A FRAGILIDADE DO CONDICIONAMENTO ACÚSTICO NO AMBIENTE BÁSICO DE SAÚDE PÚBLICA NO CONJUNTO AUGUSTO FRANCO

  • Gabriella Karolinna Gomes Gonçalves Universidade Tiradentes
  • Juliana Cristina Batista Santos Universidade Tiradentes
Palavras-chave: Conforto, acústica, saúde

Resumo

Por meio deste artigo, visamos de forma clara e objetiva analisar minuciosamente o condicionamento acústico da unidade básica de saúde do augusto franco, visto que estas redes de saúde possuem papel importantíssimo na recuperação e tratamento preventivo de enfermidades do indivíduo. Apresentando uma clara deficiência nos demais compartimentos que compõem a edificação, acabando por gerar desconforto e irritação por parte dos usuários e profissionais presentes. Trazendo à tona os pontos que tornam a poluição sonora incômoda, e prejudicial à saúde dos pacientes, deixando em vista situações rotineiras vivenciadas por estes que contribuem para a deterioração terapêutica do indivíduo que pode ser tanto temporária como permanente. Consequentemente levantando a importância de uma projeção acústica ordenada e precisa dentro desse espaço a fim de trazer uma melhor qualidade de vida e um melhor funcionamento dos serviços prestados dentro desses tipos de unidades, usando materiais para essa melhora que sejam simples já que unidades de saúde públicas não recebem muitas verbas e o gasto para manter é elevado

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriella Karolinna Gomes Gonçalves, Universidade Tiradentes
Estudante de Arquitetura e Urbanismo
Juliana Cristina Batista Santos, Universidade Tiradentes
Estudante de Arquitetura e Urbanismo
Publicado
2020-09-06
Como Citar
Gomes Gonçalves, G. K., & Batista Santos, J. C. (2020). A FRAGILIDADE DO CONDICIONAMENTO ACÚSTICO NO AMBIENTE BÁSICO DE SAÚDE PÚBLICA NO CONJUNTO AUGUSTO FRANCO. Caderno De Graduação - Ciências Humanas E Sociais - UNIT - SERGIPE, 6(2), 85. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/cadernohumanas/article/view/8844
Seção
Artigos