O POLÍTICO NA HUMANIZAÇÃO DAS PENAS: UM OLHAR SOBRE O CASO TIRADENTES

  • Laís Mazzola Piletti
  • Fernanda Cristina Covolan

Resumo

Este artigo tem por objetivo identificar o viés político na supressão do suplício como forma punitiva nos Códigos e práticas judiciais do Brasil republicano. Para tanto, utiliza a teoria foucaultiana acerca da redistribuição e reestruturação do exercício das práticas punitivas. Relaciona esse estudo do suplício à legislação penal e processual penal brasileira aplicada ao crime de lesa-majestade e às penalidades previstas para esse delito durante o Brasil colonial, especialmente no tocante ao caso Tiradentes. Analisa-se também a posterior reinterpretação do processo penal de Tiradentes com o advento da República, concomitante ao movimento de humanização das penas. Partindo da heroicização do alferes, pretende-se resgatar o sentido da reforma humanista em uma nova distribuição da economia de poder.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laís Mazzola Piletti
Graduada em Direito. Mestrado em História do Direito, na Área de Concentração de Direito do Estado, pelo Programa de Pós-Graduação em Direito (PPGD) da Universidade Federal do Paraná (UFPR).
Fernanda Cristina Covolan
Doutora em Direito Político e Econômico na Universidade Presbiteriana Mackenzie, com bolsa Capes/Prosuc; Professora em Direito no Centro Universitário Adventista de São Paulo.
Publicado
2019-10-23
Como Citar
Piletti, L. M., & Covolan, F. C. (2019). O POLÍTICO NA HUMANIZAÇÃO DAS PENAS: UM OLHAR SOBRE O CASO TIRADENTES. Interfaces Científicas - Humanas E Sociais, 8(2), 155-170. https://doi.org/10.17564/2316-3801.2019v8n2p155-170
Seção
Artigos