CULTURA DIGITAL E OFICINA DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO INTEGRAL: APLICAÇÃO DO SOFTWARE “VIRTUAL DJ FREE”

Palavras-chave: Educação, Cultura Digital, Tecnologias Digitais, Mídias, Programa “Cidadescola”.

Resumo

Em nosso cotidiano percebemos que as crianças e os jovens estão sempre conectados, trocando informações em rede e relacionando-se pela web. Consequentemente eles levam essa cultura digital para o ambiente escolar, quer as instituições escolares estejam ou não preparadas para lidar com ela. O objetivo desse artigo é mostrar as possibilidades criativas por meio de softwares livres, mais especificamente o “Virtual Dj Free”, na produção de sons remixados por crianças em Oficinas de Informática do Programa de Educação Integral “Cidadescola” no município de Presidente Prudente (SP). Como metodologia, usamos a abordagem qualitativa, realizando uma pesquisa bibliográfica para apresentarmos as principais discussões sobre o tema, e práticas de intervenção com crianças do 5º. ano do Ensino Fundamental. Concluímos que as crianças possuem muita curiosidade sobre softwares que incentivam processos de criação por meio das mídias e que, no contexto escolar, isso pode ser um importante recurso pedagógico que proporciona momentos de criatividade bastante significativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nair Correia Salgado de Azevedo, Universidade do Oeste Paulista
Formada pelo Centro Específico de Formação e Aperfeiçoamento do Magistério (CEFAM), turma 1991-1994. Doutora e Mestre em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Estadual Paulista, UNESP, Presidente Prudente/SP. Possui Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade Estadual Paulista, UNESP, Presidente Prudente/SP (2007) e Licenciatura em Pedagogia pelas Faculdades Entre Rios do Piauí (FAERPI) (2013). É docente da Faculdade de Artes, Ciências, Letras e Educação de Presidente Prudente (FACLEPP), da Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) em Presidente Prudente/SP. Atuou como Coordenadora de Área (Pedagogia) do Programa Institucional de Iniciação à Docência (PIBID), na Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) de 2018 a 2020. Trabalhou como professora substituta na disciplina de História da Educação na Universidade Estadual Paulista, UNESP, Presidente Prudente/SP, entre os anos de 2016 e 2018. Tem experiência na Educação Básica (Ensino Fundamental I e Educação Infantil) na Prefeitura Municipal de Presidente Prudente/SP e Educação Infantil (público e privado/filantrópica) em Presidente Prudente/SP entre os anos de 1997 e 2015. É Vice-coordenadora do Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE).
Monica Fürkotter, Universidade do Oeste Paulista
Licenciada em Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1976) (Unesp), Mestre em Matemática pelo Instituto de Ciências Matemáticas de São Carlos (1983) e Doutora em Ciências (Matemática: Análise) pelo Instituto de Ciências Matemáticas de São Carlos (1989). Docente aposentada da Unesp, Campus de Presidente Prudente. Atualmente é docente do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Oeste Paulista (Unoeste). Membro do Grupo de Pesquisa Ensino e Aprendizagem como Objeto da Formação de Professores (GPEA), da FCT/Unesp/Campus de Presidente Prudente, e do Grupo de Pesquisa Contexto Escolar e Processo de Ensino Aprendizagem: ações e interações (CONTEPEA) da Unoeste. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em formação de professores, atuando nos seguintes temas: formação inicial e continuada de professores, ensino e aprendizagem de Matemática, Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação na Educação e avaliação.
Claudia Maria de Lima, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp),Câmus de São José do Rio Preto.
Livre-Docente em Mídias e Tecnologias da Informação e Comunicação na Educação pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Câmpus de São José do Rio Preto (IBILCE) (2019). Professora Assistente (MS3) do Departamento de Educação da mesma instituição. Doutora em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2000). Mestre em Psicologia Escolar pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1996). Possui experiência nas áreas de Psicologia e Pedagogia, com ênfase em ensino e aprendizagem na sala de aula, com atuação principal nos seguintes temas: comunicação e educação; mídia-educação; formação de professores; processos de ensino e aprendizagem e representação social

Referências

AMIEL, T. Educação aberta: configurando ambientes, práticas e recursos educacionais. In: SANTANA, B.; ROSSINI, C.; PRETTO, N. de L. (Orgs). Recursos Educacionais Abertos: práticas colaborativas e políticas públicas. Salvador: Edufba; São Paulo: Casa da Cultura Digital, 2012. p. 17 – 33.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2009.

COLL, C.; MONEREO, C. Educação e aprendizagem no século XXI. In: COLL, C.; MONEREO, C. (org.). Psicologia da Educação Virtual: aprender e ensinar com as Tecnologias da Informação e da Comunicação. Porto Alegre: Artmed, 2010. p. 15 – 46.

DUARTE, R.; et al. Papel da escola no desenvolvimento de habilidades cognitivas no uso de mídias digitais. In: TOMMASIELLO, M. G. C.; MARIN, A. J.; PIMENTA, S. G.; FUSARI, J. C. (Orgs.) Didática e práticas de ensino na realidade escolar contemporânea: constatações, análises e proposições. 1. ed. Araraquara: Junqueira&Marin Editores, 2012, p. 128-143. (Livro 3, Anais do XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino, UNICAMP, Campinas – 2012). Disponível em:

<http://www.infoteca.inf.br/endipe/smarty/templates/arquivos_template/upload_arquivos/acervo/docs/0083s.pdf>. Acesso em: 18 jan. 2018.

GUIMARÃES, F. F. F. Do surgimento do Rock à sua difusão pelo mundo: a apropriação do Rock no Brasil através das versões, de meados da década de 1950 e meados da década de 1960. Dissertação de Mestrado. 101 f. (Pós-graduação em Desenvolvimento Social). Centro de Ciências Sociais e Aplicadas. Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros, 2013.

KURTINAITIS, M. O Remix audiovisual como forma de mediação crítica. Trabalho apresentado na III Jornada Discente do PPGMPA – USP, 2012, p. 1 – 29.

LEMOS, A. Cultura da mobilidade. Revista FAMECOS, Porto Alegre, n. 40, p. 28-35, dez. 2009. Disponível em:

<http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/viewFile/6314/4589>. Acesso em: 06 dez. 2018.

PRESIDENTE PRUDENTE. Decreto nº 21.142/2010, de 17 de março de 2010. Dispõe sobre a instituição do Programa de Educação Integrada Cidadescola, que visa fomentar a Educação Integral de crianças da Rede Municipal de Ensino de Presidente Prudente. 2010.

PRETTO, N. L; ASSIS, A. Cultura digital e educação: redes já! In: PRETTO, N; SILVEIRA, S. A. (Org). Além das redes de colaboração: internet, diversidade cultural e tecnologias do poder. Salvador, Edufba, 2008, p. 75 – 83.

RODRIGUES, R. F. As composições da escuta e a internet: os Dj’s de desktop. Mediação, Belo Horizonte, n.5, nov./2006, p. 64 – 74.

SANTAELLA, L. Mídias locativas: a internet móvel de lugares e coisas. Revista FAMECOS, Porto Alegre, n. 35, p. 95-101, abr. 2008, p. 95 – 101. Disponível em:

<http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/4099>.

Acesso em: 14 jul. 2018.

SOUZA, A.; BESSA, F. Podcast e utilização do software Audacity. In: CARVALHO, A. A. A. Manual de Ferramentas da Web 2.0 para professores. Ministério da Educação. Portugal: Direcção Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular. Ministério da Educação, 2008, p. 41 – 56.

TOMMASI, M. Relato-Remix de experiências sonoras. 70f. Trabalho de Conclusão de Curso. Centro de Artes. Universidade do Estado de Santa Catarina. Florianópolis, 2011.

Publicado
2020-09-06
Como Citar
Azevedo, N. C. S. de, Fürkotter, M., & Lima, C. M. de. (2020). CULTURA DIGITAL E OFICINA DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO INTEGRAL: APLICAÇÃO DO SOFTWARE “VIRTUAL DJ FREE”. Interfaces Científicas - Educação, 8(3), 441-454. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n3p%p
Seção
Artigos