A MERCANTILIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR NO CONTEXTO ATUAL: CONSIDERAÇÕES PARA O DEBATE.

  • Maria Gracileide Alberto Lopes Universidade Federal do Amazonas
Palavras-chave: Política de Educação Superior, Mercantilização, Educação à Distância.

Resumo

Este artigo, como o próprio título o indica, pretende trazer algumas considerações para o debate travado em torno da Política de Educação Superior no Brasil. Tomando por base a Constituição Federal de 1988, que estabelece a exigência da política educacional tanto a nível federal, quanto estadual e municipal, bem como a Lei de Diretrizes e Bases da Educação – Lei nº 9.394/96, ainda que a exigência da política educacional não diga respeito ao caráter público e gratuito da mesma, sobretudo, no nível superior, é pertinente destacar como este caráter público tem sido paulatinamente descuidado frente à priorização do interesse privado. Portanto, significa dizer que no contexto atual essa política está se tornado cada vez mais inacessível e sua qualidade cada vez mais negligenciada, sobretudo, pela proposta do projeto neoliberal, que nos últimos anos do século XXI tem constantemente flexibilizado a educação superior. Neste sentido, o presente artigo tem como objetivo refletir sobre a precarização do ensino superior, tendo como centralidade a educação como mercadoria com o coroamento do ensino a distancia - EAD. Trata-se de uma revisão bibliográfica que se fundamenta nas discussões teóricas, a partir do direcionamento de principais autores e pesquisadores que no processo investigativo discutem a temática. Os debates possibilitam mostrar as transformações feitas pela perspectiva neoliberal através da implantação do Estado mínimo e da privatização da espera pública, ajustando, portanto, a educação ao modelo de reestruturação produtiva, à qual é oriunda da nova base técnica e dos processos de globalização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABMES – Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior. Ofício encaminhado ao Ministro da Educação, em 17 de abril de 2007. Disponível em: http://www.abmes.org.br/Textos/Manuais/PDE/PDE_ABMES.pdf. Acesso em: 30 maio de 2016.

ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância. Disponível em: http://www.abed.org.br. Acesso em: 30 maio de 2016.

ABRAEAD - Anuário Brasileiro Estatístico de Educação Aberta e a Distância, 2008 Coordenação: Fábio Sanchez. -- 4. ed. -- São Paulo: Instituto Monitor, 2008. Disponível em: http://www.abraead.com.br/anuario/anuario_2008. pdf. Acesso em: 30 maio de 2016.

ALMEIDA, S. A. de; WOLFF, S. “Novas tecnologias e o trabalho docente na modalidade ensino a distância”, In: Anais do VI Seminário do Trabalho: Trabalho, Economia e Educação no Século XXI, Marília, UNESP, 2008. Disponível em: http://www.estudosdotrabaho.org/anais6seminariodotrabalho/sergioantunesdealemida,pdf. Acesso em: 2 jun. 2016.

BRASIL, INEP. INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS/MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (INEP/MEC). Censo da educação superior 2008: resumo técnico. Brasília, DF, 2009. Disponível em: <http://www.inep.gov.br/imprensa/noticias/censo/superior/arquivo08.htm>. Acesso em: 06 maio. 2016.

__________. Decreto n. 2.494, de 10 de fevereiro de 1998. Regulamenta o Art. 80 da lei n. 9.394. Brasília, DF: MEC, [200-]. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seed/ arquivos/pdf/tvescola/leis/D2494.pdf>. Acesso em: 06 de maio de 2016.

__________. Decreto n. 2.561, de 27 de abril de 1998. Altera a redação dos Artigos 11 e 12 do Decreto n. 2.494, de 10 de fevereiro de 1998, que regulamenta o disposto no Artigo 80 da Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília, DF: MEC, [200-]. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/tvescola/leis/D2561.pdf>. Acesso em: 26 maio. 2016.

__________. Decreto 5.622. Regulamenta o Art. 80 da Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: www.planalto.gov.br Acesso em: 24 de maio de 2016.

____________. Lei nº 5.540, de 28 de novembro de 1968. Fixa normas de organização e funcionamento do ensino superior e sua articulação com a escola média e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, 29 nov. 1968.

__________. Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf. Acesso em: 6 maio de 2016.

____________. Constituição Federal de 1988. Disponível em: BRASIL. Congresso Nacional.

__________. Portaria Normativa n. 2, de 10 de janeiro de 2007. Dispõe sobre os procedimentos de regulação e avaliação da educação na modalidade a distância. Brasília, DF, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/>. Acesso em: 10 maio.2016.

__________. Portaria n. 4.361, de 29 de dezembro de 2004. Resolve, tendo em vista a Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996; a Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001; a Lei n° 10.861, de 14 de abril de 2004; a Lei n° 10.870, de 19 de maio de 2004; o Decreto n° 3.860, de 9 de julho de 2001; o Decreto n° 5.255, de 1° de outubro de 2004; o Decreto n° 2.494, de 10 de fevereiro de 1998; a Lei n° 9.784, de 29 de janeiro de 1999; a Portaria Ministerial n° 2.051, de 9 de julho de 2004; a Portaria Ministerial n° 3.643, de 9 de novembro de 2004. Brasília: MEC, 2004. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/port_4361.pdf>. Acesso em: 10 de maio. de 2016.

BELLONI, Maria Luiza. Ensaio sobre educação a distância no Brasil. Educação & Sociedade. Campinas, n. 78, abr, 2002.

CALDERÓN, Adolfo Ignácio. Universidades Mercantis: a institucionalização do mercado universitário em questão. São Paulo Perspec. vol.14 no.1 São Paulo Jan./Mar, 2000.

CIRIGLIANO, G. F. J. La educacion abierta. Buenos Aires: El Ateneo, 1993.

COSTA, Gilmaisa M.; PREDES, Rosa; SOUZA, Reivan (orgs.). Crise contemporânea e serviço social. Maceió: EDUFAL, 2010.

FASUBRA. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Tese de Universidade. Rio de Janeiro: FASUBRA, 1988.

GENTILLI, P. “Três Teses sobre a Relação Trabalho e Educação em Tempos Neoliberais”. In: Capitalismo, Trabalho e Educação. 3ª ed. Campinas, SP: Autores Associados, HISTEDBR, 2005, p. 45 a 59.

GIOLO, Jaime. A Educação à distância e a formação de professores. Educ. Soc., Campinas, vol. 29, n. 105, p. 1211-1234, set./dez. 2008. Disponível em http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em 01 de jul. de 2016.

LIMA, Kátia. Expansão da Educação superior brasileira na primeira década do novo século. In: Pereira, Larissa; Almeida, Ney Luiz Teixeira (orgs). Coletânea Nova de Serviço Social. Rio de Janeiro; Lumen Juris, 2013. P 11-34.

MANACORDA, M. A. História da educação: da Antiguidade aos nossos dias. Tradução Gaetano Lo Mônaco. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1989.

MARTINS, Carlos Benedito. A reforma universitária de 1968 e a abertura para o ensino superior privado no Brasil. Educação e Sociedade, Campinas, v. 30, n. 106, abr. 2009. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302009000100002&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 26 de maio. 2016.

MELLO, Noval Benayon. Desigualdades sociais e políticas públicas na região norte. In: Zimerman, Artur (org). Educação em pauta. Santo André: Universidade Federal do ABC, 2013, p.12-34.

MILL, D. R; SANTIAGO, C. F; & VIANA, I. D. Trabalho Docente na Educação à Distância: Condições de Trabalho e Implicações Trabalhistas. Revista Extra-Classe, 2008. p. 56-76.

MORA, José Ginés. O processo de modernização das universidades europeias: o desafio da sociedade do conhecimento e da globalização. In: AUDY, Jorge. Luis, Ncicolas; MOROSINI, Marília Costa (orgs). Inovação e empreendedorismo na universidade. Porto Alegre. EDIUCRS, 2006, P. 116-152.

NETTO, José Paulo Ditadura e serviço social: uma análise do serviço social no Brasil pós-64. 16. Ed. São Paulo: Cortez, 2011.

PEREIRA, Dahmer Larissa. Expansão dos cursos de Serviço Social na modalidade EAD no Brasil: análise da tendência à desqualificação profissional. In: Pereira, Larissa; Almeida, Ney Luiz Teixeira (orgs). Coletânea Nova de Serviço Social. Rio de Janeiro; Lumen Juris, 2013. p.55-73.

SAVIANI, D. O “Plano de Desenvolvimento da Educação: análise do projeto MEC”. Revista Educação e Sociedade, Campinas/SP, v.28, nº 100 (especial), p.1231-1255, out.2007.

SANTOS, F.C.A. A universidade do novo milênio. Porto Alegre, Correio do Povo, 27 de novembro de 2009.

SILVA JR, João dos Reis & SGUISSARDI, Valdemar. Novas faces da educação superior no Brasil. Reforma do estado e mudanças na produção. São Paulo: Cortez, 2001.

SIMONSON, Michael. In: BARBERÀ, Elena (coord). Educación abierta y a distancia. Barcelona: UOC, 2006.

TONEGUTTI, Claudio Antonio. Ensino à Distância no Brasil: aspectos da realidade para estudantes e docentes. In: Universidade e Sociedade/Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior – Ano XIX nº 45 – Janeiro de 2010, p. 61-72.

TRINDADE, Hélgio. A república em tempos de reforma universitária: o desafio do Governo Lula. Revista Educação e Sociedade. Campinas, v. 25, n. 88, out 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302004000300009&lng=pt&nrm=iso Acesso em: 26 de maio.2016.

Publicado
2018-03-02
Como Citar
Alberto Lopes, M. G. (2018). A MERCANTILIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR NO CONTEXTO ATUAL: CONSIDERAÇÕES PARA O DEBATE. Interfaces Científicas - Educação, 6(2), 29–44. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2018v6n2p29–44
Seção
Artigos