A MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NO BRASIL: ACOLHIMENTO E ASSISTÊNCIA DA ENFERMAGEM

Estherfane Ribeiro De Lima

Resumo


A violência contra a mulher constitui um importante problema de saúde pública no Brasil e no mundo, essa experiência traumática provoca transformações no modo desta mulher ser e estar do mundo. No Brasil, de acordo com dados do Mapa da Violência 2015, a expressão da violência doméstica contra a mulher (VDCM), entre 1980 e 2013, apresentou um ritmo crescente, tanto em número quanto em taxas. Trata-se de uma revisão integrativa a fim de resumir e sintetizar o conhecimento científico já produzido em estudos publicados nos anos de 2015 a 2018, nas bases de dados Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Scientific Electronic Library Online (SCIELO), foram selecionados três descritores, sendo eles: “Enfermagem e Violência Doméstica”; “Violência doméstica na mulher”; “Saúde da Mulher”. Tendo como objetivo analisar a assistência do profissional de enfermagem frente a mulher vítima de violência doméstica. Diante de inúmeros casos de violência que acometem a população feminina, a enfermagem assume o papel de acolher e possibilitar o apoio por parte da equipe multidisciplinar, incentivar a construção de vínculo com as redes de assistência, acompanhamento, proteção e redes de apoio, bem como a prática do cuidado não clínico, como conversar, escutar e orientar as mulheres e familiares. O elevado número de mulheres mortas por agressão e a violência de repetição revelaram a fragilidade das redes de atenção e proteção no atendimento integral, qualificado e oportuno às vítimas.

Palavras-chave


Enfermagem e violência doméstica; Violência doméstica na mulher; Saúde da Mulher.

Texto completo:

PDF

Referências


ACOSTA, Daniele Ferreira et al. Representações sociais de enfermeiras acerca da violência doméstica contra a mulher: estudo com abordagem estrutural. Rev Gaúcha Enferm, Rio Grande do Sul, p.1-8, 19 maio 2017. Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2018.

Barros EN, Silva MA, Falbo GH Neto, Lucena SG, Ponzo L, Pimentel AP. Prevalência e fatores associados à violência por parceiro íntimo em mulheres de uma comunidade em Recife/Pernambuco, Brasil. Cienc Saúde Coletiva. 2016;21(2):591-8. [Acesso em 05 de nov de 2018]. Disponível em: doi: 10.1590/1413-81232015212.10672015.

CORTES, Laura Ferreira; PADOIN, Stela Maris de Mello. Intencionalidade da ação de cuidar mulheres em situação de violência: contribuições para a Enfermagem e Saúde. Esc. Anna Nery[online]. 2016, vol.20, n.4, e20160083. Epub Aug 25, 2016. ISSN 1414-8145. [Acesso em 29 de set de 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20160083.

CORTES, Laura Ferreira; PADOIN, Stela Maris de Mello; KINALSKI, Daniela Dal Forno. Instrumentos para articulação da rede de atenção às mulheres em situação de violência: construção coletiva. Rev. Gaúcha Enferm. [online]. 2016, vol.37, n.spe, e2016-0056. Epub June 05, 2017. ISSN 1983-1447. [Acesso em 29 de set de 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2016.esp.2016-0056.

COSTA, Milena Silva; SERAFIM, Márcia Luana Firmino; NASCIMENTO, Aissa Romina Silva do. Violência contra a mulher: descrição das denúncias em um Centro de Referência de Atendimento à Mulher de Cajazeiras, Paraíba, 2010 a 2012. Epidemiol. Serv. Saúde [online]. 2015, vol.24, n.3, pp.551-558. ISSN 1679-4974. [Acesso em 02 de nov de 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742015000300022.

DOSSI, Ana Paula et al. Perfil epidemiológico da violência física intrafamiliar: agressões denunciadas em um município do Estado de São Paulo, Brasil, entre 2001 e 2005. Cad. Saúde Pública [online]. 2008, vol.24, n.8, pp.1939-1952. ISSN 0102-311X. [acesso em 02 de nov de 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008000800022.

FERREIRA, Rebeca Monteiro; VASCONCELOS, Thiago Brasileiro de; MOREIRA FILHO, Renato Evando; MACENA, Raimunda Hermelinda Maia. Características de saúde de mulheres em situação de violência doméstica abrigadas em uma unidade de proteção estadual. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2016, vol.21, n.12, pp.3937-3946. ISSN 1413-8123. [Acesso em 20 de nov de 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320152112.09092015.

FONSECA, Rosa Maria Godoy Serpa da; GUEDES, Rebeca Nunes. VIOLÊNCIA DOMÉSTICA: UM OLHAR DE GÊNERO. Reunião Anual da Sbpc, Goiânia, p.1-35, 14 jul. 2011. [acesso em 20 nov. 2018]. Disponível em: .

Garcia LP, Freitas LRS, Höfelmann DA. Avaliação do impacto da Lei Maria da Penha sobre a mortalidade de mulheres por agressões no Brasil, 2001-2011. Epidemiol Serv Saude. 2013;22(3):383-94. [Acesso em 20 nov de 2018]. Disponível em: doi: 10.5123/S1679- 49742013000300003.

GOMES, Vera Lúcia de Oliveira et al. Violência doméstica contra a mulher: representações de profissionais de saúde. Rev. Latino-Am. Enfermagem vol.23 no.4 Ribeirão Preto July/Aug. 2015. [Acesso em 10 de nov de 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0104-1169.0166.2608.

GOMES, Nadirlene Pereira et al. IDENTIFICAÇÃO DA VIOLÊNCIA NA RELAÇÃO CONJUGAL A PARTIR DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2013 Jul-Set; 22(3): 789-96.

HESLER, Lilian Zielke et al. Violência contra as mulheres na perspectiva dos agentes comunitários de saúde. Rev. Gaúcha Enferm. vol.34 no.1 Porto Alegre Mar. 2013. [Acesso em 02 de nov de 2018]. Diponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472013000100023.

KIND, Luciana et al. Subnotificação e (in)visibilidade da violência contra mulheres na atenção primária à saúde. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 29(9):1805-1815, set, 2013. [Acesso em 05 de nov de 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00096312.

LETIERRE, Angelina Lettiere, Ana Márcia Spanó Nakano. Rede de atenção à mulher em situação de violência: os desafios das transversalidades do cuidado. Rev. Eletr. Enf. [Internet]. 2015 out/dez;17(4). [Acesso em 05 de nov de 2018]. Disponível em: 10.11606/T.22.2015.tde-08052015-143157.

OLIVEIRA, Rebeca Nunes Guedes de; FONSECA, Rosa Maria Godoy Serpa da. A violência como objeto de pesquisa e intervenção no campo da saúde: uma análise a partir da produção do Grupo de Pesquisa Gênero, Saúde e Enfermagem. Rev. esc. enferm. USP vol.48 no.spe2 São Paulo Dec. 2014. [Acesso em 05 de nov de 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420140000800006.

SILVA, Camila Daiane et al. Representação da violência doméstica contra a mulher: comparação entre discentes de enfermagem. Rev. Gaúcha Enferm. [online]. 2018, vol.39, e63935. Pub. July 23, 2018. ISSN 1983-1447. [Acesso em 05 de nov de 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2018.633.

SILVA, Lídia Ester Lopes da; OLIVEIRA, Maria Liz Cunha de. Violência contra a mulher: revisão sistemática da produção científica nacional no período de 2009 a 2013. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2015, vol.20, n.11, pp.3523-3532. ISSN 1413-8123. [Acesso em 08 de nov de 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320152011.11302014.