AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA E DOS SINTOMAS CLIMATÉRIOS EM MULHERES EM MENOPAUSA ACOMETIDAS POR SÍNDROME CORONARIANA AGUDA

  • Andressa Bandeira Alencar Centro universitário tiradentes
  • Natália Bento Rocha Centro universitário tiradentes
  • Ana Carolina Nascimento Calles Centro universitário tiradentes
  • Vaneska da Graça Cruz Martinelli Lourenzi Centro universitário tiradentes
Palavras-chave: Sintomas climatéricos, Qualidade de vida e Doença cardiovascular

Resumo

Introdução: A doença cardiovascular tem uma grande causa de mortalidade em ambos os sexos, sendo sua maior incidência no sexo feminino. O climatério é a fase da vida da mulher em que ocorre a transição do período reprodutivo, para o período não reprodutivo, devido à diminuição da produção de estrogênio, hormônio responsável pela distribuição de gordura no corpo. Após o fenômeno da menopausa, o risco cardiovascular na mulher aumenta significativamente. De modo promissor, pesquisas têm apontado, inclusive, para um possível efeito benéfico da atividade física no alívio da sintomatologia do climatério. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal descritivo, no qual foram avaliados o nível de atividade física e os sintomas do climatério nas pacientes em menopausa com síndrome coronariana aguda, internas em um Hospital Cardiológico na cidade de Maceió, em maio de 2017. Foram usadas como Critérios de inclusão mulheres na menopausa acometida com síndromes coronarianas aguda e critérios de exclusão mulheres que apresentam déficit de cognição, que não consigam responder os questionários e que não estivessem no período da menopausa. Foi realizado através da aplicação dos questionários de nível de atividade física das mulheres (IPAQ – Versão curta) e um questionário de menopausa - Menopause Rating Scale (MRS). Resultado: Foram avaliados 30 (trinta) indivíduos do sexo feminino, com média de idade de 69,93 anos. Dentre as variáveis analisadas, o índice de massa corporal (IMC) das mulheres avaliadas apresentou sobrepeso com média de 28.61 kg, onde foram divididos em cinco grupos classificados em: muito ativo com 3,33%, ativo 3,33%, insuficiente tipo A 3,33%, insuficiente tipo B 6,66% e sedentários 83,33%. Obtivesse uma resposta significativa dos sintomas fisiológicos relacionados aos domínios: sintomas somato-vegetativo, sintomas psicológicos e sintomas urogenitais e uma maior inatividade física entre esses grupos.Conclusão: Conclui-se que as mulheres acometidas com síndrome coronariana aguda, após-menopausa, principalmente as sedentárias apresentam o sistema psicológico alterado, como ansiedade, depressão e esgotamento físico e mental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AVIS, N.E. ASSMANN, S. F., KRAVITZ, H. M., GANZ, P. A., ORY, M. Quality of life in diverse groups of midlife women: assessing the influence of menopause, health status and psychosocial and demographic factors. Quality of Life Research, v. 13, n. 5, p. 933-946, 2004.

CASTANHO, V.S. OLIVEIRA, L. S., PINHEIRO, H. P., OLIVEIRA, H. C., DE FARIA, E. C. Sex differences in risk factors for coronary heart disease: a study in a Brazilian population. BMC publichealth, v. 1, n. 1, p. 3, 2011.

COOKE, P. S., NAAZ, A. Role of estrogens in adipocyte development and function. Experimental biologyand medicine, v. 229, n. 11, p. 1127-1135, 2004.

DE LORENZI, D. R. S., DANELON, C., SACILOTO, B., PADILHA JR.sintomatologia climatérica. Revista Brasileira Ginecológica Obstétrica, v. 27, n. 1, p. 12-9, 2005.

DE LORENZI, D. R. S., CATAN, L. B., MOREIRA, K., ÁRTICO, G. R. Assistência à mulher climatérica: novos paradigmas. Revista Brasileira enfermagem, v. 62, n. 2, p. 287-93, 2009.

EBONG, I. A., WATSON, K. E., GOFF JR, D. C., BLUEMKE, D. A., SRIKANTHAN, P., HORWICH, T., BERTONI, A. G. Age at menopause and incident heart failure: the multi-ethnic study of atherosclerosis. Menopause (new york, ny), v. 21, n. 6, p. 585, 2014.

HEINEMANN, L.A.J; POTTHOFF, P; SCHNEIDER, H.P.G. International versions of the menopause rating scale (MRS). Health and quality of life outcomes, v. 1, n. 1, p. 28, 2003.

KANAAN, S.; HORSTMANN, B. Infarto agudo do miocárdio. Rio de Janeiro: Rubi, 2006.

MANSON, J. E., CHLEBOWSKI, R. T., STEFANICK, M. L., ARAGAKI, A. K., ROSSOUW, J. E., PRENTICE, R. L., WACTAWSKI-WENDE, J. Menopausal hormone therapy and health outcomes during the intervention and extended poststopping phases of the Women’s Health Initiative randomized trials. Jama, v. 310, n. 13, p. 1353-1368, 2013.

MATSUDO, S. ARAÚJO, T., MATSUDO, V., ANDRADE, D., ANDRADE, E., OLIVEIRA, L. C., BRAGGION, G. Questionário Internacional De Atividade Física (Ipaq): Estupo De Validade E Reprodutibilidade No Brasil. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 6, n. 2, p. 5-18, 2012.

RÜHL, C.E.D.C. Avaliação da qualidade de vida de mulheres na pós-menopausa praticantes de corrida de rua. Tese de Doutorado. Instituto Fernandes Figueira, 2013.

SKOUBY, S. O. Health in the menopause: advances in management. International Congress Series, 1266, 151-155, 2004.

STANGL, V.; BAUMANN, G.; STANGL, K. Coronary atherogenic risk factors in women. European Heart Journal, v. 23, n. 22, p. 1738-1752, 2002.

TAIROVA, O.S.; DE LORENZI, D.R.S. Influência do exercício físico na qualidade de vida de mulheres na pós-menopausa: um estudo caso-controle. Revista brasileira geriatratria gerontologia, v. 14, n. 1, p. 135-45, 2011.

VIDAL, C.R.P.M. MULHERES NO CLIMATÉRIO: desconhecimento, relacionamentos e estratégias. 2009

Publicado
2018-02-15
Como Citar
Alencar, A. B., Rocha, N. B., Calles, A. C. N., & Lourenzi, V. da G. C. M. (2018). AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA E DOS SINTOMAS CLIMATÉRIOS EM MULHERES EM MENOPAUSA ACOMETIDAS POR SÍNDROME CORONARIANA AGUDA. Caderno De Graduação - Ciências Biológicas E Da Saúde - UNIT - ALAGOAS, 4(2), 215. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/fitsbiosaude/article/view/4530
Seção
Artigos