OS FUNDAMENTOS DA OPRESSÃO SOBRE A MULHER E ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL EM DEFESA DOS DIREITOS REPRODUTIVOS DAS MULHERES

Albani Barros, Bianca Gomes Alves

Resumo


O artigo aqui presente tem por objetivo levantar a questão sobre os direitos reprodutivos das mulheres, de forma que se possa compreender que se trata de saúde pública, e não um crime ou imoralidade praticada por estas, e trazer como discussão a atuação do assistente social em prol da defesa de um tema extremamente polêmico que é carregado cotidianamente de preconceitos e valores morais pela sociedade. Apresentaremos um resgate histórico da construção da soberania masculina e a definição do masculino e feminino, de forma a mostrar a contribuição de complexos sociais para a retirada da autonomia da mulher sobre si própria e seu corpo. A criminalização do direito reprodutivo das mulheres é uma violação dos direitos humanos, e fere intensamente a autonomia das mesmas, principalmente em se tratando de um país que se autodenomina Estado Democrático-Laico.


Palavras-chave


Assistente Social, direitos reprodutivos, opressão

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Mariana Alves de Andrade; MELO, Edivânia. Marx, Mészáros e o Estado. São Paulo: Instituto Lukács, 2012.

CAMURÇA, Silvia; GOUVEIA, Taciana. O que é Gênero. 4.ed. Recife: SOS Corpo – Instituto Feminista para a Democracia, 2004. Disponível em: . Acesso em: 13 maio 2013.

CFESS. Parâmetros para a Atuação de Assistentes Sociais na Política de Saúde. Brasília: CFESS, 2010.

CHAUÍ, Marilena. Convite a Filosofia. 13.ed. São Paulo: Ática, 2009.

CRESS. Coletânea de Leis. Maceió: 2002.

CRESS. A Bíblia Sagrada. São Paulo: Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, 2007.

CRESS. Código Penal Brasileiro. Brasília, 1940. Disponível em: . Acesso em: 16 ago. 2013.

CRESS. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 2008.

CRESS. Estatuto do Nascituro. CFMEA, 2012. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2013.

CRESS. Projeto de Lei da Câmara (PLC) 3/2013. CFEMEA, 2013. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2013.

ENGELS, Friedrich. A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado. 2.ed. São Paulo: Escala, 2005.

FERREIRA, Kauara Rodrigues Dias. Conservadorismos Religiosos e Políticos como Ameaças aos Direitos Reprodutivos das Mulheres: Desafios para o Legislativo Brasileiro. Fazendo Gênero: Diásporas, Diversidades e Deslocamentos, 2010.

GALLI, Maria Beatriz. O Impacto da Ilegalidade do Aborto na Saúde das Mulheres e nos Serviços de Saúde em Cinco Estados Brasileiros: Subsídios para o Debate Político. Fazendo Gênero: Diásporas, Diversidades e Deslocamentos, 2010.

LESSA, Sérgio. Abaixo a Família Monogâmica. São Paulo: Instituto Lukács, 2012.

LESSA, Sérgio; TONET, Ivo. Introdução à Filosofia de Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

LESSA, Sérgio; TONET, Ivo. Proletariado e Sujeito Revolucionário. São Paulo: Instituto Lukács, 2012.

MATOS, Maurílio Castro. A Descriminalização do Aborto em Portugal: Uma reflexão sobra a implementação da lei no serviço de nacional de saúde (2007-2010). Fazendo Gênero: Diásporas, Diversidades e Deslocamentos, 2010.

SAFFIOTI, Heleith I. Gênero, Patriarcado e Violência. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004.

SAFFIOTI, Heleith I. O Poder do Macho. São Paulo: Moderna, 1987.

SCIAMARELLA, Ana Paula. Criminosas ou Vítimas? Documentação das Violações dos Direitos Humanos das Mulheres Criminalizadas. Fazendo Gênero: Diásporas, Diversidades e Deslocamentos, 2010.

TEIXEIRA, Francisco. Marx no século XXI. São Paulo: Cortez, 2008.

TOLEDO, Cecília. Mulheres: O gênero nos une, a classe nos divide. São Paulo, 2008.