CONTRIBUIÇÕES DA NEUROPSICOLOGIA NO ENTENDIMENTO DO TRANSTORNO OBSESSIVO-COMPULSIVO (TOC)

  • Rodrigo da Silva Almeida Centro Universitário Tiradentes
  • Maria Sônia da Silva Crispim Centro Universitário Tiradentes
  • Mariana Lemos Braz Centro Universitário Tiradentes
  • Dionísio Souza da Silva Centro Universitário Tiradentes
  • Dalnei Minuzzi Delevati Centro Universitário Tiradentes
Palavras-chave: Neuropsicologia. Neurociências. Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC).

Resumo

O Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) é uma psicopatologia que provoca ruptura no funcionamento social e profissional, caracterizando-se pela presença de obsessões e compulsões, sendo muito comum a presença de ambas; sendo causado por inúmeros fatores, dentre eles biológicos. A Neuropsicologia, área da Neurociência que estuda o sistema nervoso central, a cognição e o comportamento, vem se mostrando como uma válida e importante abordagem para a compreensão do funcionamento neuroanatômico e neurofisiológico do TOC. Diante disso, o presente artigo trata-se de uma revisão bibliográfica e tem como objetivo é apresentar as contribuições da Neuropsicologia para um maior entendimento do TOC. Diante disso, a Neuropsicologia, balizada na Neurociências, tem contribuído para o conhecimento acerca do TOC, sugerindo alguns modelos neuroanatômicos, comprovando que o córtex órbito-frontal, o cíngulo anterior, os gânglios da base e o tálamo de pacientes com TOC sofrem alterações estruturais e funcionais, se comparados a sujeitos sem o transtorno, não havendo ainda conclusões sobre os déficits neuropsicológicos apresentados pelos pacientes com TOC serem estado ou traço relacionados ao transtorno. Todavia, é consenso na literatura que os déficits importantes nas funções executivas e nas habilidades visuoespaciais estão relacionados às áreas cerebrais envolvidas no modelo neurobiológico do transtorno.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUIAR, N. A.; OLIVEIRA, S. H. A.; THOMAZ, C. E. Análise estatística multivariada de imagens cerebrais de controles e pacientes com Alzheimer e transtorno obsessivo-compulsivo. In: Congresso da SBC WIM XVIII: Workshop de Informática Médica, 2008. Belém do Pará/PA, Anais... Belém do Pará: 2008, p. 41-50. Disponível em: <http://fei.edu.br/cet/wim08.pdf>. Acesso em 03 Nov, 2015.

ASSOCIAÇÃO DE PSIQUIATRIA AMERICANA. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos mentais- DSM-5. Trad. Maria Inês Corrêa Nascimento et al. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

ARAÚJO, A. C.; NETO, F. L. A Nova classificação americana para os transtornos mentais- o DSM 5. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva. v. 16, n. 1., São Paulo, Jan, 2014, p. 67-82. Disponível em: . Acesso em 16 Out, 2015.

BARLOW, D. H.; DURAND, V. M. Psicopatologia: uma abordagem integrada. 4 ed. São Paulo: Cengage Learning, 2010, p. 181-187.

BATISTUZZO, M. C.; TAUB, A.; FONTENELLE, L. F. Neuropsicologia do transtorno obsessivo-compulsivo. In: FUENTES, D. et al. (Org.) Neuropsicologia: teoria e prática. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2014, p. 232-240.

BRAGA, D. T. Funcionamento neuropsicológico no transtorno obsessivo-compulsivo e resposta à terapia cognitivo-comportamental em grupo. 2011, 155 f. Tese (Doutorado em Psiquiatria) - Faculdade de Medicina. Universidade federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre/RS, 2011. Disponível em: . Acesso em 03 Nov, 2015.

BURKLE, T. S. Uma reflexão crítica sobre as edições do Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais- DSM. 2009, 108 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Instituto de Estudos em Saúde Coletiva. Universidade federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009. Disponível em:. Acesso em 16 Out, 2015.

CASTRO, F. S.; LANDEIRA-FERNANDEZ, J. Alma, mente e cérebro nas primeiras civilizações humanas. Psicologia: reflexão e crítica. v. 23, n. 1, Rio de Janeiro, Jan., 2014, pp. 37-48. Acesso em www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-79722010000100017&script...>. Acesso em 30 Ago., 2015.

______________________________________. Alma, corpo e a antiga civilização grega: as primeiras observações do funcionamento cerebral e das atividades mentais. Psicologia: reflexão e crítica. v. 24, n. 4, Rio de Janeiro, Ago, 2011, pp. 798-809. Disponível em: . Acesso em 30 Ago. 2015.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Resolução N° 002/2004. Brasília: Conselho Federal de Psicologia, 2004. Disponível em: < site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2006/01/resolucao2004_2.pdf>. Acesso em 14 Out, 2015.

CUNHA, J. A. O ABC da avaliação neuropsicológica. In:__________. Psicodiagnóstico V. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2000, p. 171-176.

DALGALARRONDO, P. Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2008, p. 45-60.

DEMINCO, M. Novos aspectos fisiopatológicos envolvidos no transtorno obsessivo-compulsivo. Psicologia. PT: o portal dos psicólogos. s/l, Fev, Brasília/DF, 2011, p. 1-19. Disponível em: http:// www.psicologia.pt/artigos/textos/A0606.pdf.>. Acesso em

FONTENELLE, L. Aspectos neuropsicológicos do transtorno obsessivo-compulsivo. Revista Brasileira de Psiquiatria. v. 23, n. 2, Rio de Janeiro/RJ, s/l, 2001, p. 27-30. Disponível em: . Acesso em 03 Nov, 2015.

GIL, R. Neuropsicologia. 4 ed. São Paulo: Santos, 2014, p. 1-3.

HOPPEN, N. H. F. A Neurociências no Brasil de 2006 a 2013, indexada na web of Science: produção científica, colaboração e impacto. 2014, 163 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Informação) - Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014. Disponível em: . Acesso em 28 Jul, 2015.

LACERDA, A. L. T. et al. Achados da neuroimagem no transtorno obsessivo-compulsivo. Revista Brasileira de Psiquiatria. v. 23, n. 2, s/l, São Paulo/SP, 2001, p. 24-27. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/rbp/v23pdf>. Acesso em 03 Nov, 2015.

LOPES, A. C. et al. Atualização sobre o tratamento neurocirúrgico do transtorno obsessivo-compulsivo. Revista Brasileira de Psiquiatria. v. 26, n. 1, Jan, São Paulo/SP, 2004, p. 62-66. Disponível em: . Acesso em 03 Nov, 2015.

MENEZES, A.; DIAS, N. M.; SEABRA, A. G. Disfunção executiva no transtorno obsessivo-compulsivo e na síndrome de Tourette. Cuad. Neuropsicologia. v. 5, n. 2, Jul, São Paulo, 2011, p. 49-65. Disponível em: . Acesso em 17 Nov, 2015.

MIOTTO, E. C.; LUCIA, M. C. S.; SCAFF, M. (Orgs.). Neuropsicologia Clínica. São Paulo: Roca, 2012, p. 3.

MOGRABI, D. C.; MOGRABI, G. J. C.; LANDEIRA-FERNANDEZ, J. Aspectos históricos da neuropsicologia e o problema mente-cérebro. In: FUENTES, D. et al. (Org.). Neuropsicologia: teoria e prática. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2014, p. 19.

PALEARI, A. P. G. Crianças com queixa atencional e alterações psicomotoras: estudo comparativo. 2013, 93 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia) - Faculdade de Odontologia de Bauru. Universidade de São Paulo, Bauru, 2013.

PAULA, G. R. et al. Neuropsicologia da aprendizagem. Revista Psicopedagogia, v. 23, n. 72, Maio, Santa Maria- RS, 2006, p. 224-231. Disponível em: pepsic.bvsalud.org/scielophppid=S0103-848620060003>. Acesso em 24 Set, 2015.

PEREIRA, R. R. De Manha a mania do comportamento de repetição ao TOC: aspectos neuropsicológicos do transtorno obsessivo-compulsivo. Psicologia.PT: o portal dos psicólogos. s/l, Abr, Salvador/BA, 2013, p. 1-7. Disponível em: www.psicologia.pt/artigos/textos/A0780.pdf>. Acesso em 03 Nov, 2015.

PINEL, J. P. J. Biopsicologia. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2005, p. 38.

TABACOW, L. S. Contribuições da neurociência cognitiva à formação de professores e pedagogos. 2006, 264 f. Dissertação (Mestrado em Educação)- Centro de Ciências Sociais Aplicadas. Pontífica Universidade de Campinas, Campinas, 2006. Disponível em: . Acesso em 01 Ago., 2015.

VALENTE JR, A. A.; BUSATTO FILHO, G. Aspectos neuropsicológicos do TOC: papel dos gânglios da base. Revista Brasileira de Psiquiatria. v. 23, n. 2, s/l, São Paulo/SP, 2001, p. 42-45. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbp/v23s2/a13v23s2.pdf> Acesso em 03 Nov, 2015.

VAN DE GRAAFF, K. M. Anatomia humana. 6 ed. São Paulo: Manole, 2003, p. 3; 344-345.

VENTURA, D. F. Um retrato da área de neurociência e comportamento no Brasil. Psicologia: teoria e pesquisa. v. 6, n. especial, São Paulo, S/M, 2010. pp. 123-129 Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ptp/v26.pdf>. Acesso em 18 Jun, 2015.

ZACHI, E. C. Avaliação neuropsicológica de pacientes expostos ao vapor de mercúrio e de pacientes diabéticos do tipo 2. 2005, 133 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. Universidade de São Paulo, São PAULO, 2005. Disponível em: www.teses.usp.br/tesesdisponiveisDissertacaopdf>. Acesso em 27 Out, 2015.

Publicado
2018-02-15
Como Citar
Almeida, R. da S., Crispim, M. S. da S., Braz, M. L., da Silva, D. S., & Delevati, D. M. (2018). CONTRIBUIÇÕES DA NEUROPSICOLOGIA NO ENTENDIMENTO DO TRANSTORNO OBSESSIVO-COMPULSIVO (TOC). Caderno De Graduação - Ciências Biológicas E Da Saúde - UNIT - ALAGOAS, 4(2), 31. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/fitsbiosaude/article/view/3747
Seção
Artigos