Diagnóstico diferencial da hipertensão arterial sistêmica versus o feocromocitoma

  • Wbiratan de Lima Souza Faculdade Integrada Tiradentes - FITS
  • Júlia Leite Lima Graduanda do Curso Bacharel em Enfermagem da Faculdade Integrada Tiradentes - FITS
  • Alexandre Pinto de Farias Graduando do Curso Bacharel em Enfermagem da Faculdade Integrada Tiradentes - FITS
  • Louise Santos Lopes Graduanda do Curso Bacharel em Enfermagem da Faculdade Integrada Tiradentes - FITS
  • Rosane Lopes da Costa Graduanda do Curso Bacharel em Enfermagem da Faculdade Integrada Tiradentes - FITS
Palavras-chave: Hipertensão arterial sistêmica, diagnóstico diferencial, feocromocitoma.

Resumo

A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é considerada um dos grandes problemas de saúde pública no mundo por ser a mais frequente das doenças cardiovasculares. O diagnóstico diferencial da hipertensão é extremamente relevante para que possíveis causas secundárias sejam eliminadas ou encontradas. O feocromocitoma é tumor considerado uma das causas de hipertensão arterial secundária. O estudo tem como objetivo geral analisar o conhecimento produzido e publicado acerca do diagnóstico diferencial da HAS, com enfoque no diagnóstico do feocromocitoma. Trata-se de uma revisão integrativa que sintetizou o conhecimento produzido acerca do diagnóstico diferencial da HAS com enfoque no feocromocitoma. As fontes consultadas foram SCIELO e LILACS. Foram identificadas 349 produções escritas de 1990 a 2011, sendo utilizadas 14 produções como amostra do estudo no período de 1997 a 2007. Os periódicos da Região Sudeste concentram mais produções, com 71.43%, 100% dos artigos compreendem a área de medicina e 64,29% das obras são relatos de caso. Portanto, é imprescindível o diagnóstico diferencial nos pacientes com HAS para que possíveis fatores secundários que causam a pressão alta sejam identificados de forma precoce e tratados corretamente, promovendo dessa forma uma melhor qualidade na assistência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wbiratan de Lima Souza, Faculdade Integrada Tiradentes - FITS

Especialista em Emergência Geral pela UNCISAL/UEDH (Modalidade Residência);

Especialista em Enfermagem do Trabalho – IBPEX;

Cursando Esp. Em Enfermagem Obstétrica - FIP;

Acadêmico  de Psicologia da UFAL;

Docente do Curso de Graduação em Enfermagem da UNCISAL e FITS;

Docente do Curso de Pós-Graduação da FIP, ATUALIZA, e Espaço Enfermagem;

Coordenador da Pós-Graduação em Urgência, Emergência e UTI – FITS;

Mestrando em Educação para a Saúde - ESSV;

Enf. Assistencial de uma Casa Maternal e da UEDH do Agreste;

Proprietário e Enfº da Clínica Integrada de Curativos ENFIMED/Arapiraca.

Júlia Leite Lima, Graduanda do Curso Bacharel em Enfermagem da Faculdade Integrada Tiradentes - FITS
Graduanda do Curso Bacharel em Enfermagem da Faculdade Integrada Tiradentes - FITS
Alexandre Pinto de Farias, Graduando do Curso Bacharel em Enfermagem da Faculdade Integrada Tiradentes - FITS
Graduando do Curso Bacharel em Enfermagem da Faculdade Integrada Tiradentes - FITS
Louise Santos Lopes, Graduanda do Curso Bacharel em Enfermagem da Faculdade Integrada Tiradentes - FITS
Graduanda do Curso Bacharel em Enfermagem da Faculdade Integrada Tiradentes - FITS
Rosane Lopes da Costa, Graduanda do Curso Bacharel em Enfermagem da Faculdade Integrada Tiradentes - FITS
Graduanda do Curso Bacharel em Enfermagem da Faculdade Integrada Tiradentes - FITS

Referências

BRASIL. Hipertensão arterial sistêmica para o Sistema Único de Saúde. Ministério da Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

COFEN. Conselho Federal de Enfermagem. Resolução 159/1993. Dispõe sobre a consulta de enfermagem. Conselho Federal de Enfermagem, Brasília: 1993. . Disponível em: <http://site.portalcofen.gov.br/node/4241> Acesso em: 26 mai. 2012.

DARZE, Eduardo S. e VON SOHSTEN, Roberto L. Crise de feocromocitoma simulando um infarto agudo do miocárdio em paciente com artérias coronárias normais. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2004, vol.82, n.2, p. 175-177. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/abc/v82n2/19248.pdf>. Acesso em: 02 fev. 2012.

DIRETRIZES BRASILEIRAS DE HIPERTENSÃO VI. Hipertensão arterial sistêmica secundária. J Bras Nefrol 32 [online]. 2010, cap.7, pp. 44-53. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/jbn/v32s1/v32s1a09.pdf>. Acesso em: 02 fev. 2012.

FACULDADE INTEGRADA TIRADENTES - FITS. Manual de trabalhos acadêmicos. Maceió:2009.Disponívelem:<http://www.fits.edu.br/LinkClick.aspx?fileticket=mX2Gngj%2fE3E%3d&tabid=183>. Acesso em: 02 fev. 2012.

FAICAL, S. e SHIOTA, D.. Feocromocitoma: atualização diagnóstica e terapêutica. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 1997, vol.43, n.3, p. 237-244. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ramb/v43n3/2042.pdf>. Acesso em: 02 fev. 2012.

FRIEDMANN, Antonio Américo; GRINDLER, José; OLIVEIRA, Carlos Alberto Rodrigues de; FONSECA, Alfredo José da. Alteração peculiar da repolarização ventricular em caso de feocromocitoma. Diagn Tratamento. [online]. 2007, 12(4). p.185-186. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/1413-9979/2007/v12n4/a0021.pdf>. Acesso em: 04 mar. 2012.

GELEILETE, Tufik José Magalhães; CARDOSO, Maria Camila de Miranda; COELHO, Eduardo Barbosa; NOBRE, Fernando. Quando suspeitar de hipertensão arterial sistêmica secundária e como investigar as principais causas. Rev Bras Hipertens [online]. 2000,vol 7, p 396-398. Disponível em: <http://departamentos.cardiol.br/dha/revista/7-4/016.pdf>. Acesso em: 02 fev. 2012.

GEORGETTI, Flávia Carolina D. e EUGÊNIO, Gisela de Rezende. Feocromocitoma: uma causa rara de hipertensão arterial na infância. Rev. paul. pediatr. [online]. 2007, vol.25, n.3, p. 289-293. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rpp/v25n3/a15v25n3.pdf>. Acesso em: 04 mar. 2012.

HERDY, Gesmar Volga Haddad; OLIVAES, Maria Cecília; LOPES, Vânia Glória Silami; PONTES, Carlos Adriano Gazanego; ORMOND FILHO, João Batista; FONSECA, Eliane C. Feocromocitoma em criança. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2005, vol.84, n.3, p. 267-269. Dis ponível em: <http://www.scielo.br/pdf/abc/v84n3/a14v84n3.pdf>. Acesso em: 04 mar. 2012.

KANOMATA, Fábio; MELLO, Eduardo Linhares Riello de e CORREA, José Humberto Simões. Tratamento cirúrgico da metástase de feocromocitoma. Rev. Col. Bras. Cir. [online]. 2001, vol.28, n.5, p. 391-392. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rcbc/v28n5/14.pdf> Acesso em: 04 mar. 2012.

LIMA, Josivan G. de Lima; BANDEIRA, Francisco; BANDEIRA, Cristina H.; PAULA, Maurício de; NÓBREGA Maria L. C.; COSTA, Saul O.; NÓBREGA, Lúcia H.C. Mínimas alterações hormonais em paciente com grande feocromocitoma. Arq Bras Endocrinol Metab [online]. 2006, vol.50, n.1, p. 145-149. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/abem/v50n1/28736.pdf>. Acesso em: 04 mar. 2012.

MAGALHAES, Lucélia Cunha; DARZE, Eduardo S., XIMENES, Antonio; SANTANA, Oto; BASTOS, Jorge; GUIMARÃES, Armênio. Miocardite aguda secundaria a feocromocitoma. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2004, vol.83, n.4, p. 343-345. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/abc/v83n4/a09v83n4.pdf>. Acesso em: 02 fev. 2012.

MALACHIAS, Marcus Vinícius Bolívar. Feocromocitoma- diagnóstico e tratamento. Rev Bras Hipertens 9 [online]. 2002, p. 160-164. Disponível em: <http://departamentos.cardiol.br/dha/revista/9-2/feocromocitoma.pdf>. Acesso em: 04 mar. 2012.

MARQUES, Ruy Garcia; TCBC-RJ; SANJULIANI, Antonio Felipe. Tratamento cirúrgico da hipertensão arterial secundária com origem na glândula supra-renal. Rev. Col. Bras. Cir. [online]. 2006, vol. 33, n. 6, p. 401-410. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rcbc/v33n6/v33n6a12.pdf>. Acesso em: 04 mar. 2012.

MENDES, K.D.S., SILVEIRA, R.C.C.P., GALVÃO, C.M. Revisão integrativa: método de pesquisa para incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enfermagem. 2008; 17(4): 758-64. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/tce/v17n4/18.pdf>. Acesso em: 02 fev. 2012.

MOURA, D. M. et al. Cuidado de enfermagem ao cliente com hipertensão: uma revisão bibliográfica. Rev. bras. enferm. [online]. 2011, vol.64, n.4, pp. 759-765. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/reben/v64n4/a20v64n4.pdf>. Acesso em: 02 fev. 2012.

NETTO, José Jorge Soares; ABRAHÃO, Renata e TAVARES, Martinelis. Alterações hemodinâmicas durante ressecção de feocromocitoma por videolaparoscopia. Relato de caso. Revista Brasileira de Cancerologia. [online]. 2002, 48(4). p. 551-554. Disponível em: <http://www.inca.gov.br/rbc/n_48/v04/pdf/relato2.pdf>. Acesso em: 04 mar. 2012.

PEREIRA, Maria Adelaide A.; SOUZA, Bruno Ferraz de; FREIRE, Daniel Soares; LUCON, Antonio Marmo. Feocromocitoma. Arq Bras Endocrinol Metab [online]. 2004, vol.48, n.5, p. 751-775. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/abem/v48n5/a22v48n 5.pdf>. Acesso em: 02 fev. 2012.

PIOSEVAN, Elcio Juliato; MOELLER, Laura; PIOSEVAN, Liciane Maia; WERNECK, Lineu Cesar; CARVALHO, Jõao Luis Gastão de. Cefaléia em pacientes com feocromocitoma: influência da hipertensão arterial. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 1998, vol.56, n.2, p. 255-257. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/anp/v56n2/1836.pdf> Acesso em: 04 mar. 2012.

Publicado
2013-03-26
Como Citar
Souza, W. de L., Lima, J. L., de Farias, A. P., Lopes, L. S., & da Costa, R. L. (2013). Diagnóstico diferencial da hipertensão arterial sistêmica versus o feocromocitoma. Caderno De Graduação - Ciências Biológicas E Da Saúde - UNIT - ALAGOAS, 1(2), 67-77. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/fitsbiosaude/article/view/611
Seção
Artigos