DE ENSINO PRESENCIAL PARA O REMOTO EMERGENCIAL: adaptações, desafios e impactos na pós-graduação

  • Mário André de Freitas Farias Instituto Federal de Sergipe
  • Gilson Pereira Santos Júnior Instituto Federal de Sergipe; Universidade Federal de Sergipe
  • Humberto Luiz Barros Moraes Instituto Federal de Sergipe
  • Solange Melo do Nascimento Instituto Federal de Sergipe
Palavras-chave: Educação. Ensino Remoto Emergencial. Covid-19. TDIC.

Resumo

A maior pandemia do século XXI foi causada pela proliferação do coronavirus SARS-CoV-2 pelo mundo, que tem afetado os países nos diferentes aspectos da sociedade e impulsionado mudanças emergenciais, inclusive na educação. O principal objetivo deste artigo é discutir as mudanças realizadas nas práticas pedagógicas, durante o processo de transição do ensino presencial para o ensino remoto emergencial na disciplina de Práticas Educativas em Educação Profissional e Tecnológica do Programa de Pós-graduação em Educação Profissional e Tecnológica do Instituto Federal de Sergipe. Para tanto, o artigo apresenta a metodológica sala de aula invertida com uso das tecnologias digitais de informação e comunicação como forma de adaptação ao ensino remoto emergencial, além das práticas desenvolvidas pelos discentes e docentes da disciplina. Ao refletir as práticas, concluiu-se que, apesar da existência de inúmeros recursos tecnológicos para oportunizar essa forma de ensino, os fatores de ordem socioeconômica e familiar podem comprometer a sua concretização efetiva a fim de alcançar as diferentes realidades dos sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mário André de Freitas Farias, Instituto Federal de Sergipe
Doutor em Ciências da Computação pela UFBA. Mestre em Modelagem Computacional de Conhecimento pela UFAL. Especialista em Análise de Sistemas pela UCAM. Bacharel em Sistemas de Informação pela UNIT. Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT) do ProfEPT/IFS.
Gilson Pereira Santos Júnior, Instituto Federal de Sergipe; Universidade Federal de Sergipe
Doutorando do Programa de Pós-graduação em Educação da UFS. Mestre em Ciência da Computação pela UFCG. Bacharel em Ciência da Computação pela UNIT. Professor EBTT do IFS.
Humberto Luiz Barros Moraes, Instituto Federal de Sergipe
Mestrando do Mestrado Profissional de Educação Profissional e Tecnológica/IFS Servidor Técnico Administrativo da Universidade Federal de Sergipe Graduado em História/Licenciatura pela Universidade Federal de Sergipe
Solange Melo do Nascimento, Instituto Federal de Sergipe
Mestranda do Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica/IFS Técnica em Assuntos Educacionais da Universidade Federal de Sergipe Graduada em História/Licenciatura pela Universidade Federal de Sergipe

Referências

ARAGÃO, A. S. A dificuldade de Aprendizagem da Pessoa com deficiência: O Processo de Inclusão. PERSPECTIVAS SOBRE EDUCAÇÃO INCLUSIVA. SOUZA, R. C. S. (org.), p. 127. Ed. Criação. São Cristóvão: 2017.

BARBOSA, E. F.; MOURA, D. G. de. Metodologias ativas de aprendizagem na Educação Profissional e Tecnológica. Senac,RJ, v.39,n.2,p.48-67,maio/ago. 2013.

BARBOSA, S. L. M.; SOUZA, R. C. S.; GUIMARÃES, . M. A; SILVA, M. N. S. O uso da Tecnologia Assistiva em Prol da Educação Inclusiva. PERSPECTIVAS SOBRE EDUCAÇÃO INCLUSIVA. SOUZA, R. C. S.(org), p.159. Criação. São Cristóvão: 2017.

BERGMANN, J.; SAMS, A. Sala de aula invertida: uma metodologia ativa de aprendizagem. Tradução: Afonso Celso da Cunha Serra. Rio de Janeiro: LTC, 2018.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

DIESEL, A.; MARCHESAN, M. R.; MARTINS, S. N. Signos, Lajeado, ano 37, n.1, p. 153-169, 2016.

FRANCO, M. A. do R. S. Prática pedagógica e docência: um olhar a partir da epistemologia do conceito. Rev. bras. Estud. pedagog. (on-line), Brasília, v. 97, n. 247, p. 534-551, set./dez. 2016.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra. 1996.

FREIRE, E. P. A. Aplicações escolares do Podcast. In: Congresso Nacional de Ambientes Hipermídia para Aprendizagem (CONAHPA). 2013.

LÉVY, P. Cibercultura. 1. ed. São Paulo: Editora 34, 1999.

LIMA, L.; LOUREIRO, R. A integração entre Docência e Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação na Formação de Licenciandos. In: Anais do Workshop de Informática na Escola. p. 395. 2015.

LUCENA, S.; OLIVEIRA, J. M. A. Culturas digitais na educação do Século XXI. Revista Tempos e Espaços em Educação, p. 35-44, dez. 2014.

LUCENA, S.; OLIVEIRA, A. A. D.; SANTOS JÚNIOR, G. P. A web 2.0 e os software sociais: outros espaçostempos multirreferenciais de formação na iniciação à docência. Whatsapp e educação: entre mensagens, imagens e sons. EDUFBA. 2017.

MORÁN, J. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção Mídias Contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. SOUZA, C.A. e MORALES, O. E. T. (orgs.). v. 2, n. 1, p. 15-33, 2015.

NASCIMENTO, E. D.; AZEVEDO, R. O. M. Possíveis articulações entre os conceitos de tecnologia e competências na formação profissional docente. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica. v. 2, n. 13, 2017.

NASCIMENTO, R, V.; JÚNIOR, J. E. S.; FARIAS, M. A. F. GUIA DIDÁTICO: Sala de Aula Invertida para a Educação Profissional e Tecnológica - Modalidade Subsequente. Aracaju: Edifs, 2019.

SCHUHMACHER, V. R. N.; ALVES FILHO, J. de P.; SCHUHMACHER, E. As barreiras da prática docente no uso das tecnologias de informação e comunicação. Ciência & Educação (Bauru), v. 23, n. 3, p. 563-576, 2017.

VALENTE, J. A. A comunicação e a educação baseada no uso das tecnologias digitais de informação e comunicação. UNIFESO-Humanas e Sociais, v. 1, n. 01, p. 141-166, 2014.

Publicado
2020-09-06
Como Citar
Farias, M. A. de F., Santos Júnior, G. P., Moraes, H. L. B., & Nascimento, S. M. do. (2020). DE ENSINO PRESENCIAL PARA O REMOTO EMERGENCIAL: adaptações, desafios e impactos na pós-graduação. Interfaces Científicas - Educação, 10(1), 180-193. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v10n1p180-193