DISCUSSÕES INTERDISCIPLINARES SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E TRANSGERACIONALIDADE

Monique Andrade Oliveira, Fabiana Fernanda Xavier Rodrigues, Grasielle Borges Vieira de Carvalho

Resumo


O presente trabalho versa sobre a transgeracionalidade da violência doméstica com o objetivo de analisar suas repercussões por meio de discussões jurídicas, psicológicas e educacionais. Quanto à metodologia adotada, empregou-se na pesquisa fontes documentais e, de modo prioritário, bibliográficas. A primeira tornou-se essencial para contextualizar a temática, destacando o tratamento que é dado na Constituição Federal de 1988 acerca da família, e algumas legislações relativas a coibir a violência no âmbito intrafamiliar, como a Lei da Palmada e a Lei Maria da Penha. O segundo método foi importante, sobretudo, quando se buscou identificar estudos de casos e dados na área de psicologia ligados ao tema. Nesse sentido, este artigo comenta sobre cinco artigos obtidos por meio da utilização de três descritores (violência transgeracional, transgeracionalidade e transmissão geracional) na biblioteca digital Scielo, considerando o período de 2008 a 2018. Os resultados da análise evidenciam haver possibilidade da violência sofrida ou presenciada durante os estágios iniciais do desenvolvimento humano ser perpetuada, a partir da reprodução do comportamento de geração a geração. Conclui-se, por fim, ser uma das medidas possíveis para dirimir a transgeracionalidade da violência doméstica, a educação em gênero, especialmente nas escolas.

Palavras-chave


Educação em gênero, Família, Transgeracionalidade, Violência doméstica.

Texto completo:

PDF