ANÁLISE MICROBIOLÓGICA, FÍSICO-QUÍMICA, SENSORIAL E DA ROTULAGEM DE MANTEIGA DE GARRAFA COMERCIALIZADA EM ARACAJU – SE

Autores

  • Patrícia Aragão Silva Instituto Federal de Sergipe - IFS Campus Glória
  • João Batista Barbosa Instituto Federal de Sergipe - IFS Campus Glória
  • Cláudia Lúcia de Oliveira Pinto Pesquisadora aposentada – Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais – EPAMIG e Colaboradora do Grupo de Pesquisa TecPA do Instituto Federal de Sergipe, Campus Glória – SE.
  • Simone Vilela Talma Instituto Federal de Sergipe - IFS Campus Glória

DOI:

https://doi.org/10.17564/2316-3798.2021v8n3p138-150

Palavras-chave:

Manteiga da terra, Testes afetivos, Legislação de alimentos, Diagnóstico.

Resumo

A manteiga de garrafa é tradicionalmente produzida na região nordeste do Brasil. Entretanto, a conformidade do produto com os padrões de identidade e qualidade constitui um dos entraves da cadeia produtiva. Desta forma, o nosso objetivo foi realizar um diagnóstico da qualidade e da rotulagem de manteiga de garrafa comercializada no mercado municipal de Aracaju, SE. Amostras indicativas de três procedências foram submetidas a avaliações microbiológicas, físico-químicas, colorimétrica, sensorial e de rotulagem no IFS, Campus Glória. Todas as amostras atenderam os padrões legais para coliformes termotolerantes e acidez. Entretanto, apresentaram inconformidades quanto aos teores de gordura e de umidade. Por meio da análise sensorial constatou-se baixo grau de aceitação associado aos atributos viscosidade e sabor com escore médio de 5,6 e 5,9, respectivamente. Porém, a baixa aceitação não afetou a impressão global das amostras as quais obtiveram escore médio acima de 6,0 com base na escala hedônica, sendo a maior nota observada para o atributo cor (6,8). Todas as amostras estavam em desacordo com as exigências legais de rotulagem. Considerando que a manteiga de garrafa é um produto artesanal muito usada para elaboração de comidas típicas da região Nordeste, há necessidade de ações, por parte dos órgãos de regulamentação, voltadas para a orientações técnicas dos processadores para fins de adequação e padronização da tecnologia de fabricação. Ressalta-se também que os resultados podem servir de alerta para uma melhor inspeção do produto pelos órgãos competentes para garantir o acesso dos consumidores a um produto dentro dos padrões de segurança alimentar.

Biografia do Autor

Patrícia Aragão Silva, Instituto Federal de Sergipe - IFS Campus Glória

Tecnóloga em Laticínios pelo Instituto Federal de Sergipe - IFS Campus Glória

João Batista Barbosa, Instituto Federal de Sergipe - IFS Campus Glória

Docente do Instituto Federal de Sergipe – IFS, Campus Glória.

Simone Vilela Talma, Instituto Federal de Sergipe - IFS Campus Glória

Docente do Instituto Federal de Sergipe – IFS, Campus Glória.

Downloads

Publicado

2021-06-21

Como Citar

Silva, P. A., Barbosa, J. B., de Oliveira Pinto, C. L., & Talma, S. V. (2021). ANÁLISE MICROBIOLÓGICA, FÍSICO-QUÍMICA, SENSORIAL E DA ROTULAGEM DE MANTEIGA DE GARRAFA COMERCIALIZADA EM ARACAJU – SE. Interfaces Científicas - Saúde E Ambiente, 8(3), 138–150. https://doi.org/10.17564/2316-3798.2021v8n3p138-150

Edição

Seção

Artigos