Mobilização Precoce em pacientes adultos críticos: uma revisão integrativa

  • Letícia Ferreira Medeiros Centro Universitário Tiradentes http://orcid.org/0000-0002-8518-5555
  • Ranielle De Mendonça Rocha Centro Universitário Tiradentes
  • Dandhara Henrique de Farias
  • Ana Carolina do Nascimento Calles Centro Universitário Tiradentes
  • Ana Luiza Exel Centro Universitário Tiradentes
Palavras-chave: Unidades de Terapia Intensiva, Fisioterapia, adulto.

Resumo

INTRODUÇÃO: Os pacientes críticos estão submetidos à restrição prolongada ao leito, isso gera diversas alterações negativas no organismo e na qualidade de vida. O fisioterapeuta tem um papel fundamental na reabilitação desses indivíduos, tendo em vista que, através da mobilização precoce, é possível reduzir o tempo de internação e em ventilação mecânica invasiva, bem como melhorar o nível de consciência, bem estar e funcionalidade. OBJETIVO: agregar dados sobre os efeitos e tipos de intervenções da mobilização precoce em pacientes críticos. METODOLOGIA: Foi realizada uma busca na literatura dos últimos cinco anos (do período de 2016 a 2019), com caráter qualitativo, selecionando artigos do tipo ensaio clínico, randomizados e experimentais. RESULTADOS E DISCUSSÃO: Os tipos de intervenções de mobilização precoce são variados, não há muita homogeneidade entre os estudos, sendo analisados e comparados a mobilização precoce convencional com protocolos em metas, cicloergômetro passivo e ativo, eletroestimulação, entre outros. CONCLUSÃO: Os tipos de exercícios de mobilização precoce geraram benefícios significativos, destacando-se a mobilização convencional associada a utilização do cicloergômetro e eletroestimulação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letícia Ferreira Medeiros, Centro Universitário Tiradentes
Graduanda do curso de Fisioterapia
Ranielle De Mendonça Rocha, Centro Universitário Tiradentes
Graduanda do curso de Fisioterapia
Dandhara Henrique de Farias
Fisioterapeuta Graduada pelo Centro Universitário Tiradentes
Ana Carolina do Nascimento Calles, Centro Universitário Tiradentes
Doutora em Biotecnologia em Saúde (UFAL/Rede Nordeste de Biotecnologia - RENORBIO). Mestre em Nutrição Humana pela UFAL. Docente do Centro Universitário Tiradentes – UNIT/AL.
Ana Luiza Exel, Centro Universitário Tiradentes
Doutoranda em Ciências da Saúde pela UFAL/AL. Mestre em Ciências da Saúde pela UFAL/AL. Coordenadora do Curso de Fisioterapia do Centro Universitário Tiradentes – UNIT/AL.

Referências

BRITO, M.; SILVA, L. W.; RIBEIRO, E. Mobilização precoce em pacientes adultos submetidos à Ventilação Mecânica (VM) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Revista Eletrônica Atualiza Saúde, v. 2, n. 2, p. 112–124, 2015.

BROWER, R. G. Consequences of bed rest. Critical Care Medicine, v. 37, n. 10, p. 422–428, 2009.

DANTAS, C. M. et al. Influência da mobilização precoce na força muscular periférica e respiratória em pacientes críticos. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, v. 24, n. 2, p. 173–178, 2012.

DONG, Z. et al. Early Rehabilitation Therapy Is Beneficial for Patients With Prolonged Mechanical Ventilation After Coronary Artery Bypass Surgery. International Heart Journal, v. 57, n. 2, p. 241–246, 2016.

FAN, E. Critical Illness Neuromyopathy and the Role of Physical Therapy and Rehabilitation in Critically Ill Patients. Respiratory Care, v. 57, n. 6, p. 933–946, 2012.

FELICIANO, V. et al. A influência da mobilização precoce no tempo de internamento na Unidade de Terapia Intensiva. ASSOBRAFIR Ciência, v. 3, n. 2, p. 31–42, 2012.

FRANÇA, D. C. et al. Reabilitação pulmonar na unidade de terapia intensiva: revisão de literatura. Fisioterapia e Pesquisa, v. 17, n. 1, p. 81–87, 2010.

HODGSON, C. L. et al. A binational multicenter pilot feasibility randomized controlled trial of early goal-directed mobilization in the ICU. Critical Care Medicine, v. 44, n. 6, p. 1145–1152, 2016.

KAYAMBU, G.; BOOTS, R.; PARATZ, J. Early physical rehabilitation in intensive care patients with sepsis syndromes: a pilot randomised controlled trial. Intensive Care Medicine, v. 41, n. 5, p. 865–874, 2015.

LEE, H. et al. Safety profile and feasibility of early physical therapy and mobility for critically ill patients in the medical intensive care unit: Beginning experiences in Korea. Journal of Critical Care, v. 30, n. 4, p. 673–677, 2015.

LUIZ, A. P. W.; SILVA, C. L.; MACHADO, M. C. Fisioterapia respiratória e terapia intensiva. Universidade do Sul de Santa Catarina, 2008.

MACHADO, A. DOS S. et al. Efeito do exercício passivo em cicloergômetro na força muscular, tempo de ventilação mecânica e internação hospitalar em pacientes críticos: ensaio clínico randomizado. J Bras Pneumol., v. 43, n. 2, p. 134–136, 2017.

MAFFEI, P. et al. Intensive Early Rehabilitation in the Intensive Care Unit for Liver Transplant Recipients: A Randomized Controlled Trial. Archives of Physical Medicine and Rehabilitation, v. 98, n. 8, p. 1518–1525, 2017.

MARTINEZ, B. P. et al. Declínio Funcional Em Uma Unidade De Terapia. Revista Inspirar, v. 5, n. 71, p. 1–5, 2013.

MEDRINAL, C. et al. Comparison of exercise intensity during four early rehabilitation techniques in sedated and ventilated patients in ICU: A randomised cross-over trial. Critical Care, v. 22, n. 1, p. 1–8, 2018.

MEHRHOLZ, J. et al. Physical rehabilitation for critical illness myopathy and neuropathy: An abridged version of Cochrane Systematic Review. Eur J Phys Rehabil Med Oct, v. 51, n. 5, p. 655, 2015.

MOTA, C. M.; SILVA, V. G. A segurança da mobilização precoce em pacientes críticos. Interfaces Científicas Saúde e Ambiente, v. 01, n. 1, p. 83–91, 2012.

NTOUMENOPOULOS, G. Rehabilitation during mechanical ventilation: Review of the recent literature. Intensive and Critical Care Nursing, v. 31, n. 3, p. 125–132, 2015.

PARRY, S. M.; PUTHUCHEARY, Z. A. The impact of extended bed rest on the musculoskeletal system in the critical care environment. Extreme Physiology and Medicine, v. 4, n. 1, p. 1–8, 2015.

PEDROSO, A. I. B. et al. Efeitos do Treinamento Muscular Esquelético em Pacientes Submetidos à Ventilação Mecânica Prolongada. Cogitare Enferm, v. 15, n. 1, p. 164–168, 2010.

PINHEIRO, A. R.; CHRISTOFOLETTI, G. Fisioterapia motora em pacientes internados na unidade de terapia intensiva: uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, v. 24, n. 2, p. 188–196, 2012.

REIS, G. R. et al. A importância da mobilização precoce na redução de custos e na melhoria da qualidade das Unidades de Terapia Intensiva. Revista de Atenção a Saúde, v. 16, n. 56, p. 94–100, 2018.

ROCCA, A. et al. Sympathetic activity and early mobilization in patients in intensive and intermediate care with severe brain injuries: A preliminary prospective randomized study. BMC Neurology, v. 16, n. 1, p. 1–9, 2016.

RODRIGUES, I. D. et al. Fraqueza Muscular Adquirida Na Unidade De Terapia Intensiva : Um Estudo De Coorte Muscle Weakness Acquired in the Intensive Care Unit. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, v. 8, n. 24, p. 8–15, 2010.

SARTI, T. C. et al. Mobilização precoce em pacientes críticos Early mobilization in critical patients. J. Health Sci. Inst, v. 34, n. 3, p. 177–82, 2016.

SCHWEICKERT, W. D. et al. Early physical and occupational therapy in mechanically ventilated, critically ill patients: a randomised controlled trial. The Lancet, v. 373, n. 9678, p. 1874–1882, 2009.

SIBINELLI, M. et al. The effects of orthostatism in adult intensive care unit patients. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, v. 24, n. 1, p. 64–71, 2012.

SILVA, V. S. et al. Mobilização na Unidade de Terapia Intensiva: revisão sistemática. Fisioterapia e Pesquisa, v. 21, n. 4, p. 398–404, 2014.

Publicado
2020-04-13
Como Citar
Medeiros, L. F., Rocha, R. D. M., de Farias, D. H., Calles, A. C. do N., & Exel, A. L. (2020). Mobilização Precoce em pacientes adultos críticos: uma revisão integrativa. Caderno De Graduação - Ciências Biológicas E Da Saúde - UNIT - ALAGOAS, 6(1), 75. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/fitsbiosaude/article/view/6674
Seção
Artigos