Nietzsche, ressentimento e educação: provocando desterritorializações

  • Leonardo Leite de Andrade Universidade Tiradentes/Graduando de Psicologia
  • Dinamara Garcia Feldens Universidade Tiradentes/PPED - Professora e orientadora do programa adjunto ao mestrado e doutorado em educação da Universidade Tiradentes
Palavras-chave: Nietzsche. Educação. Filosofia. Ressentimento.

Resumo

O presente artigo tem por objetivo suscitar e percorrer alguns problemas inerentes a nossa educação institucionalizada que, como observamos despontencializa o sujeito, moldando-o, segundo os imperativos desta sociedade capitalista, que leva o aluno, sempre a ‘pontos finais’ e nunca a um meio criativo. A partir disso procuramos traçar certas linhas partindo do conceito de ressentimento do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (1844-1900) e da filosofia do francês Gilles Deleuze (1925-1995) provocando assim um pensamento que é marcado por um devir, afirmando a sua diferença. Concluímos então com um novo olhar, um novo paradigma que tem por proposta o professor e sua relação com o aluno onde a educação seja voltada sempre para um acontecimento e que não se apegue a práticas programadas, instituídas e acabadas e sim uma política pública educacional que fuja desse assujeitamento, apontando sempre para novas veredas, novos processos criativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Leite de Andrade, Universidade Tiradentes/Graduando de Psicologia
Graduando em Psicologia (Habilitação: Formação de Psicólogo) na Universidade Tiradentes (SE), bolsista pelo programa PIBIC-CNPq e membro integrante do Grupo de Pesquisa em Educação, Cultura e Subjetividade (GPECS/UNIT/CNPq), na referida instituição, colaborando com projetos, pesquisa e compartilhando ideias. Pesquisa atualmente, sobre Educação, Currículos Escolares, Ética e Subjetividade.
Dinamara Garcia Feldens, Universidade Tiradentes/PPED - Professora e orientadora do programa adjunto ao mestrado e doutorado em educação da Universidade Tiradentes
Possui graduação em História pela Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC (1996), Mestrado em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS (1999 CAPES _ Conceito 6) e Doutorado em Educação Básica pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos _ UNISINOS (2004 Capes - Conceito 6), com bolsa Cnpq na Universidade da Sorbonné - França na área da Educação e Antropologia do Corpo. Possui pós doutorado pela Universidade Complutense de Madrid UCM, na área de Filosofia da Educação, através de bolsa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq . É pesquisadora do Instituto Tecnológico de Pesquisa ITP e professora PPG I da Universidade Tiradentes no Programa de Pós Graduação em Educação na UNIT. É membro do Comitê Científico da Universidade Tiradentes onde coordena o Programa de Pós Graduação em Educação - nível Mestrado e Doutorado e o Doutorado Interinstitucional/ DINTER em Educação em parceria com o PED da PUC/RS. È avaliadora da CAPES na área do ensino PAEP/DPB. Tem experiência na área de Educação, História, Filosofia e Pesquisa, com ênfase em formação de professores, estudos de Gênero e ética currícular, História do Conhecimento e Filosofia da Diferença. Atua principalmente nos temas: epistemologia do conhecimento, fundamentos da educação, gênero,ética,formação de professores, filosofias pós-modernas, contemporaneidade. Trabalha com os autores, Gilles Deleuze, Félix Guattari, Friedrich Nietzsche e Michel Foucault.
Publicado
2015-03-25
Como Citar
Andrade, L. L. de, & Feldens, D. G. (2015). Nietzsche, ressentimento e educação: provocando desterritorializações. Caderno De Graduação - Ciências Humanas E Sociais - UNIT - SERGIPE, 2(3), 99-112. Recuperado de https://periodicos.set.edu.br/cadernohumanas/article/view/1953
Seção
Artigos