A construção da noção de sujeito/dessujeito enquanto fenômeno psicológico dentro de uma historicidade e territorialização subjetivada

Igor Alexandre Meneses Dantas

Resumo


O presente estudo reflete, de maneira bastante horizontal, as bases históricas e conceituais do sujeito considerado louco, no sentido de dessujeito pelo viés da psicologia contemporânea. Analisa a importância do conceito de alienação mental enquanto formação histórica na sociedade moderna e, com ele, a constituição de um sujeito sujeitado, incapaz de subjetividade e de desejo: um não-sujeito social. Em continuidade, reflete sobre a mudança de vieses que perpassam o dessujeito. Tendo como proposta a construção coletiva do louco, não mais como o indivíduo da não-razão, mas como dessujeitado, isto é, liberto da máquina racional da sociedade.


Palavras-chave


loucura; subjetividade; psicologias

Texto completo:

PDFX-1A


DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2316-3798.2013v2n1p59-66


Indexada em: