A IMPORTÂNCIA DA INFORMAÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA DE SAÚDE E A ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO VES-13 EM IDOSOS

Autores

  • Yara Beatriz Razente Unicesumar (Universidade de Maringá) https://orcid.org/0000-0003-4319-6421
  • Rafaela Gorla Finati Acadêmica do Curso de Medicina, Unicesumar, Maringá, PR, Brasil
  • Gabriel de Lazary Castro Acadêmico do Curso de Medicina, Unicesumar, Maringá, PR, Brasil
  • Maria Tereza Soares Rezende Lopes Mestre em Enfermagem, docente do curso de Medicina Unicesumar, Maringá, PR, Brasil
  • Ana Cláudia Baladelli Silva Cimardi Doutora em Odontologia em Saúde Coletiva, docente do curso de Medicina Unicesumar, Maringá,PR, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.17564/2316-3798.2021v8n3p201-215

Palavras-chave:

Idoso, Atenção Primária à Saúde, Análise de Vulnerabilidade

Resumo

Com o aumento da população idosa no Brasil e no mundo, tornou-se imprescindível identificar suas fragilidades, para organizar e direcionar o cuidado em saúde. O objetivo deste trabalho foi analisar idosos atendidos em uma Unidade Básica de Saúde de município do norte do Paraná- Brasil, segundo sua estratificação de risco e condições de saúde autorreferidas, com informações de perfil sociodemográfico, escolaridade, comorbidades associadas (diabetes, hipertensão, tabagismo, etilismo), entre outros. Além disso, buscou-se realizar o mapeamento dos idosos estratificados na área de abrangência da unidade. Trata-se de um estudo exploratório-descritivo, quantitativo, realizado em 2019, que envolveu 180 idosos atendidos por demanda espontânea. Para estratificação utilizou-se a ferramenta Vulnerable Elders Survey-13 (VES-13), o qual identificou que 40,0% dos idosos do estudo eram de baixo risco, 13,3% médio risco, 36,1% alto risco e 10,5% não tinham esta informação. Importante ressaltar que muitas informações não estavam disponíveis nos sistemas de informação, nos cadastros e nos documentos da unidade, o que dificultou a análise de alguns dados. Observou-se, entre os principais resultados, que dentre as informações disponíveis, 81,9% não possuíam nenhum tipo de deficiência, 3,3% faziam uso do tabaco, 30,4% se diziam diabéticos, 64,1% hipertensos, 21,7% apresentavam cardiopatias e 13% doenças renais. Conclui-se, portanto, a importância da atenção primária na estratificação e no acompanhamento da população idosa, bem como na necessidade de melhorar o registro de dados, com a finalidade de implementar o trabalho das equipes, pois compreende-se que a escassez de informações é fator limitante de análise e planejamento.

Biografia do Autor

Yara Beatriz Razente, Unicesumar (Universidade de Maringá)

Acadêmica do curso de medicina Unicesumar, Maringá, PR, Brasil

Downloads

Publicado

2021-08-03

Como Citar

Razente, Y. B., Finati , R. G. ., Castro, G. de L. ., Lopes, M. T. S. R. ., & Cimardi, A. C. B. S. . (2021). A IMPORTÂNCIA DA INFORMAÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA DE SAÚDE E A ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO VES-13 EM IDOSOS. Interfaces Científicas - Saúde E Ambiente, 8(3), 201–215. https://doi.org/10.17564/2316-3798.2021v8n3p201-215

Edição

Seção

Artigos