A FESTA DE ZÉ POVINHO: a carnavalização da Festa do Senhor do Bonfim de Salvador

Francisco Antônio Nunes Neto

Resumo


O texto analisa o surgimento da Segunda-Feira do Bonfim na Ribeira como o primeiro grande desdobramento da Festa do Senhor do Bonfim de Salvador. Para tanto, utiliza como fontes documentais os Jornais Diário de Notícias, Diário da Bahia e A Tarde, através dos quais identifica-se o contexto histórico em que esta tradição festiva passou acontecer em Salvador, primeiramente, como uma continuidade da Festa do Senhor do Bonfim, tendo, posteriormente, atingido o status de uma importante festa de largo e popular que, durante muitos anos, funcionou como prévia do Carnaval de Salvador. Entra em análise a Festa de Zé Povinho – alcunha adotada nos textos jornalísticos para identificar as classes populares – que ocorreu em Salvador mais fortemente até os anos 80 do século XX, quando, esta prática cultural passou a conhecer o seu declínio e importância no calendário festivo do verão da cidade.

Palavras-chave


Bahia; Festas Populares; Práticas Culturais; Jornais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17564/2316-3801.2015v3n3p75-86