AVALIAÇÃO DE AÇÕES DE PRÁTICAS DE SUSTENTABILIDADE EM ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO INFANTIL NA ZONA SUL DA CIDADE DE SÃO PAULO - SP

Renata Oliveira Fernandes, Maria Antonietta Leitão Zajac, Andreza Portella Ribeiro, Ana Paula Branco do Nascimento

Resumo


O ambiente escolar é propício à aplicação de programas de educação ambiental, que encorajam mudanças de atitudes e práticas relacionadas à sustentabilidade. Este trabalho apresenta um modelo de projeto ambiental, experimental e integrado, desenvolvido por uma equipe multidisciplinar em parceria com uma Escola Municipal de Ensino Infantil. O objetivo deste trabalho foi verificar qual a importância da sustentabilidade no âmbito escolar, por meio de programas de sensibilização e conscientização, bem como intervenções no espaço físico. Dentre as propostas do projeto destacou-se a implantação de uma Horta Escolar associada à compostagem de resíduos orgânicos. Ocorreu a participação tanto da comunidade escolar como dos educadores, alunos e pais. Essas práticas, quando inseridas no ambiente escolar, tornam-se um novo instrumento, o qual possibilita desenvolver diversas atividades ligadas à Educação Ambiental e alimentar, unindo teoria e prática. Portanto, este relato técnico contribui para apontar os benefícios destas ações e práticas voltadas à sustentabilidade.

Palavras-chave


Sustentabilidade na escola; Horta Escolar; Compostagem

Texto completo:

PDF

Referências


Bernardon, R., Schmitz, B. D. A. S., Recine, E. G. I., Rodrigues, M. D. L. C. F., & Gabriel, C. G. (2014). School Gardens in the Distrito Federal, Brazil. Revista de Nutrição, 27(2), 205-216.

Biancolino, C. A., Kniess, C. T., Maccari, E. A., & Rabechini Jr, R. (Mai/Ago de 2012). Protocolo para elaboração de relatos de produção técnica. Revista de Gestão e Projetos, 294-307.

Bohm, F. Z., Böhm, P. A. F., Rodrigues, I. C., & Júnior, M. P. S. (2018). Utilização de hortas orgânicas como ferramenta para Educação Ambiental. Luminária, 19(01), 20-26.

Brasil. Lei n° 9.795, de 27 de abril de 1999 (1999). Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Brasília. Disponível em < http://www.camara.gov.br/sileg/integras/856419.pdf> Recuperado em 07 junho, 2018.

Davis, J. N., Spaniol, M. R., & Somerset, S. (2015). Sustenance and sustainability: maximizing the impact of school gardens on health outcomes. Public health nutrition, 18(13), 2358-2367.

Evans, A., Ranjit, N., Fair, C. N., Jennings, R., & Warren, J. L. (2016). Previous gardening experience and gardening enjoyment is related to vegetable preferences and consumption among low-income elementary school children. Journal of nutrition education and behavior, 48(9), 618-624.

Freitas, H. R., Gonçalves-Gervásio, R. D. C. R., Marinho, C. M., Fonseca, A. S. S., Quirino, A. K. R., Xavier, K. M. M. D. S., & Nascimento, P. V. P. D. (2013). Horta escolar agroecológica como instrumento de educação ambiental e alimentar na Creche Municipal Dr. Washington Barros-Petrolina/PE. Extramuros-Revista de Extensão da Univasf, 1(1), 155-169.

Hochman, B., Nahas, F. X., Oliveira Filho, R. S. D., & Ferreira, L. M. (2005). Research designs. Acta Cirúrgica Brasileira, 20, 2-9.

Kauark, F. D. S., Manhães, F. C., & Medeiros, C. H. (2010). Metodologia da pesquisa: um guia prático.

Machado, J. T. M., Tonin, J., & Schneider, E. P. (2015). Análise de ações extensionistas na implantação de Hortas Escolares de base ecológica, seus efeitos desafios no contexto educacional. Revista Brasileira de Extensão Universitária, 6(2), 97-101.

Morgado, F.S., & dos Santos, M. A. A. (2008). A horta escolar na educação ambiental e alimentar: experiência do Projeto Horta Viva nas escolas municipais de Florianópolis. Extensio: Revista Eletrônica de Extensão, 5(6), 57-67.

Moura, I. C C. (2017). Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. Cortez Editora.

Neto, L. R. B., de Assis, R. L., & da Graça Amâncio, C. O. (2017). Dinâmicas Alimentares Saudáveis, a partir de práticas de inclusão sócioprodutivas sustentáveis em ambiente escolar: Estudo de caso do Projeto Educando com a Horta Escolar. Cadernos de Agroecologia, 11(2), 1-5.

Pimenta, J. C., & Rodrigues, K. D. S. M. (2011). Projeto Horta Escola: ações de educação ambiental na escola centro promocional todos os santos de Goiânia (GO). Simpósio de educação ambiental e transdisciplinaridade, 2, 8-9.

Programa Nacional de Educação Ambiental ProNEA (2014). Educação Ambiental Por um Brasil Sustentável. Ministério do Meio Ambiente, Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental, Departamento de Educação Ambiental; Ministério da Educação. 4 ed. Brasília: Ministério do Meio Ambiente.

Reis, C. E. G., Vasconcelos, I. A. L., & Barros, J. F. D. N. (2011). Políticas públicas de nutrição para o controle da obesidade infantil. Revista paulista de pediatria, 29(4), 625-633.

Resolução CD/FNDE nº 18, de 21 de maio de 2013 (2013). Manual Escolas Sustentáveis. Disponível em < https://www.fnde.gov.br/fndelegis/action/UrlPublicasAction.php?acao=abrirAtoPublico&sgl_tipo=RES&num_ato=00000018&seq_ato=000&vlr_ano=2013&sgl_orgao=CD/FNDE/MEC> Recuperado em 01 de junho, 2017.

Santos, A. M. D. L., de Lima Martins, R. M., de Souza, R. D., Mota, R. M. F., & Fernandes, C. T. (2015). Incentivo ao Uso da Compostagem de Resíduos Sólidos em uma Horta Escolar do Município de Jaciara-MT. Revista de Ensino, Educação e Ciências Humanas, 15, 321-329.

Santos, S. R., de Sousa C. M. B. & de Paiva B. G. T. (2016). As formas de gestão do programa nacional de alimentação escolar (PNAE). Revista de Salud Pública, 18(2), 311-320.

Silva, E. C. R., & Fonseca, A. B. (2012). Hortas em escolas urbanas, Complexidade e transdisciplinaridade: Contribuições para a Educação Ambiental e para a Educação em Saúde. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 11(3), 35-54.

Silva, E. C. R., da Fonseca, A. B. C., Dysarz, F. P., & Reis, E. J. (2015). Hortas escolares: possibilidades de anunciar e denunciar invisibilidades nas práticas educativas sobre alimentação e saúde. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, 8(1), 265-288.

Torres, M. B. R. (2015). O espaço escolar como uma problemática socioambiental. REMEA-Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, 32(1), 79-100.

Vieira, T. V., Corso, A. C. T., & González-Chica, D. A. (2014). Organic food-related educational actions developed by dieticians in Brazilian municipal schools. Revista de Nutrição, 27(5), 525-535.

Yin, R. K. (2015). Estudo de Caso: Planejamento e Métodos (5ª ed.). Porto Alegre: Bookman.

Zanetti, M. L., Arrelias, C. C. A., Franco, R. C., dos Santos, M. A., Rodrigues, F. F. L., & Faria, H. T. G. (2015). Adesão às recomendações nutricionais e variáveis sociodemográficas em pacientes com diabetes mellitus. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 49(4), 619-625.




DOI: https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n3p393-407


Indexada em: