A MEDIAÇÃO SISTÊMICA COMO FERRAMENTA DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS FAMILIARES NAS RELAÇÕES HOMOAFETIVAS SOB O OLHAR DO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO

  • Marlton Fontes Mota Tiradentes University
Palavras-chave: Constituição. Mediação. Família. Conflito. Homoafetivo.

Resumo

A mediação familiar vem se firmando como um importante instrumento para a solução consensual de conflitos, trazendo consigo uma diversidade de elementos de contemporaneidade que alcançam a compreensão de grande parte da sociedade para aplicação do referido instituto nos conflitos decorrentes das uniões homoafetivas. A pesquisa visa enaltecer os pontos de convergência e de divergência a respeito da mediação familiar sistêmica aplicada às uniões homoafetivas, objetivando promover a reflexão da sociedade para o tema, partindo da pesquisa exploratória, baseada em dados bibliográficos e de normativos legais, aplicando o método indutivo para a compreensão e constatação dos entendimentos doutrinários a respeito da mediação sistêmica, e descrevendo qualitativamente as conclusões alcançadas pelos normativos jurídicos, dispondo nos conceitos basilares a percepção convergente a respeito da aplicação dos princípios constitucionais à união homoafetiva e na mesma seara, observou-se fatores de dissenso sobre os novos modelos e padrões relacionais que refletem no papel e no exercício da atividade do profissional mediador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marlton Fontes Mota, Tiradentes University
Mestre em Educação pela Universidade Tiradentes (Unit), Especialista em Direito Processual Civil pela Universidade Unyanha (BA), Coordenador de projetos de iniciação científica PROVIC/Unit, pesquisador-líder do Grupo de Pesquisa "Gênero, Direitos Humanos e Diversidade Sexual", CNPq
Publicado
2018-04-20
Como Citar
Mota, M. F. (2018). A MEDIAÇÃO SISTÊMICA COMO FERRAMENTA DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS FAMILIARES NAS RELAÇÕES HOMOAFETIVAS SOB O OLHAR DO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO. Caderno De Graduação - Ciências Humanas E Sociais - UNIT - SERGIPE, 4(3), 107. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/cadernohumanas/article/view/4789
Seção
Artigos