USO DA REALIDADE VIRTUAL NA REABILITAÇÃO DE PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA CARDÍACA: UMA REVISÃO

  • Ana Carolina do Nascimento Calles Centro Universitário Tiradentes
  • Joyce Annenberg Araújo dos Santos Centro Universitário Tiradentes
Palavras-chave: Cirurgia Torácica. Realidade Virtual. Fisioterapia.

Resumo

Introdução: A realidade virtual é um dispositivo tecnológico que visa acelerar o processo de recuperação da capacidade funcional e aumentar o nível de atividade física em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca, com o intuito de educar e/ou desviar a atenção de sintomas dolorosos associados a intervenções médicas. Objetivo: discutir a eficácia da realidade virtual na reabilitação de pacientes submetidos à cirurgia cardíaca. Metodologia: Trata-se de uma revisão de literatura, com o levantamento bibliográfico realizado nas bases de dados Scielo, Lilacs e PEDro, utilizando como descritores isolados ou em combinação estabelecidos pelo DeCS (Descritores em Ciências da Saúde): cirurgia torácica, realidade virtual e fisioterapia. Resultados e discussão: Ao estudar a literatura, constatou-se que o uso da realidade virtual pode atuar como um grande suporte na reabilitação de pacientes submetidos à cirurgia cardíaca, trazendo inúmeros benefícios que incluem desde a melhora na postura cifótica, adotada para se proteger da dor após o procedimento cirúrgico, melhora da expansibilidade torácica decorrente da musculatura retraída, melhora da força muscular dos membros inferiores, capacidade funcional e equilíbrio, além de exercer uma maior motivação para os pacientes durante a reabilitação. Conclusão: O uso de realidade virtual no tratamento de pacientes submetidos à cirurgia cardíaca pode ser uma ferramenta de grande valia para o processo de reabilitação. Contudo, nota-se uma escassez de estudos científicos que abordam sobre a utilização desse dispositivo nos tratamentos fisioterapêuticos de pacientes na fase I, fazendo com que seu potencial não seja completamente explorado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina do Nascimento Calles, Centro Universitário Tiradentes

Docente do Centro Integrado Tiradentes;

Especialista em Fisioterapia Respiratória e em Terapia Intensiva pela ASSOBRAFIR;

Mestre em Nutrição pela UFAL;

Doutoranda em Biotecnologia/RENORBIO pela UFAL.

Joyce Annenberg Araújo dos Santos, Centro Universitário Tiradentes
Graduanda em Fisioterapia

Referências

ANDRADE, J.P. et al. Programa nacional de qualificação de médicos na prevenção e atenção integral às doenças cardiovasculares. Arquivos Brasileiro de Cardiologia. v 100. n 3. São Paulo. 2013.

ANDERSON, F. et al. Lean on Wii: Physical Rehabilitation With Virtual Reality and Wii Peripherals. In: Proceedings of 15th Annual CyberTherapy & CyberPsychology

Conference, v 13. n 15. p: 229-234, 2010.

ARRUDA, T. R. B. Efeitos da reabilitação cardíaca (Fase II) em pacientes submetidos a cirurgia cardíaca: revisão de literatura. Universidade Federal de Paraíba. 25 F. Bacharel em Fisioterapia. 2011.

BECCARIA, L. M. et al. Complicações pós-operatórias em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca em hospital de ensino. Revista Arquivos Ciência da Saúde. v 22. n 1. 2015.

CACAU, L. A.P. et al. The use of the virtual reality as intervention tool in the postoperative of cardiac surgery. Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. v 28. n 2. São José do Rio Preto. 2013.

CAVENAGHI, S. Fisioterapia respiratória no pré e pós-operatório de cirurgia de revascularização do miocárdio. Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. v 26. n 3. p: 455-61. 2011.

CORRÊA, A. G.D. O uso da tecnologia de realidade aumentada no apoio ao processo de reabilitação em sessões de musicoterapia. Revista Brasileira de Inovação Tecnológica em Saúde. 2010. v 1. n 3. 2011.

COSTA JUNIOR, J. M.F. et al. Avaliação pedométrica em pacientes no pós-operatório de cirurgia de revascularização do miocárdio, após mobilização precoce. Revista Paraense de Medicina. v 29, n 2. 2015.

CRUZ, R. V. S. D’ALENCAR, M. S. MENUCHI, M. R. T. P. A utilização do nintendo wii® como ferramenta terapêutica em programas de reabilitação traumato-ortopédica: uma revisão de literatura. Revista Pesquisa em Fisioterapia. v 5. n 2. p: 153-162. 2015.

GALVÃO, M. L.C. et al. Efeito da Realidade Virtual na Função Motora do Membro Superior Parético Pós-Acidente Vascular Cerebral. Revista Neurociência. v 23. n 4. p: 493-498. 2015.

LAIZO, Artur. et al. Complicações que aumentam o tempo de permanência na unidade de terapia intensiva na cirurgia cardíaca. Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. v 25. n 2. p: 166-171. 2010.

MARTELLI, A. Aspectos fisiopatológicos da aterosclerose e a atividade física regular como método não farmacológico no seu controle. Revista Saúde e Desenvolvimento Humano. v 30. n 2. p: 41-52. 2014.

MARTINS, M.G. G. Infarto agudo do miocárdio: subsídios para os cuidados de enfermagem. Graduação em Enfermagem. Universidade de Franca. 12 f. Franca. 2014.

MANSUR, A.P. FAVARATO, D. Tendências da Taxa de Mortalidade por Doenças Cardiovasculares no Brasil, 1980-2012. Arquivo Brasileiro Cardiologia. online. 2016.

MONTEIRO, C.B.M. et al. Realidade virtual e jogos eletrônicos: uma proposta para deficientes. Realidade Virtual na Paralisia Cerebral. São Paulo: Ed Pleiade. p: 123-132, 2011.

MOREIRA, M.C. A utilização da realidade virtual como intervenção terapêutica para a melhora do controle postural e da mobilidade funcional em crianças com paralisia cerebral. 73 f. Especialização (Fisioterapia). Universidade Federal de Pernambuco. Recife. 2012.

NASCIMENTO, D. B. CARVALHO, G F. J. COSTA, R. M E. M. ReabRA: Reabilitação Cognitiva através de uma aplicação de Realidade Aumentada. Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ. Rio de Janeiro, 2010.

NASCIMENTO, J. S. GOMES, B. SARDINHA, A. H.L. Fatores de risco modificáveis para as doenças cardiovasculares em mulheres com hipertensão arterial. Revista Rene. Fortaleza. v 12. n 4. p:709-15. 2011.

NUNES, F. L.S. Realidade Virtual para saúde no Brasil: conceitos, desafios e oportunidades. Revista Engenharia Biomédica. v 27. n 4. p: 243-258. 2011.

OLIVEIRA, G.U. et al. Reabilitação cardíaca com realidade virtual: avaliação da função pulmonar e tempo de internação hospitalar. Revista Brasileira de Fisioterapia. v 16. p: 413-413. 2012.

ON LINE EDITORA. O Guia Completo PS4. Ed.02. EBook Kindle. 2016.

PAIVA, P.V.F. et al. Potencialidades da Educação em Saúde Baseada em Realidade Virtual. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e. Inovação da Saúde. Rio de Janeiro, v.7. n 3. 2013

POMPEU, J. E. et al. Os efeitos da realidade virtual na reabilitação do acidente vascular encefálico: Uma revisão sistemática. Revista Motricidade. v 10. n 4. p: 111-122. 2014.

ROCHA, P. R. DEFAVARI, A H. BRANDÃO, P. S. Estudo da viabilidade da utilização do Kinect como ferramenta no atendimento fisioterapêutico de pacientes neurológicos. XI SBGames. Brasilia. DF. v 2. n 4. 2012.

RODRIGUES, G. P. PORTO, C. M. Realidade virtual: conceitos, evolução, dispositivos e aplicações. Interfaces Científicas – Educação. Aracaju. v 1. n 3. p: 97-109. 2013.

RUFINO, G. P. et al. Avaliação de fatores determinantes do tempo de internação em clínica médica. Revista Brasileira de Clinica Médica. São Paulo. v 10. n 4. p: 291-7. 2012

SANTIAGO, A. L. C. SILVA, F.M. F. influência da variabilidade da frequência cardíaca na reabilitação cardiovascular: revisão bibliográfica. Centro CEAFI Pós-graduação. Goiânia/GO. 11 f. 2015.

SILVA, N. P. COUTINHO, T. V. P. Aplicação terapeutica de recursos de realidade virtual. Revista FisioBrasil. Universidade Anhembi Morumbi. 2011.

SILVA, R. R MARCHESE, C.I. Uso da realidade virtual na reabilitação

motora de uma criança com Paralisia Cerebral Atáxica: estudo de caso. Revista Fisioterapia e Pesquisa. v 22. n 1. p: 97-102. 2015.

SILVA, M.S. M. OLIVEIRA, J.F. Reabilitação cardíaca após infarto agudo do miocárdio: revisão sistemática. Revista Corpus et Scientia. v 9. n 1. p: 89-100. 2013.

SIMÃO, A. S. et al. I Diretriz Brasileira de Prevenção Cardiovascular. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. v 101. n 6. Suplemento 2. 2013.

TAVARES, C.N. et al. Uso do Nintendo® Wii para Reabilitação de Crianças com Paralisia Cerebral: Estudo de Caso. Revista Neurociência. v 21. n 2. p: 286-293. 2013.

VAGHETTI, C.A.O. BOTELHO, S.S.C. Ambientes virtuais de aprendizagem na educação física: uma revisão sobre a utilização de Exergames. Revista Ciências & Cognição. v 1. p: 076-088. 2010.

VIEIRA, G.P. et al. Realidade virtual na reabilitação física de pacientes com doença de Parkinson. Journal of Human Growth and Development. v 24. n 1. p: 31-41. 2014.

Publicado
2018-02-15
Como Citar
do Nascimento Calles, A. C., & Araújo dos Santos, J. A. (2018). USO DA REALIDADE VIRTUAL NA REABILITAÇÃO DE PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA CARDÍACA: UMA REVISÃO. Caderno De Graduação - Ciências Biológicas E Da Saúde - UNIT - ALAGOAS, 4(2), 83. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/fitsbiosaude/article/view/4204
Seção
Artigos