ANÁLISE DO PERFIL OCUPACIONAL DOS PORTADORES DE DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM SERGIPE

Giselle Santana Dosea, Cristiane Costa da Cunha Oliveira, Sônia Oliveira Lima, William Alves de Oliveira

Resumo


A sociedade moderna, através das exigências por produtividade e competitividade, faz do trabalhador um indivíduo exposto a doenças ocupacionais, como Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT). Estas doenças, causadas pelo trabalho extenuante, sem pausas e sem condições ergonômicas, podem gerar altos índices de absenteísmo e aposentadorias precoces. Sendo assim, o objetivo desta pesquisa foi identificar o perfil ocupacional dos trabalhadores portadores de DORT de Sergipe. A amostra incluiu todos os trabalhadores dos Centros de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST) do estado de Sergipe, no ano de 2013, comprovadamente portadores de DORT, com diagnóstico médico de algum dos agravos que constam na lista de doenças relacionadas ao trabalho do Ministério da Saúde e do Ministério da Previdência Social, com exclusão dos portadores de transtornos mentais graves, doenças degenerativas e reumatológicas. A coleta dos dados foi feita através da Ficha de Investigação de Doenças Relacionadas ao Trabalho, utilizada como base para a notificação dos casos de DORT pelos CEREST´s. Os resultados demonstraram um perfil ocupacional de mulheres, com faixa etária entre 35 e 45 anos, profissão de costureira, com predominância de sintomatologia nos membros superiores, que trabalham mais de 6 horas por dia, e sem pausas. Sugere-se outros estudos com base de dados primários e entrevista direta com essa população, que permitam a avaliação de sintomas dos DORT e do nível de qualidade de vida dos sujeitos, bem como a análise do ambiente laboral.

Palavras-chave


Transtornos Traumáticos Cumulativos; Saúde do Trabalhador; Epidemiologia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2316-3798.2015v3n2p57-64


Indexada em: