METODOLOGIAS ATIVAS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

DOI:

https://doi.org/10.17564/2316-3828.2021v10n3p145-156

Autores

  • Ana Sara Castaman Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul http://orcid.org/0000-0002-5285-0694
  • Lis Angela De Bortoli Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Publicado

2021-06-03

Downloads

Downloads

Não há dados estatísticos.

Edição

Seção

Artigos

Resumo

O presente ensaio tem por finalidade apresentar um relato de experiência acerca das metodologias ativas implementadas na unidade curricular de Engenharia de Software, no Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS), no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - Campus Sertão. Este estudo de caso de abordagem metodológica qualitativa está dividido em 02 partes: a) trata dos conceitos acerca das metodologias ativas; b) aborda experiências, potencialidades e desafios da aprendizagem baseada em equipes na EPT. A partir da vivência e da avaliação dos estudantes, os resultados indicam um feedback positivo, sendo a comunicação, o estímulo e o aprendizado, os pontos fortes. Comprometimento com o grupo é um aspecto ainda a ser melhorado.

Biografia do Autor

Ana Sara Castaman, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Graduada em Psicologia pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (2003), graduada em Pedagogia pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci (2009), mestre em Educação Nas Ciências pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (2006) e doutora em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2011). Atualmente atuo como professora no Instituto Federal do Rio Grande do Sul e estou como docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica - ProfEPT. Sou líder do Grupo de Pesquisa Políticas Públicas e Formação de Professores para a Educação Básica e Profissional.

Como Citar

Castaman, A. S., & De Bortoli, L. A. (2021). METODOLOGIAS ATIVAS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA. EDUCAÇÃO, 10(3), 145–156. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2021v10n3p145-156

Referências

BARBOSA, E. F.; MOURA, D. G. Metodologias ativas de aprendizagem na educação profissional e tecnológica. Boletim Técnico do Senac, v. 39, n. 2, p. 48-67, 2013.

BERBEL, N.A.N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semin Ciênc Soc Hum [Internet]. 2011 Jan/Jun; 32(1): 25- 40.

BOLLELA, V. R. et al. Aprendizagem baseada em equipes: da teoria à prática. Medicina Ribeirão Preto 2014; 47 (3): 293-300.

BRASIL. Parecer CNE/CP nº 29/2002, aprovado em 3 de dezembro de 2002. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a organização e o funcionamento dos cursos superiores de tecnologia. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/cp29.pdf Acesso em: 12 jun. 2019.

DEMO, P. Conhecer e aprender: sabedoria dos limites e desafios. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

DIESEL, A.; BALDEZ, A. L. S.; MARTINS, S. N. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema. 2017. Volume 14. Número 1. p.268-288.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 33ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

GOTTERBARN D. et al. 1999. Software Engineering Code of Ethics. Disponível em http://sistemas.uarg.unpa.edu.ar/~osofia/$IngSof/Practicos/Tp4/p110-gotterbarn-etica.pdf. Acesso em: 16 out. 2018.

IFRS - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão. 2014. Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Disponível em http://www.sertao.ifrs.edu.br/site/midias/arquivos/2/0154713116670ppc_ads-2014.pdf Acesso em: 31 maio 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Instrumento de avaliação de cursos de graduação, presencial e a distância, reconhecimento, renovação de reconhecimento. Brasília 2017.

LIKERT, R. A technique for the measurement of attitudes. Archives of Phycology. v.22. 1932.

MITRE, S. M. et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Revista Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro / RJ, v. 13, n. 2, p. 2133-2144, jan. 2008.

MORÁN, J. M.; BACICH, L. aprender e ensinar com foco na educação híbrida. Revista Pátio, nº 25, jun., p.45-47, 2015.

MORÁN, J. M. Mudando a educação com metodologias ativas. In: SOUZA, C. A.; MORALES, O. E. T. Coleção Mídias Contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. [S.l.]: UEPG, 2015. p. 15-33. v. II.

OLIVEIRA, A. C.; ARAÚJO, S. M. Métodos Ativos de Aprendizagem: uma breve introdução. 2015. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/280091153_Metodos_Ativos_de_Aprendizagem_uma_breve_introducao. Acesso em: 21 maio 2019.