PREVALÊNCIA DE COMPLICAÇÕES RESPIRATÓRIAS EM CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL ATENDIDAS PELA ASSOCIAÇÃO PESTALOZZI DE MACEIÓ E SEUS DESFECHOS.

  • Anne Galindo Santana Centro Universitário Tiradentes
  • Wel Carla Santana
  • Letícia Costa
  • Anne Flávia Silva
  • Priscila Helena Vanin
Palavras-chave: Distúrbios respiratórios, paralisia cerebral, prevalência

Resumo

Introdução: A paralisia cerebral (PC) é uma doença não progressiva decorrente de lesão no sistema nervoso central, levando a um comprometimento motor, cognitivo e sensorial, que pode apresentar complicações respiratórias associadas. Um dos fatores determinantes na condição de saúde pode ser o socioeconômico, pois crianças que não possuem adequado suporte social, econômico e familiar, tendem a apresentar mais alterações decorrentes da doença. Objetivo: O estudo tem como objetivo verificar a prevalência de complicações respiratórias em crianças com PC atendidas pela Pestalozzi. Metodologia: Trata-se de um estudo observacional, com abordagem transversal e quantitativa, realizado na Associação Pestalozzi de Maceió com aplicação da ficha de avaliação respiratória e da escala de Critério de Classificação Econômica Brasil. Resultados: Foram avaliadas 15 crianças. As complicações encontradas foram: tipo de tórax cifoescoliótico (40%); ausculta pulmonar atípica (80%); disfagia (53,3%); tosse ineficaz (80%) e histórico de pneumonia (73,3%). Na avaliação socioeconômica foi prevalente a classe econômica D (46,7%); e grau de instrução colegial completo/Superior incompleto/Médio completo (33,3%). Considerações finais: O presente estudo evidenciou que crianças com PC, são susceptíveis a desenvolverem distúrbios respiratórios, onde a condição socioeconômica favorece um comprometimento na saúde da criança.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBERNAZ, E.P; MENEZES, A.M.B; CESAR, J.A; VICTORA, C.G; BARROS, F.C; HALPERN, R. Fatores de Risco Associados à Hospitalização por Bronquiolite Aguda no Período Pós-Neonatal. Rev Saúde Pública 2003; 37(4):485-93.

BARBOSA, S. Fisioterapia Respiratória: Encefalopatia Crônica da Infância. Rio de Janeiro, RJ: Revinter, 2002.

BLAIR et. al. Life expectancy among people with cerebral palsy in Western Australia. Developmental medicine and child neurology. Austrália, v.43, p.508-515, 2001.

BORGES, M.B.S; GALIGALI, A.T; ASSAD, R.A. Prevalência de distúrbios respiratórios em crianças com Paralisia Cerebral na clínica escola de fisioterapia da Universidade Católica de Brasília. Fisioterapia em Movimento, v.18, n.1, p. 37-47, jan. /mar. 2005 37.

CAETANO, A.J; DIAS, J.G. Classificação socioeconómica comparativa utilizando Critério Brasil, Wealth Index e Análise de Classes Latentes: uma aplicação com dados do PNDS 2006. XVIII Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP, realizado em Águas de Lindóia/SP – Brasil, de 19 a 23 de novembro de 2012.

FERREIRA, H.C. Características do Sistema Respiratório na Encefalopatia Crônica não Progressiva da Infância. Rev Neurocienc 2012;20(1):101-108.

FLOR, A. Características e complicações respiratórias de crianças portadoras de encefalopatia crônica da infância atendidas na APAE de Tubarão-SC. Trabalho de Conclusão de Curso em Fisioterapia da Universidade do Sul de Santa Catarina 2006;1-48.

FROWNFELTER, D; DEAN, E. Fisioterapia cardiopulmonar: princípios e prática. 3a ed. Rio de Janeiro: Revinter; 2004. p.535-551.

GRANTHAM, G.S; CHEUNG, Y.B; CUETO, S; GLEWWE, P; RICHTER, L; STRUPP, B; et. al. Developmental potential in the first 5 years for children in developing countries. Lancet 2007;369:60-70.

JORDAN L, SWERDLOW P, COATES T.D. Systematic review of transition from adolescent to adult care in patients with sickle cell disease. J Pediatr Hematol Oncol. 2013; 35(3):165-9.

KAMAKURA, W; MAZZON, J. A. CRITÉRIOS DE ESTRATIFICAÇÃO E COMPARAÇÃO DE CLASSIFICADORES SOCIOECONÔMICOS NO BRASIL. Rev. adm. empres. vol.56 no.1 São Paulo Jan./Feb. 2016.

MARANHÃO, M.V.M. Anestesia e paralisia cerebral. Rev Bras Anestesiol. 2005;55(6):680-702.

McPHERSON, K. A et al. Ventilation and swallowing interactions normal children and children with cerebral palsy. Developmental medicine and child neurology. v. 34, p.577-588, 1992.

Nelson CA. Paralisia Cerebral. In: Umphred DA. Reabilitação Neuroló¬gica. 4ª. ed. São Paulo: Manole, 2004, p.272-85.

PARK, E.S; PARK, J.H; RAH, D.W; PARK, C.I.I; PARK, C.W. Comparison of the ratio of upperto lower chest wall in children with spastic quadriplegia cerebral palsy and normally developed children. Yonsei Med J 2006;47(2):237-42.

PATO, T.R; PATO, T.R; SOUZA, D.R; LEITE, H.P. Epidemiologia da paralisia cerebral. Acta Fisiatr 2002;9(2):71-76.

SLUTZKY, L.C. Fisioterapia Respiratória nas Enfermidades Neurológicas. Rio de Janeiro: Revinter, 1997, 341p.

SOM, P. Doença Respiratória Aguda Baixa em Menores de Cinco Anos: Fatores de Risco e Prevalência em Rio Grande, RS. [Dissertação de Mestrado em Medicina]. Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre; 1999.

STRAUSS, D; CABLE, W; SHAVELLE, R. Causes of excess mortality in cerebral palsy. Developmental medicine and child neurology. USA, v. 41, p. 580-585, 1999.

VEUGELERS, R; CALIS, E.A.C; PENNING, C; VERHAGEN, A; BERNSEN, R; BOUQUET, J; et. al. A population-based nested case control study on recurrent pneumonias in children with severe generalized cerebral palsy: ethical considerations of the design and representativeness of the study sample. BMC Pediatrics 2005; 5(25):1-11.

VIVONE, G. P. et al. Análise da consistência alimentar e tempo de deglutição em crianças com paralisia cerebral tetraplégica espástica. Rev CEFAC, São Paulo, v.9, n.4, 504-511, out-dez, 2007.

WANG, C; GUTTMANN A; DICK, P.T. Neighborhood income and health outcomes in infants: how do those with complex chronic conditions fare?. Archiv Pediatrics Adolesc Med. 2009;163(7):608-15.

Publicado
2018-02-15
Como Citar
Santana, A. G., Santana, W. C., Costa, L., Silva, A. F., & Vanin, P. H. (2018). PREVALÊNCIA DE COMPLICAÇÕES RESPIRATÓRIAS EM CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL ATENDIDAS PELA ASSOCIAÇÃO PESTALOZZI DE MACEIÓ E SEUS DESFECHOS. Caderno De Graduação - Ciências Biológicas E Da Saúde - UNIT - ALAGOAS, 4(2), 175. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/fitsbiosaude/article/view/4522
Seção
Artigos