Desatenção, hiperatividade e impulsividade: reflexões críticas sobre o TDAH

  • Dinamara Garcia Feldens UNIVERSIDADE TIRADENTES
  • Rafael Santos Barboza Universidade Tiradentes
  • Barbara Távora Martins Universidade Tiradentes
  • Luana Garcia Fusaro Universidade Tiiradentes
  • Mary Barreto Dória Universidade Tiradentes
Palavras-chave: Psicopatologia, Contemporaneidade, TDAH, Escola, Disciplina.

Resumo

A partir da importância adquirida pelas discussões sobre o transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) na contemporaneidade, este trabalho busca contribuir para que as reflexões acerca do tema não cessem ou se naturalizem. Discute-se, assim, a noção entre corpo, disciplinarização, escola e modos de subjetivação, com ênfase de investigação nas três categorias sintomáticas principais do TDAH: desatenção, hiperatividade e impulsividade. O referencial teórico-metodológico utilizado ampara-se nas relações de saber-poder trabalhadas por Foucault. Considera-se que a função do diagnóstico de TDAH envolve menos uma busca pela autonomia do sujeito frente a seu mal-estar e mais um mecanismo que captura a subjetividade do estudante, diminuindo as possibilidades de diferença no contexto escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dinamara Garcia Feldens, UNIVERSIDADE TIRADENTES
Pesquisadora do Instituto Tecnológico de Pesquisa ITP, professora da Universidade Tiradentes -SE no Programa de Pós Graduação em Educação. É membro do Comitê Científico da Universidade Tiradentes e docente do Programa de Pós Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado, coordena o Doutorado Interinstitucional/ DINTER em Educação. Atua principalmente nos temas: epistemologia do conhecimento, fundamentos da educação, gênero,ética,cultura, formação de professores, filosofias pós-modernas, contemporaneidade. Trabalha com os autores, Deleuze, Félix Guattari, Friedrich Nietzsche e Michel Foucault. Coordenadora do Grupo GPECS/UNIT/CNPQ.
Rafael Santos Barboza, Universidade Tiradentes
Graduado em Comunicação Social (habilitação em Jornalismo) - Universidade Federal de Sergipe (UFS). Graduando em Psicologia - Universidade Tiradentes (UNIT). Bolsista de Iniciação Científica – PROBIC/UNIT. Pesquisador integrante do Grupo de Pesquisa "Educação, Cultura e Subjetividades" - GPECS, UNIT, CNPQ.
Barbara Távora Martins, Universidade Tiradentes
Graduada em Administração pela Universidade Tiradentes (2005). Pesquisadora integrante do Grupo de Pesquisa "Educação, Cultura e Subjetividades" - GPECS, UNIT, CNPQ.
Luana Garcia Fusaro, Universidade Tiiradentes
Graduada em Comunicação Social (habilitação em Jornalismo) - Universidade Tiradentes (UNIT). Pesquisador integrante do Grupo de Pesquisa "Educação, Cultura e Subjetividades" - GPECS, UNIT, CNPQ.
Mary Barreto Dória, Universidade Tiradentes
Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (2006) e especialização latu sensu em Arte Educação pela Faculdade São Luis de França (2009), é mestre em Educação pela Universidade Tiradentes (UNIT) (Conceito CAPES 4) e membro do Grupo de Pesquisa em Educação, Cultura e Subjetividade (GPECS/UNIT/CNPq)

Referências

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION et al. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais-: DSM-5. Artmed Editora, 2014.

BENCZIK, E. B. P. Transtorno de déficit de Atenção. Casa do Psicólogo, 2000.

BUCHIANERI, L. G. C. Velocidade e Tédio: o paradoxo da adolescência no mundo contemporâneo. 119f. 2012. Tese (Doutorado em Psicologia) - Universidade Estadual Paulista-Faculdade de Ciências e Letras, Assis, 2012.

FELDENS, D. G. Os lugares da contemporaneidade e a escola de controle: cartografias do poder na educação. Educação Unisinos, v. 12, n. 3, p. 238-242, 2008.

FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Graal, 1995.

FOUCAULT, M. Resumo dos cursos do Collège de France (1970 – 1982). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

GUIRADO, M. Poder indisciplina: os surpreendentes rumos da relação do poder. In: AQUINO, J.G. (Org.). Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus Editorial, 1996. p. 57 a 72.

KASTRUP, V. O devir-criança e a cognição contemporânea. Psicologia: reflexão e crítica, v. 13, n. 3, p. 373-382, 2000.

KOHAN, W. O. Infância – Entre educação e filosofia. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

LIMA, C. Somos todos desatentos? O TDA/H e a construção de bioidentidades. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2005.

MORAES, R. B. de S. “...como se fosse lógico”: considerações críticas da medicalização do corpo infantil pelo TDAH na perspectiva da sociedade normalizada. 401f. 2012. Tese (Doutorado em Administração Pública e Governo) - Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2012.

ROLNIK, S. Uma insólita viagem à subjetividade: fronteiras com a ética e a cultura. 1997. Disponível em: <http://www.pucsp.br/nucleodesubjetividade/Textos/SUELY/viagemsubjetic.pdf>. Acesso em: 10 de Janeiro de 2015.

VEIGA-NETO, A. Foucault & a educação. Autêntica, 2003.

Publicado
2016-06-05
Como Citar
Feldens, D. G., Barboza, R. S., Martins, B. T., Fusaro, L. G., & Dória, M. B. (2016). Desatenção, hiperatividade e impulsividade: reflexões críticas sobre o TDAH. Interfaces Científicas - Educação, 4(3), 159-168. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2016v4n3p159-168
Seção
Artigos