A PSICOFISIOLOGIA DA ATENÇÃO: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Lirani Firmo Da Costa Souza, Rodrigo Da Silva Almeida, Maria Sônia Da Silva Crispim, Dionísio Souza Da Silva, André Fernando De Oliveira Fermoseli

Resumo


O presente artigo objetiva fazer uma revisão bibliográfica sistemática integrativa a respeito das bases psicofisiológicas da Atenção, a partir dos seguintes descritores: Atenção, Psicofisiologia e Neurofisiologia. Então, a literatura tem apontado diferentes formas de classificar a Atenção e que a mesma não é uma função psicológica única. Consequentemente, existem diversas áreas do sistema nervoso envolvidas com o seu processamento, sendo 8 as mais apontadas: 1) Formação Reticular; 2) Tálamo; 3) Lobo parietal Posterior; 4) Córtex Frontal e Pré-Frontal; 5) Lobo Temporal Medial; 6) Locus Coeruleus; 7) Giro Cingulado Anterior e a 8) Amígdala. Além disso, a Atenção tem recebido cada vez mais destaque na atualidade por ser muito exigida em áreas importantes, como: estudos, trabalho, trânsito, esportes, etc., onde prejuízos nessa função podem acarretar problemas para o dia-a-dia dos indivíduos, tendo aumentado o número de diagnósticos de transtornos e patologias envolvendo essa função psíquica como a: Esquizofrenia, Depressão, Demência de Alzheimer; Doença de Parkinson, Esclerose Múltipla, Delirium, Dislexia e o TDAH, etc. Portanto, o conhecimento das bases psicofisiológicas da Atenção pode ser utilizado para um tratamento mais efetivo desses quadros clínicos, otimizar o desempenho em atividades cotidianas e melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Palavras-chave


Atenção. Psicofisiologia. Neurofisiologia.

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, E. M. L. S. Psicologia: introdução aos princípios básicos do comportamento. 11 ed. Petrópolis: Vozes, 2000, p. 113-114.

AMORÍM, L. C. D.; OLÍVI, M. L. R. Distúrbios psiquiátricos no idoso. In: ASSUMPÇÃO JÚNIOR, F. B. (Coord.). Psicopatologia: aspectos clínicos. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011, p. 125-126.

AMORIM JÚNIOR, A. A. Formação reticular In: MENEZES, M. S. Neuroanatomia aplicada. 3 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011, p. 124-125.

ASSOCIAÇÃO AMERICANA DE PSIQUIATRIA (APA). Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais- DSM-5. Trad. Maria Inês Corrêa Nascimento et al. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

BARLOW, D. H.; DURAND, V. M. Psicopatologia: uma abordagem integrada. 2 ed. São Paulo: Cengage Learning, 2015, p. 124-125.

BEE, H.; BOYD, D. A Criança em desenvolvimento. 12 ed. Porto Alegre: Artmed, 2011, p. 114.

BOURGEOIS, J. A.; SEAMAN, J. S.; SERVIS, M. E. Delirium, demência, transtornos amnésicos e outros transtornos cognitivos. In: HALES, R. E.; YUDOFSKY, S. C.; GABBARD, G. O. Tratado de psiquiatria clínica. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2012, p. 325-387.

BRAGHIROLLI, E. M. et al. Psicologia geral. 35 ed. Petrópolis: Vozes, 2014, p. 84.

BRANDÃO, M. L. As bases psicofisiológicas do comportamento. São Paulo: E.P.U., 1991, p. 11.

_________________Psicofisiologia. 3 ed. São Paulo: Atheneu, 2012, p. 3-4.

BOTELHO, L. L. R.; CUNHA, C. C. A.; MACEDO, M. O Método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e Sociedade, v. 5, n. 19, Belo Horizonte, Nov. 2011, p. 121-136. Disponível em: < https://www.gestaoesociedade.org/gestaoesociedade>. Acesso em 24 Abr. 2017.

CARTER, R. O Livro de ouro da mente: o funcionamento e os mistérios do cérebro humano. Trad. Vera de Paula Assis. Rio de Janeiro: Ediouro, 2003, p. 366-367.

CLARKIN, J. F.; HOWIESON, D. B.; MCCLOUGH, J. Papel de medidas psiquiátricas na avaliação e no tratamento. In: HALES, R. E.; YUDOFSKY, S. C.; GABBARD, G. O. Tratado de psiquiatria clínica. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2012, p. 92-132.

COSENZA, R. M.; GUERRA, L. B. Neurociência e educação: como o cérebro aprende. Porto Alegre: Artmed, 2011, p. 41-44.

COSTA, D. S. et al. Neuropsicologia do transtorno de déficit de atenção/ hiperatividade e outros transtornos externalizantes. In: FUENTES, D. et al. (Orgs.). Neuropsicologia: teoria e prática. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2014, p. 174.

CUSTÓDIO, E. M. Avaliação das dificuldades de aprendizagem: novas perspectivas para avaliação psicoeducacional. In: WECHSLER, S. M. et al. (Org.). Psicologia escolar: pesquisa, formação e prática. 4 ed. Campinas: Alínea, 2011, p. 145-164.

DALGALARRONDO, P. Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2008, p. 102-108.

DAVIDOFF, L. L. Introdução à psicologia. 3 ed. Pearson Makron Books, 2001, p. 143-145.

DECKER, R. Neuropsicologia e atenção. 2015, 64 f. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso de Psicologia) – Instituto de Psicologia. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015. Disponível e: . Acesso em 06 Maio, 2017.

DE LUCA, M. I. O. Dislexia e atenção. 2009, 89 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Faculdade de Psicologia e Fonoaudiologia, Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2009. Disponível em: . Acesso em 06 Maio, 2017.

DOMINGOS, M. C. R. Abordagem neuropsicológica das alterações na atenção e memória na syndrome de burnout. 2011, 125 f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Departamento de Educação. Universidade de Aveiro, s/l, 2011. Disponível em: . Acesso em 06 Maio, 2017.

ERNÉ, S. A. O Exame do estado mental do paciente. In: CUNHA, J. A. Psicodiagnóstico V. Porto Alegre: Artmed, 2000, p. 67-74.

FELDMAN, R. S. Introdução á psicologia. 10 ed. Porto Alegre: AMGH, 2015, p. 478.

GERTSENCHTEIN, L. I. P. S. Correlação entre ansiedade e o desempenho em atenção concentrada: um estudo psicofisiológico. 2011, 84 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia)- Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Saúde. Universidade Metodista do Estado de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2011. Disponível em: . Acesso em 06 Maio, 2017.

GIL, R. Neuropsicologia. 4 ed. São Paulo: Santos, 2014, 430.

GRAEFF, F. G.; GUIMARÃES, F. S. Fundamentos da psicofarmacologia. 2 ed. São Paulo: Atheneu, 2012, p. 127.

GUYTON, A. C. Fisiologia humana. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011, p. 164-178.

HAASE, V. G.; SANTOS, F. H. Transtornos específicos de aprendizagem: dislexia e discalculia. In: Fuentes, D. et al. (Orgs). Neuropsicologia: teoria e prática. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2014, p. 139-153.

HENRIQUE JÚNIOR, N. Correlações entre percepção da passagem do tempo, atenção difusa e ansiedade. 2011, 78 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Saúde. Universidade Metodista, São Bernardo do Campo, 2011. Disponível em: . Acesso em 06 Maio, 2017.

JOSKA, J. A.; STEIN, D. J. Transtornos do humor. In: HALES, R. E.; YUDOFSKY, S. C.; GABBARD, G. O. Tratado de psiquiatria clínica. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2012, p. 483-530.

LAGE, G. M.; ALBUQUERQUE, M. R.; CHRISTE, B. Neuropsicologia do comportamento motor. In: Fuentes, D. et al. (Orgs). Neuropsicologia: teoria e prática. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2014, p. 155-163.

LENT, R. Cem bilhões de neurônios?: Conceitos fundamentais de neurociência. 2 ed. São Paulo: Atheneu, 2010, p. 631-639.

______. A Estrutura do sistema nervoso. In: In: LENT, R. et al. (Org.). Neurociência da mente e do comportamento. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2016, p. 27.

LOZANO, M. D. O Efeito do controle respiratório em variáveis eletrofisiológicas da atenção. 2016, 49 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde, Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2016. Disponível em: . Acesso em 06 Maio, 2017.

MACÉA, D. D. Fatores que influenciam a ocorrência de efeito atencional automático em uma tarefa de tempo de reação vai/ não-vai. 2009, 81 f. Dissertação (Mestrado em Fisiologia Humana)- Instituto de Ciências Biomédicas. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: < www.teses.usp.br/teses/disponiveis/42/42137/tde-0107>. Acesso em 06 Maio, 2017.

MACHADO, A. B. M.; HAERTEL, L. M. Neuroanatomia funcional. 3 ed. São Paulo: Atheneu, 2014, p. 195.

MENEZES, I. C. Avaliação neuropsicológica de funções executivas e da variabilidade simpático/parassimpática cardíaca de pacientes com estresse pós-traumático. 2013, 156 f. Dissertação (Mestrado em Neurociências)- Instituto de Ciências Básicas da Saúde. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013. Disponível em: . Acesso em 06 Maio, 2017.

MINZENBERG, M. J.; YOON, J. H.; CARTER, C. S. Esquizofrenia. In: : HALES, R. E.; YUDOFSKY, S. C.; GABBARD, G. O. Tratado de psiquiatria clínica. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2012, p. 431-482.

NOLEN-HOEKSEMA, S. et al. Atkinson & Hilgard: introdução à psicologia. 15 ed. São Paulo: Cengage Learning, 2012, p. 138-139.

PAIM, I. Curso de psicopatologia. 11 ed. Rev. e ampl. São Paulo: E.P.U., 2016, p. 161-170.

PASQUINI, H. A. Correlatos eletrofisiológicos de modificação da atenção em longo prazo. 2013, 82 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Faculdade de Saúde. Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2013. Disponível em: . Acesso em 06 Maio, 2017.

PEGORARO, L. F. L.; CEARÁ, A. T.; FUENTES, D. Neuropsicologia das psicoses. In: Fuentes, D. et al. (Orgs). Neuropsicologia: teoria e prática. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2014, p. 215-222.

PEREIRA, A.; MATOS, P. Tratamento do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). In: RANGÉ, B. P. et al. Psicoterapias cognitivo-comportamentais: um diálogo com a psiquiatria. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2011, p. 493-507.

PINEL, J. P. J. Biopsicologia. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2005, p. 38-39.

RETONDO, C. D.; FARIA, P. Química das sensações. 3 ed. São Paulo: Átomo, 2009, p. 50-51.

RISSATO, A C. S. Aplicabilidade do teste da habilidade de atenção auditiva sustentada- THAAS em campo livre em crianças de sete anos. 2008, 131 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia) – Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo, Bauru, 2008. Disponível em: . Acesso em 06 Maio, 2017.

SANCHEZ, T. A. Regulação emocional pela atenção: um estudo de neuroimagem por ressonância magnética funcional. 2009, 130 f. Tese (Doutorado em Ciências) – Departamento de Física e Matemática. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2009. Disponível em: < www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59135/td.PDF >. Acesso em 06 Maio, 2017.

SIMÃO, A. N. P. et a. Comparação do desempenho de estudantes em instrumentos de atenção e funções executivas. Revista Psicopedagogia, v. 27, n. 83, Campinas/ SP, Ago. 2010, p. 171-180. Disponível em: . Acesso em 06 Maio, 2017.

STERNBERG, R. J. Psicologia cognitiva. 5 ed. São Paulo: Cengage Learning, 2016, p. 107-152.

STRAUB, R. O. Psicologia da saúde: uma abordagem biopsicossocial. 3 ed. Porto Alegre: Artmed, 2014, p. 52.

TONNETTI, F. A. A Especificidade da ciência da atenção (da filosofia da mente á neurociência cognitiva). 2008, 155 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) –

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008. Disponível em: . Acesso em 06 Maio, 2017.

VAN DE GRAAFF, K. M. Anatomia humana. 6 ed. São Paulo: Manole, 2003, p. 377.

WAGNER, F.; ROHDE, L. A. Psicodiagnóstico e transtorno de déficit de atenção/hiperatividade. In: HUTZ, C. S. et al. (Orgs). Psicodiagnóstico. Porto Alegre: Artmed, 2016, p. 323-330. (Col. Avaliação Psicológica).

WEITEN, W. Introdução à psicologia: temas e variações. 7 ed. São Paulo: Cengage Learning, 2010, p. 206-207