CARTOGRAFÍA DE UNA RED DE SABERES: EL COTIDIANO DE UN ESPACIO SOCIAL FEMENINO EN FACEBOOK

  • Michelle Viana Trancoso Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Proped/UERJ)
  • Tania Lucía Maddalena Universidad Internacional de La Rioja
  • Edméa Santos Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

Resumo

El movimiento feminista se encuentra en una nueva fase. La cibercultura, cultura contemporánea, propone una nueva forma de comprometerse políticamente, promoviendo y organizando manifestaciones sociales. Durante las elecciones presidenciales de 2018, el candidato Jair Bolsonaro, actual presidente electo de Brasil, provocó una gran reacción por sus ideas antidemocráticas y excluyentes, representando una propuesta de gobierno moldeada por un fuerte retorno al patriarcado. El objetivo de este artículo es presentar una cartografía digital de los grupos feministas formados en la red social Facebook durante este período. Partiendo del entendimiento de los procesos cotidianos de Michel de Certeau, pretendemos comprender el cotidiano de la construcción del espacio social femenino como una red educativa, donde por medio de gestos y conversaciones, se promueve desde la literacía digital de sus usuarias hasta discusiones y problematizaciones conceptuales de interseccionalidad y machismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tania Lucía Maddalena, Universidad Internacional de La Rioja
Pesquisadora argentina, professora no Programa de Pós-graduação em Formação do Professorado (UNIR/Espanha). Doutoranda em Línguas, Literaturas, Culturas e suas Aplicações (UPV/Espanha). Dra. em Educação (Proped/UERJ), Mestre em Educação (Unicamp). Especialista em Educação e Novas Tecnologias (FLACSO/Argentina) e Bacharel em Ciências da Educação (UNLP/Argentina)

Referências

Alves, N. G. (2015) Compassos de descompassos do fazer pedagógico. In: Alexandra Garcia; Inês Barbosa de Oliveira. (Org.). Nilda Alves: praticantepensante de cotidianos. 1ªed.Belo Horizonte: Autêntica, p. 85-101.

_______. & Andrade, N. (2013) Histórias possíveis entre imagens: conhecimentos e significações na produção de vídeos em escolas. In: MARTINS, Raimundo; TOURINHO, Irene. Processos & Práticas de Pesquisa em Cultura Visual & Educação. Santa Maria: Ed. Da UFSM, p. 135-151.

________. Oliveira, I. Barbosa de. (2002) Uma história da contribuição dos estudos do cotidiano escolar ao campo de currículo. In: Alice Casimiro Lopes; Elizabeth Macedo. (Org.). Currículo: debates contemporâneos. 1ªed. São Paulo: Cortez, v. 2, p. 78-102.

Amadeu, S. O. (2017) Governo dos Algoritmos. In: Poder Político e Gestão Pública: questões e debates contemporâneos. Revista de Políticas Públicas. EDUFMA, v. 21, n. 1, p. 267-282, jan./jun. Disponible en: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/

Amante, L. (2014) Facebook e novas sociabilidades: contributos da investigação. In: PORTO, C., and SANTOS, E., orgs. Facebook e educação: publicar, curtir, compartilhar [online]. Campina Grande: EDUEPB, pp. 27-46.

Brown, A. (2017) As histórias em quadrinhos, sua linguagem e inserção nas práticas de ensino com as tics. In: SANTOS, E.; SANTOS, R.; PORTO. C. Múltiplas Linguagens nos Currículos. João Pessoa: UFPB.

Certeau, M. (2014) A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 2014.

Certeau, M.; Giard, L.; Mayol, P. (2013). A invenção do cotidiano: 2. Morar, cozinhar. Petrópolis: Vozes.

Certeau, M. (2012). A Cultura no plural. Campinas: Papirus.

Deleuze, G. (2018) Aula sobre Spinoza. Disponible en: http://www.webdeleuze.com/php/texte.php.

Deleuze, G.; Guattari, F. (1992) O que é a Filosofia? Trad. Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Muñoz. São Paulo: Editora 34.

Freud, S. (2010) O mal-estar na civbilização. En: Obras completas, v. 18, trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras: p. 13:122.

Hollanda, H. Buarque de. (2018) Explosão feminista: arte, cultura, política e universidade. São Paulo: Companhia das Letras.

Safatle, V. (2018) O circuito dos afetos: corpos políticos, desamparo e o fim do indivíduo. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

Santos, E. (2017) Letramento digital: por uma atuação autoral na cibercultura. In: SANTOS, E.; SANTOS, R.; PORTO. C. Múltiplas Linguagens nos Currículos. João Pessoa: UFPB.

Santaella, L. (2013) Comunicação ubíqua: repercussões na cultura e educação. São Paulo: Paulus.

Silva, M. (2014) Sala de Aula Interativa. São Paulo: Edições Loyola.

Oliveira, I. Barbosa de. (2006) Boaventura e a educação. Belo Horizonte: Autêntica.

Publicado
2020-04-23
Como Citar
Trancoso, M. V., Maddalena, T. L., & Santos, E. (2020). CARTOGRAFÍA DE UNA RED DE SABERES: EL COTIDIANO DE UN ESPACIO SOCIAL FEMENINO EN FACEBOOK. Interfaces Científicas - Educação, 8(2), 249-270. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n2p249-270
Seção
Dossiê