UM APANHADO SOBRE REMANESCENTES DE ENGENHOS ALAGOANOS LOCALIZADOS NO ENTORNO DA LAGOA MANGUABA.

Debora Pereira Vital, Luana Kézia Monteiro de Medeiros

Resumo


Os engenhos foram complexos importantes para a colonização do Brasil e com forte influência para o nosso estado. Estes núcleos constituiam-se como conjunto de subsistência, cujas necessidades poderiam ser supridas e oferecidas no próprio conjunto. Além disso, a principal finalidade destes foi a produção e comercialização do açúcar que movimentou a economia do país bem o setor em Alagoas. Durante um grande período estes núcleos tiveram seu apogeu porém posteriormente com os avanços e necessidades em adotar sistemas tecnológicos estes complexos caíram em declínio. Considerando a influência destes sob a construção da nossa identidade esta investigação objetiva averiguar os elementos materiais de engenhos remanescentes em Alagoas sob a ótica de exemplares localizados no entorno da lagoa Manguaba, região que teve importantes modelos açucareiros. Para tanto o trabalho apresenta uma compilação que envolve as referências bibligráficas e as percepções de campo que tecem e revelam sobre a conformidade dos engenhos investigados.

Palavras-chave


Fábricas de açucar, engenhos de Alagoas, patrimônio

Texto completo:

PDF

Referências


ANTONIL, André João. Cultura e Opulência do Brasil por suas drogas e minas etc [1711]. São Paulo: Edusp, 2007.

BLUTEAU, Raphael. Vocabulario portuguez & latino: aulico, anatomico, architectonico .Vol. 3v. Coimbra: Collegio das Artes da Companhia de Jesus, 1712-1721.

DIÉGUES JÚNIOR, Manuel. O bangüe nas Alagoas: traços da influência do sistema econômico do engenho de cana de açúcar na vida e na cultura regional. Maceió: EDUFAL, 2006.

—. O engenho de açúcar no Nordeste. Maceió: EDUFAL, 2006.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. São Paulo: Global, 2006.

GOMES, Geraldo. Engenho e arquitetura. Recife: Fundaj/ Ed. Massangana, 2006.

PUDSEY, Cuthbert. Diário de uma Estada no Brasil (1629-1640). Petrópolis: Index, 2000.

QUINTAS, Fátima(Org.). A civilização do açúcar. Recife: Sebrae/ Fundação Gilberto Freyre, 2007.

SANT'ANA, Moacir Medeiros de. Contribuição a história do açúcar em Alagoas. Maceió: Imprensa Oficial Graciliano Ramos/ CEPAL, 2011.

VAUTHIER, Louis Léger. Arquitetura Civil I. São Paulo: FAUUSP/ MEC IPHAN, 1975.