A COMUNICAÇÃO NÃO VIOLENTA COMO INSTRUMENTO PARA UMA CULTURA DE PAZ: UMA PROPOSTA PARA AS ESCOLAS DA REDE ESTADUAL DE SERGIPE

Maria Angélica da Silva Costa Santos

Resumo


O presente artigo discute a temática da comunicação no contexto das relações interpessoais para uma Cultura de Paz. Como se observa, no contexto da sociedade contemporânea, práticas de violência são legitimadas por uma cultura que as naturalizam. Nesse contexto, partindo dos princípios dos Estudos para a Paz, é preciso aprender a desaprender a cultura da violência. Portanto, nesse contexto, a Comunicação e Educação para a Paz apresentam alternativas capazes de romper com o paradigma da violência, reconstruindo formas pacíficas de transformação de conflitos, momentos de reflexão crítica e construção de novos saberes voltados para uma epistemologia dialógica da afetividade e do acolhimento. Para tanto, buscamos recuperar um breve histórico sobre a comunicação para contextualizar a concepção de comunicação não-violenta no contexto da Comunicação e Educação para a Paz. Em seguida, abordamos a respeito dos conflitos interpessoais que emergem a partir das dificuldades de comunicação. Nesse sentido, apresentamos os resultados de uma pesquisa quantitativa e exploratória realizada sobre os diversos tipos de violências encontradas nas 358 escolas da rede estadual de ensino de Sergipe, através de um questionário aplicado aos representantes dos diversos segmentos da comunidade escolar, tais como: professor, aluno, pai, funcionário e direção. Finalmente, pretendemos recomendar uma proposta para utilizarmos a comunicação não-violenta como instrumento para a construção da Cultura de Paz, no sentido de prevenir e lidar com situações de violência escolar, possibilitando a reconstrução dos relacionamentos
interpessoais. Entendermos que é nos relacionamentos que se encontra a resposta para muitas questões que permeiam a existência humana,
o viver e o refinamento dessa arte: o conviver e o viver com. Tais questões perpassam pelos conflitos desagregadores, pelo não-diálogo e pelo desencontro que frustra.

Palavras-chave


Comunicação Não-Violenta. Educação para Paz. Relações Interpessoais.

Texto completo:

PDF