ATIVIDADE FÍSICA E CAPACIDADE FUNCIONAL PARA AS ATIVIDADES DA VIDA DIÁRIA DE IDOSOS USUÁRIOS DE UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

Daniel Vicentini de Oliveira, Nathan Faleiro Rodrigues, Celita Salmaso Trelha, José Roberto Andrade do Nascimento Júnior, Daniel de Aguiar Pereira, Mateus Dias Antunes, Sônia Maria Marques Gomes Bertolini

Resumo


Esse presente estudo teve como objetivo analisar o nível de atividade física e a capacidade funcional dos idosos usuários das Unidades Básicas de Saúde (UBS) de um município do noroeste paranaense. Estudo transversal, realizado com 654 idosos, de ambos os sexos. Foram utilizados o International Physical Activity Questionnaire, a Escala de Katz e a Escala de Lawton. A análise dos dados foi realizada por meio dos testes Kolmogorov-Smirnov. Qui-quadrado, Kruskal-Wallis, “U” de Mann-Whitney e Spearman. Considerou-se um nível de significância de p < 0,05. Os idosos com idade entre 60 a 69 anos e que procuram as UBS para consulta médica apresentaram melhor capacidade funcional nas atividades básicas de vida diária (ABVD) e nas atividades instrumentais de vida diária (AIVD). Os idosos não aposentados e com maior nível de atividade física apresentaram melhor capacidade funcional nas AIVD. Idosos sem histórico de quedas demonstraram melhor capacidade funcional nas ABVD. Existe tendência dos idosos com boa percepção de saúde e independência nas ABVD e AIVD terem nível de atividade física muito ativo/ativo. Variáveis sociodemográficas e condições de saúde estão associadas ao nível de atividade física e à capacidade funcional de idosos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2316-3798.2019v8n1p81-98


Indexada em: