ISOLAMENTO E IDENTIFICAÇÃO DE PARASITAS ENCONTRADOS NAS VERDURAS DOS PRINCIPAIS SUPERMERCADOS DE MACEIÓ/ AL

  • Anacássia Fonseca de Lima Centro Universitário Tiradentes
  • Sarah Maria Tenório dos Santos Centro Universitário Tiradentes
  • Bruna Lísia Pereira Soares Centro Universitário Tiradentes – UNIT
  • Renata Almeida Rocha Maria Centro Universitário Tiradentes – UNIT
  • Antônio Fernando Silva Xavier Junior Centro Universitário Tiradentes – UNIT
Palavras-chave: enteroparasitoses, hortaliças, subdesenvolvimento

Resumo

Estudos realizados no Brasil têm verificado a possibilidade de contaminação alimentar por helmintos e protozoários devido à ingestão de hortaliças consumidas cruas, provenientes de áreas cultivadas e contaminadas por dejetos fecais. Uma vez que as hortaliças são amplamente comercializadas seu consumo de forma in natura constitui um importante meio de transmitir parasitas intestinais. Os vegetais que crescem em solos poluídos podem carregar ovos, larvas, cistos ou oocistos de parasitas, que ao serem ingeridos provocam enteroparasitoses, tendo como consequência doenças como: Balantidíase (Balantidium coli), Amebíase (Entamoeba histolytica) Ancilostomíase (larva de ancilostomídeo) e outras parasitoses. Frente a essa realidade, esta investigação visou pesquisar a contaminação parasitológica de hortaliças vendidas nos principais supermercados da cidade de Maceió/AL. Um total de 171 amostras de hortaliças foi selecionado aleatoriamente dos supermercados e, em seguida, foi examinado por método de concentração. Os enteroparasitos foram identificados através do estudo de sua micromorfologia. Foram encontrados: trofoito de Balantidium coli (61,98%), cisto de Entamoeba histolytica (8,77%), cisto de Entamoeba coli (6,43%), cisto de Endomilax nana (1,16%), Ovo de Ancilostomídeo (20,46%), Larva de Ancilostomídeo (19,29%), Larva de Strongyloides stercoralis (14,03%) e Ovo de Schistossoma mansoni (1,16%). Estes resultados indicam que existe uma intensa contaminação parasitaria nas hortaliças comercializadas em Maceió, é necessário melhorar as condições sanitárias destes tipos de alimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anacássia Fonseca de Lima, Centro Universitário Tiradentes
Mestre em Patologia pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, Docente do Centro Universitário Tiradentes
Sarah Maria Tenório dos Santos, Centro Universitário Tiradentes
Graduanda em Biomedicina pelo Centro Universitário Tiradentes – UNIT
Bruna Lísia Pereira Soares, Centro Universitário Tiradentes – UNIT
Graduanda em Biomedicina pelo Centro Universitário Tiradentes – UNIT
Renata Almeida Rocha Maria, Centro Universitário Tiradentes – UNIT
Especialista em Hematologia pela Universidade de Guarulhos – UNG, Docente do Centro Universitário Tiradentes
Antônio Fernando Silva Xavier Junior, Centro Universitário Tiradentes – UNIT
Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde- PPGCS. Docente do Centro Universitário Tiradentes

Referências

- ALVES, A. S.; NETO, A. C.; ROSSIGNOLI, P. A.; Parasitos em alface-crespa, de plantio convencional, comercializada em supermercados de Cuiabá. MG. Rev Patol Trop Vol. 42 (2): 217-229. abr.-jun. 201, Minas Gerais, 2013. Disponível em: http://www.revistas.ufg.br/index.php/iptsp/article/viewFile/25529/14678.

- BENCKE, A.; ARTUSO, G. L.; REIS, R. S.; BARBIERI, N. L.; ROTT, M. B.; Enteroparasitoses em escolares residentes na periferia de porto alegre, RS. Vol. 35 (1): 31-36. jan.-abr. Rio Grande do Sul, 2006. Disponível em: http://revistas.ufg.br/index.php/iptsp/article/view/1890/1805.

- CASTRO JM, SANTOS SV, MONTEIRO NA. Contaminação de canteiros da orla marítima do Município de Praia Grande, São Paulo, por ovos de Ancylostoma e Toxocara em fezes de cães. Rev Soc Bras Med Trop. 2005; 38(2):199-201.

- CAVALCANTE MS, CORRÊA EA. Avaliação parasitológica e condições higiênico-sanitárias de hortaliças comercializadas na cidade de Cruzeiro do Sul, Acre, Brasil.RevPri [periódico online] 2010; 28(262):1-11.

- CARVALHO, S.M.S.; GONÇALVES, F.A.; CAMPOS FILHO P.C.; GUIMARÃES, E.M.; CÁCERES, A.P.S.G.; Souza YB, VIANNA, L.C.; Adaptação do método de Rugai e colaboradores para análise de parasitas do solo, 2005. Rev Soc Bras Med Trop. 2005; 38(3):270-271.

- COELHO LMPS, OLIVEIRA SM, MILMAN MHSA, KARASAWA KA, ET AL. Detecção de formas transmissíveis de enteroparasitas na água e nas hortaliças consumidas em comunidades escolares de Sorocaba, São Paulo, Brasil. RevSocBrasMed Trop. [periódico online] 2001; 34(5):479-482. Disponível em://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v34n5/5998.pdf

- FERNANDES, N. S.; GUIMARÃES, H. R.; AMORIM, A. C. S; REIS, M. B.; Avaliação parasitológica de hortaliças: da horta ao consumidor final, Revista Saúde e Pesquisa, v. 8, n. 2, p. 255-265, maio/ago. 2015 - ISSN 1983-1870 - e-ISSN 2176-9206.

- FERREIRA, H.; LALA, E. R. P.; MONTEIRO, M. C.; RAIMONDO , M. L.; Estudo epidemiológico localizado da freqüência e fatores de risco para enteroparasitoses e sua correlação com o estado nutricional de crianças em idade pré-escolar; Publ. UEPG Ci. Biol. Saúde, Ponta Grossa, 12 (4): 33-40, dez. 2006.

- GUILHERME, A. L. F.; ARAÚJO, S. M.; PUPULIM, J. E. L. J.; et al. Parasitas intestinais e comensais em indivíduos de três Vilas Rurais do Estado do Paraná, Brasil. Revista Acta Scientiarum, Maringá, v. 26, n. 2, p. 331-336, 2004.

- MONTANHER, Camila Canassa et al. Avaliação parasitológica em alfaces (Lactuca sativa) comercializadas em restaurantes Self-service por quilo, da cidade de Curitiba, Paraná, Brasil. Estud. Biol. 2007 jan/mar; 29(66):63-71, 2007.

- PRADO, S. P. T.; RIBEIRO, E. G. A.; CAPUANO, D. M.; AQUINO, A. L.; ROCHA, G. M.; BERGAMINI, A. M. M. Avaliação microbiológica, parasitológica e da rotulagem de hortaliças minimamente processadas comercializadas no município de Ribeirão Preto, SP/Brasil. Revista do Instituto Adolfo Lutz, São Paulo, v. 67, n. 3, p. 221-227, 2008.

- REY, L. Bases da Parasitologia Médica. 2 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.

- SILVA CGM, ANDRADE SAC, STAMFORD TLM. Ocorrência de Cryptosporidium spp e outros parasitas em hortaliças consumidas in natura no Recife. Ciência Saúde Coletiva. 2005; 10: 63-69.

- SOUZA, F.R; OLIVEIRA, S.L; SILVA, M.; SILVA, S.; RODRIGUES, E.; BRAGA, C.A.S.B; ET AL. Avaliação da contaminação parasitária das hortaliças in natura comercializadas em feiras livres e supermercados da cidade de Jataí-GO. Anais do XIV Seminário de Iniciação Científica; [periódico online] 2006 out. 3-5; Goiânia.

- VIEIRA, J. N.; PEREIRA, C. P.; BASTOS, C. G. G.; NAGEL, A. S.; ANTUNES, L.; VILLELA, M. M.; Parasitos em hortaliças comercializadas no sul do Rio Grande do Sul, Brasil, Rev. Ciênc. Méd. Biol., Salvador, v.12, n.1, p.45-49, jan./abr.2013.

- VOLLKOPF1 , P.C.P.; LOPES2 , F.M.R.; NAVARRO3*, I.T. Ocurrencia de parásitos intestinales en las muestras de lechuga (Lactuca sativa) consumidas en Porto Murtinho - MS. Arq. ciên. vet. zool. UNIPAR, v. 9, n. 1, p.37-40, 2006.

- WORD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Prevention and control of intestinal parasitic infections report of a WHO Expert Committee., 1999.

- WHO. World Health Organization. Training Manual: On diagnosis of intestinal parasites. Schistosomiasis and Intestinal Parasites Unit. Division of Control of Tropical Diseases. Geneva; 2004. 48p.

Publicado
2018-02-15
Como Citar
Lima, A. F. de, Santos, S. M. T. dos, Soares, B. L. P., Rocha Maria, R. A., & Xavier Junior, A. F. S. (2018). ISOLAMENTO E IDENTIFICAÇÃO DE PARASITAS ENCONTRADOS NAS VERDURAS DOS PRINCIPAIS SUPERMERCADOS DE MACEIÓ/ AL. Caderno De Graduação - Ciências Biológicas E Da Saúde - UNIT - ALAGOAS, 4(2), 47. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/fitsbiosaude/article/view/4035
Seção
Artigos