PERFIL DOS ÓBITOS POR AGRESSÃO EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO ESTADO DE SERGIPE

  • Fernanda Kelly Fraga Oliveira Professora Assistente na Universidade Tiradentes. Biomédica e Enfermeira. Mestre em Saúde e Ambiente.
  • Lourivânia Oliveira Melo Prado Professora Assistente na Universidade Tiradentes. Enfermeira Obstétrica. Mestre em Saúde e Ambiente
  • Henrique Soares Silva Professor Assistente na Universidade Tiradentes. Médico. Mestre em Saúde e Ambiente.
  • Francisco Prado Reis Professor do Programa de Pós-Graduação em Saúde e Ambiente (PSA), Universidade Tiradentes. Médico. Pós-doutorado pelo Institut Pasteur de Lyon – França
  • Sonia Oliveira Lima Professora do Programa de Pós-Graduação em Saúde e Ambiente (PSA), Universidade Tiradentes. Médica. Doutora em Medicina Clínica Cirúrgica.
  • Íkaro Daniel de Carvalho Barreto Estatístico. Mestre em Biometria e Estatística Aplicada.

Resumo

A violência contra crianças e adolescentes é um problema mundial de saúde pública. A cada 7 minutos, uma criança e adolescente é vítima de violência no mundo. Estudos internacionais indicaram que 91% das mortes por armas de fogo de crianças entre 0 e 14 anos ocorrem nos Estados Unidos em relação aos outros países de renda alta. Sergipe, Rio Grande do Norte e Alagoas tiveram maior índice de violência em 2016. O objetivo deste estudo foi estabelecer o perfil dos óbitos por agressão em crianças e adolescentes no estado de Sergipe. Trata-se de um estudo de coorte, de caráter descritivo e analítico com abordagem quantitativa, realizado por meio de coleta de dados nos 75 municípios do estado de Sergipe. As informações foram obtidas a partir do banco de dados do Ministério da Saúde, no Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde e no Sistema de Informação sobre Mortalidade. Dos 2910 (100%) registros de mortes de crianças e adolescentes entre 0 e 18 anos no recorte temporal de 2007 a 2016, foi observado que (60,1%) das ocorrências acometeram adolescentes entre 17 e 18 anos, (92,4%) do sexo masculino, (87,3%) cor/raça parda, (2%) estado civil casado, com 4 a 7 anos de estudo, (53,0%) das agressões ocorreram na região de saúde Aracaju, (54,3%) no período noturno, sendo que (84,5%) foram por arma de fogo. A agressão destaca-se com magnitude e prevalência de ocorrência dos casos de óbitos e o adolescente apresenta-se como principal vítima.

Biografia do Autor

Fernanda Kelly Fraga Oliveira, Professora Assistente na Universidade Tiradentes. Biomédica e Enfermeira. Mestre em Saúde e Ambiente.
Professora Assistente na Universidade Tiradentes. Biomédica e Enfermeira. Mestre em Saúde e Ambiente. Avenida Augusto Franco nº 2000, Condomínio Vivendas de Aracaju, quadra 14 lote 19, bairro Siqueira Campos, Aracaju/SE, Brasil, fernanda.fraga@souunit.com.br, (79) 99909-2627. Agressão como causa externa de óbitos em crianças e adolescentes no estado de Sergipe. Programa de Pós-Graduação em Saúde e Ambiente (PSA), Universidade Tiradentes, 2019.
Publicado
2020-11-12
Como Citar
Fraga Oliveira, F. K., Prado, L. O. M., Silva, H. S., Reis, F. P., Lima, S. O., & Barreto, Íkaro D. de C. (2020). PERFIL DOS ÓBITOS POR AGRESSÃO EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO ESTADO DE SERGIPE. Interfaces Científicas - Saúde E Ambiente, 8(2), 297-312. https://doi.org/10.17564/2316-3798.2020v8n2p297-312
Seção
Artigos