As artes plásticas em Sergipe durante o período de 1968 a 1974

  • Ludovico Omar Bernardi Universidade Tiradentes
  • Lucas Dias Freitas
  • Flávia Renata Menezes Souza
  • Valdilene Nascimento da Silva
  • Chayenne Torquata
  • Ricardo Ferreira
Palavras-chave: Artes Plásticas, Ditadura civil-militar, Liberdade

Resumo

Este artigo foi realizado através da pesquisa bibliográfica, com o uso da oralidade e análise de conteúdo, para que se pudesse construir um conhecimento acerca das artes plásticas em Sergipe durante o período em que a ditadura civil-militar no Brasil foi mais rígida e autoritarista, e como esta arte era influenciada nesse período. Mostrando a passividade do povo sergipano frente ao cerceamento da liberdade de expressão através das artes plásticas produzidas no período de 1968 a 1974 com a implementação do AI-5, o contentamento gerado pelo crescimento econômico do Estado tomou a vez das lutas pela redemocratização do país. Com isso as artes subversivas tiveram pouco espaço no estado sergipano, e as paisagens marinhas tomaram conta do conteúdo das artes plásticas de Sergipe. Os artistas plásticos sergipanos viraram as costas para a realidade e adquiriram voz frente ao oceano. Enquanto o Brasil lutava pela liberdade, o “Texas Brasileiro”, como ficou conhecido o estado de Sergipe, aplaudia o crescimento econômico e bania a cultura do seu cotidiano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ludovico Omar Bernardi, Universidade Tiradentes

Letras-Inglês, Direito, História - Práticas Investigativas

Publicado
2014-03-24
Como Citar
Bernardi, L. O., Freitas, L. D., Souza, F. R. M., Silva, V. N. da, Torquata, C., & Ferreira, R. (2014). As artes plásticas em Sergipe durante o período de 1968 a 1974. Caderno De Graduação - Ciências Humanas E Sociais - UNIT - SERGIPE, 2(1), 165-173. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/cadernohumanas/article/view/503
Seção
Artigos