Imunidade tributária RELIGIOSA: COMO SURGIU E SUAS APLICAÇÕES NOS DIAS DE HOJE?

Dhiego Peixoto Peixoto

Resumo


A imunidade tributária religiosa começou a ecoar com mais intensidade a partir do cenário econômico qual o país se insurgiu e a necessidade do Estado em arrecadar. Ao estudar imunidades é preciso saber o motivo que incide na sua existência. Por essa razão, o tema de imunidade se torna bem polemico uma vez que envolve religião e religiosidade, logo observando o poder de tributar do estado. O estado tem o poder fiscal, ou seja, tem a capacidade de determinar tributos dos particulares através de contribuições derivadas e compulsórias. Nesse sentido ele pode criar tributos como também os exigir dos que estão sujeitos a sua soberania. A Carta Magna confere a união, estados, municípios e ao distrito federal a chamada competência tributária. No entanto, em face desse poder de tributar, a própria constituição estabelece limites a esse poder estatal, que é objeto desse estudo, e são as chamadas limitações ao poder de tributar.

Palavras-chave


poder, tributos, religião, estado, imunidades.

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXANDRE, Ricardo; Direito Tributário Esquematizado, (8ª Edição); São Paulo; Editora Método; 2014;

MACHADO, Hugo de Brito; Curso de Direito Tributário (37ªEdição); São Paulo; Editora Malheiros; 2016

SABBAG, Eduardo; Manual de Direito Tributário (8ª Edição); São Paulo; Editora Saraiva; 2016

Disponível em: 20/03/2012 Imunidade tributária das entidades religiosas: breve análise

acesso em 02/11/2017

Acesso em 02/11/2017 Fim da imunidade tributária para entidades religiosas: essa ideia eu aprovo

Acesso em 03/11/2017 Imunidade Tributária: Porque entidades religiosas não pagam impostos no Brasil?

Disponível em 01/05/2017 Imunidade tributária dos templos de qualquer culto sob a interpretação do STF

acesso 04/11/2017.

Constituição Imperial de 1824.

Código Tributário Nacional - LEI Nº 5.172, DE 25 DE OUTUBRO DE 1966.

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988.