A DIALÉTICA RACIONAL NA RELAÇÃO PRÁTICA EDUCATIVA EM UM AMBIENTE DE INTERVENÇÃO ESCOLAR

DOI:

https://doi.org/10.17564/2316-3828.2021v10n3p119-132

Autores

  • Luiz Carlos Pereira Santos INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE
  • Eline Alves Santos INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE
  • Daniela Venceslau Bitencourt Universidade Tiradentes
  • Luzinete Santos Santana Rede Estadual de Educação de Sergipe

Palavras-chave:

Racionalidade. Dialética. Ambiente de intervenção. Prática educativa.

Publicado

2021-04-28

Downloads

Downloads

Não há dados estatísticos.

Edição

Seção

Artigos

Resumo

É irrefutável o impacto que um projeto pedagógico bem articulado entre docentes e discentes têm na forma como modifica as relações com a instituição. Uma intervenção escolar, quando aplicado em um viés de democracia, assume aqui uma posição proeminente pela forma como se interage e se constroem comunidades escolares prontas para os desafios de mudanças que se esperam. Este texto pretende apresentar uma reflexão na compreensão dialética na relação prática educativa para um ambiente de intervenção escolar. Para tanto, o presente documento busca em teóricos uma resposta para esta relação educativa em um direcionamento da intervenção escolar. Com isso, o tema em análise, para uma prática docente vivenciada para um ambiente de intervenção escolar, emana de uma pesquisa de cunho descritivo, de abordagem qualitativa voltada para auxiliar na compreensão de que os efeitos de uma intervenção compensatória e em tempo útil podem ter consequências muito positivas nas aprendizagens. Quanto ao procedimento bibliográfico, buscou-se um embate entre vários autores da academia na compreensão desta relação.

Biografia do Autor

Luiz Carlos Pereira Santos, INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE

DOUTOR EM DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE MESTRE EM SISTEMA E COMPUTAÇÃO PROFESSOR DA PÓS GRADUAÇÃO DO MESTRADO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL PROFEPT

Como Citar

Pereira Santos, L. C. ., Santos, E. A., Bitencourt, D. V., & Santana, L. S. (2021). A DIALÉTICA RACIONAL NA RELAÇÃO PRÁTICA EDUCATIVA EM UM AMBIENTE DE INTERVENÇÃO ESCOLAR. EDUCAÇÃO, 10(3), 119–132. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2021v10n3p119-132

Referências

BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico: contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

BRASIL, Lei de diretrizes e bases da educação nacional. – Brasília : Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares: Conselhos Escolares: Democratização da escola e construção da cidadania. Brasília-DF: Novembro de 2004. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Consescol/ce_cad1.pdf. Acesso em: 09 jun. 2018.

BROWN, D. Teachers as Researchers: Some Historical Issues. In V. Zack, J. Mousley, & C. Breen (Eds.), Developing practice: Teacher´s inquiry and educational change (pp. 193-200). Geelong, Australia: Centre for Studies in Mathematics, Science and Environmental Education, 1997.

COREY, S. M. Action research to improve school practices. Nova York: Teachers’ College Press, 1953.

CHALITTA, Gabriel. Pedagogia do Afeto. São Paulo: Editora Gente, 2001.

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber às práticas educativas [livro eletrônico] / Bernard Charlot.1. ed. São Paulo: Cortez, 2014.

DEWEY, John. Democracia e educação: introdução à filosofia da educação. 3a. ed. São Paulo: Nacional, 1959.

FOUCAULT, Michel. O sujeito e o poder. In: Dreyfus, Hubert; Rabinow, Paul (Orgs.). Michel Foucault. Uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 15ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

RAMOS, M; FRIGOTTO, G; CIAVATTA, M. (Orgs.). Ensino Médio Integrado: Concepção e Contradições. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

GABRIEL, C. G.; SANTOS, M. V.; VASCONCELOS, F. A. G. Avaliação de um programa para promoção de hábitos alimentares saudáveis em escolares de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, Recife, v. 8, n. 3, p.299-308, jul. 2008.

GADOTTI, Moacir. Pedagogia da práxis. 4 ed. São Paulo: Cortez: Instituto Paulo Freire, 2004.

_____. Pedagogia da Terra. 5 ed. São Paulo: Peirópolis, 2000.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do Cárcere V. 1. 4 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

GRUNDY, S. J.; Kemmis, S. Educational action research in tional action research in Australia: Australia the state of the art. Geelong: Deakin University Press, 1983.

JOYCE, B.;WEIL, M. Modelos de enseñanza. Madri. Anaya. “La programación didática”, Aula de Innovación Educativa, 1, Monografia, 1985.

KONDER, Leandro. O que é dialética; 12ª edição: Abril Cultural, Brasilienses, Coleção Primeiros Passos, 2011.

KOSIK, Karel. O Mundo da Pseudoconcreticidade e Sua Destruição. Dialética do Concreto. 2ª Ed. RJ: Paz e Terra, 1976.

LEWIN, K. Action research and minority problems. Journal of Social Issues, Malden. v. 2, n. 2, p. 34-36, 1946. Disponível em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1540-4560.1946.tb02295.x/full >. Acesso em: 14 de mar. 2018.

LIBÂNEO, J.C. Democratização da Escola Pública. São Paulo: Loyola, 1990.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 28. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

MANACORDA, Mario Alighiero. Marx e a pedagogia moderna. Campinas: Autores Associados, 1991.

MARX, K; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

NOBRE, M. A Teoria Crítica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2004.

NÓVOA. A(org.) Os professores e sua formação. Lisboa, Dom Quixote, 1996.

PIAGET, Jean. Estudos Sociológicos, São Paulo: Companhia Editora Forense, 1973.

___________. O desenvolvimento do pensamento: a equilibração das estruturas cognitivas. Lisboa: Dom Quixote, 1976.

SANFELICE, J. L. Dialética e Pesquisa em Educação. In: LOMBARDI, J.C.; SAVIANI, D. (Orgs.). Marxismo e Educação: debates contemporâneos. 2ªed. Campinas, SP: Autores Associados: Histedbr,2008.

SAVIANI, Dermeval. Escola e Democracia. 25 ed. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1991.

TEIXEIRA, E. As três metodologias: acadêmica, da ciência e da pesquisa. 7. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-Ação. 18. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

______. Pesquisa-ação nas organizações. São Paulo: Atlas, 1997.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Tradução: Emani F. Rosa. Porto Alegre: Artmed, 1998.

ZAPATER, A. R.; SILVEIRA, D. M.; VITTA, A.; PADOVANI, C. R.; SILVA, J. C. P. Postura sentada: a eficácia de um programa de educação para escolares. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 9, n. 1, p. 191-199, 2004.