O TUTORIAL (MENTORING) NA FORMAÇÃO DO ENFERMEIRO

Ana Paula Rebelo Aquino Rodrigues, Maria Viviane Lisboa de Vasconcelos, Renato Santos Rodarte

Resumo


Este estudo propôs demonstrar o tutorial (mentoring) como metodologia de aprendizagem para a formação em Enfermagem. Realizou-se um Estudo de Caso com abordagem metodológica quantitativa e qualitativa. Os sujeitos da pesquisa foram os estudantes do segundo e quinto ano de um curso em enfermagem. A construção dos dados se deu por meio de um questionário estruturado e descrição de uma situação-problema. Os dados quantitativos foram analisados pelo teste não paramétrico de Kruskal Wallis e os dados construídos por meio da resposta à  situação problema foram submetidos a  análise de conteúdo. Os resultados mostraram a contribuição positiva do tutorial na formação do enfermeiro possibilitando o desenvolvimento de um pensamento crítico e mais autonomia ao tratar da realidade.  


Palavras-chave


Tutorial; Metodologias; Aprendizagem.

Texto completo:

PDF

Referências


ARGÜIS, R. et al. Tutoria: com a palavra, o aluno. Tradução: Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2002. v. 6.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução de Luis Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2011.

BELLODI, P. L.; MARTINS, M. A. Tutoria: mentoring na formação médica. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2005.

BRASIL. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 20 set. 1990. Disponível em < http://conselho.saude.gov.br/ legislacao/lei8080_190990.htm>. Acesso em: 26 out. de 2011.

COLARES, M. F. A. Construção de um instrumento para avaliação das atitudes de estudantes de medicina frente a aspectos relevantes da prática médica. RBEM. Rio de Janeiro, v. 26, n. 194 p. 194-203, set./dez. 2002.

FERNANDES, J. D. et al . Diretrizes curriculares e estratégias para implantação de uma nova proposta pedagógica. Rev. Esc. Enferm. USP, São Paulo, v. 39, n. 4, dez. 2005. Disponível em: . Acesso em: 8 set. 2012. http://dx.doi.org/10.1590/S0080 62342005000400011.

FEURWERKER, L.C.M. Educação dos profissionais de saúde hoje- problemas, desafios, perspectivas e as propostas do Ministério da Saúde. Revista da Associação Brasileira de Ensino Odontológico: Paraná, 2003. p. 24-27

FREIRE, P. Educação e mudança. Tradução: Moacir Gadotti e Lilian Lopes Martin, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

GOMES, M. P. C. et al . O uso de metodologias ativas no ensino de graduação nas ciências sociais e da saúde: avaliação dos estudantes. Ciênc. Educ. (Bauru), Bauru, v. 16, n. 1, 2010. Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2013. http://dx.doi.org /10. 1590/S1516-73132010000100011.

GOPEE, N. Mentoring and supervision in healthcare. 2. ed. London: SAGE, 2011.

KOMATSU, R. S. et al. Guia do processo de ensino-aprendizagem: aprender a aprender. 4. ed. Marília: Faculdade de Medicina de Marília, 2003.

MITRE, Sandra Minardi et al . Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciênc. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro , v. 13, supl. 2, Dec. 2008. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2014. http://dx.doi.org/

1590/S1413-81232008000900018.

NOBREGA-THERRIEN, S. M. et al . Projeto Político Pedagógico: concepção, construção e avaliação na enfermagem. Rev. Esc. Enferm. USP, São Paulo, v. 44, n. 3, Sept. 2010 . Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342010000300018.

RIBEIRO, J. G. C. G. Prática docente: intervenções de facilitação nos processos de aprendizagem. Maceió: EDUFAL, 2009.

SANTANA, C.S. et al . Reflexões sobre a prática de tutoria com estudantes de terapia ocupacional. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, June 2009 . Disponível em: from . Acesso em: 4 nov. 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S198177462009 000100009.

SANTOS, S. S.C. Perfil de egresso de Curso de Enfermagem nas Diretrizes Curriculares Nacionais: uma aproximação. Rev. Bras. Enferm., Brasília, v. 59, n. 2, Apr. 2006 . Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S0034 71672006000200018.

SAUPE, R.; GEIB, L.T. C. Programas tutoriais para os cursos de enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 10, n. 5, Oct. 2002 . Disponível em: . Acesso em: 8 set. 2012. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692002000500015.

SILVA, M.G. et al . Processo de formação da(o) enfermeira(o) na contemporaneidade: desafios e perspectivas. Texto Contexto - Enferm., Florianópolis, v. 19, n. 1, Mar. 2010 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S01047072010000 100021&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 7 jun. 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S01040707 2010000100021.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Tradução: Ernani F. da F. Rosa. Porto Alegre: Artmed, 1998.




DOI: https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n3p274-290


Indexada em: