INTERAÇÕES DOCENTES EM BRINCADEIRAS E A AUTONOMIA DE CRIANÇAS NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Camila Tanure Duarte, Fernando Donizete Alves, Aline Sommerhalder

Resumo


Apresenta resultados de uma pesquisa concluída e aborda relações sociais entre professora e crianças em contextos de brincadeiras, realizadas no primeiro ano do Ensino Fundamental. Brincar é ato e aprendizagem social, porém pouco presente e valorizado no ensino fundamental. Objetivou descrever ações de interação docente realizadas com crianças em contextos de brincadeiras no ensino fundamental, analisando essas ações no processo de construção ou fortalecimento da autonomia das crianças. Fundamentada na abordagem qualitativa de pesquisa, foi realizada por meio de observação participante da rotina de uma turma de crianças e sua professora, em contextos de brincadeiras, com registros escritos em diários de campo. Foram sujeitos vinte e cinco crianças do primeiro ano do Ensino Fundamental e sua professora, de uma escola municipal do interior do estado de São Paulo. Os dados foram analisados na perspectiva qualitativa, a partir da literatura escolhida. Revelou-se que, em algumas situações, as crianças poderiam ter sido mais incentivadas e questionadas, fomentando mais oportunidades para diálogo entre elas e com a professora. No entanto, predominaram ações docentes de incentivo ao protagonismo infantil nas brincadeiras, em escolhas realizadas e com participação na rotina e nas atividades, favorecendo a construção ou fortalecimento da autonomia das crianças. As interações sociais nas brincadeiras, em contexto escolar e que ocorrem entre professora e crianças e entre elas são essenciais para a aprendizagem e desenvolvimento humano, pois a escola é também um lugar para viver a vida e as infâncias.

Palavras-chave


Interações Sociais; Brincadeiras; Práticas Educativas; Crianças; Autonomia; Primeiro ano do Ensino Fundamental.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n3p174-187


Indexada em: