldo. Pedagogia social: seu potencial crítico e transformador. Revista de Ciências da Educação – UNISAL – Americana/SP, Ano XIII, n. 23, 2º Semestre, 2010.

COELHO, L. M.; SIRINO, M.B. Concepções de Educação Integral, Gestão do Tempo Integral e Projeto(s) de Sociedade: um debate (mais do que) atual. In: FERREIRA, A.G. et al. Políticas e Gestão Em Educação em Tempo Integral: desafios contemporâneos. Curitiba: CRV, 2018.

COELHO, Lígia Martha C. da C. História(s) da educação integral. Brasília: Em aberto, v.22, p. 83-96, abr., 2009.

DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. São Paulo: Cortez, 1998.

DEWEY, John. Democracia e Educação. 3 ed. São Paulo: Nacional, 1959.

GADOTTI, Moacir. A questão da educação formal/não-formal. Seminário Direito à educação: solução para todos os problemas ou problema sem solução? Institut International Des Droits De L’enfant (Ide), Suíça, 2005.

GERMANO, Marcelo Gomes. Uma nova Ciência para um novo senso comum. Campina Grande: Editora UEPB, 2011.

GOHN, Maria da Glória Marcondes. Educação não-formal e o educador social: atuação no desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez, 2010.

GOHN, Maria da Glória Marcondes. Educação não-formal, educador(a) social e projetos sociais de inclusão social. Meta: Avaliação. Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 28-43, jan./abr. 2009.

GONÇALEZ, W. R. C.; SANTOS, A. N. B. Programa Mais Educação: reflexões sobre a articulação entre educação formal e a educação não formal. In: FERREIRA, A.G. et al. Políticas e Gestão Em Educação em Tempo Integral: desafios contemporâneos. Curitiba: CRV, 2018.

JARES, Xésus R. Pedagogia da Convivência. São Paulo: Palas Athenas, 2008.

LIBÂNEO, José Carlos. Os significados da educação, modalidades de prática educativa e a organização do sistema educacional. Revista Inter Ação, v. 16, n. 1/2, p. 67-90, 2 out. 2018.

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos para quê? 12 ed. São Paulo, Cortez, 2010.

OTTO, Hans-Uwe. Origens da pedagogia social. In: MOURA, Rogério; SILVA, Roberto da; SOUSA NETO, João Clemente de (Orgs.). Pedagogia Social. Vol. 1. São Paulo: Expressão e Arte, 2011.

PAIVA, Jacyara Silva de. Caminhos do educador social no Brasil. Jundiaí, SP: Paco Editorial, 2015.

SAVIANI, Demerval. Educação: Do senso comum à consciência filosófica. São Paulo: Autores Associados, 1996.

SOUZA NETO, João Clemente de. Pedagogia social: a formação do educador social e seu campo de atuação. Cadernos de Pesquisa em Educação PPGE-UFES. Vitória. V.16- N.32, jul./dez. 2010.

TRILLA, Jaume. A educação não-formal. In. ARANTES, Valéria Amorim. (Org.). Educação formal e não-formal: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2008.

TRILLA-BERNET, Jaume. La educación fuera de la escuela. Âmbitos no formales y educación social. Barcelona: Ariel, 2003.

Publicado
2020-11-25
Como Citar
Vianna Ferreira, A., Bernardino Sirino, M., & Mota, P. F. (2020). PARA ALÉM DA SIGNIFICAÇÃO ‘FORMAL’, ‘NÃO FORMAL’ E ‘INFORMAL’ NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA. Interfaces Científicas - Educação, 8(3), 584-596. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n3p584-596
Seção
Artigos