A EDUCAÇÃO EM SAÚDE E A PREVENÇÃO DO CANCÊR DE PÊNIS.

Maria do Carmo de Lima Rapôso, Ana Paula Rebelo Aquino Rodrigues, Lays Nogueira Miranda, Giselle Mamede Tenório

Resumo


O câncer de pênis é uma neoplasia rara e representa a principal causa de morte dentre as diversas patologias na população masculina. Sua etiologia é desconhecida, mas está relacionada às baixas condições sociais, econômicas e de instrução, indivíduos não circuncidados e a má higiene íntima. Este estudo teve como objetivo descrever a educação em saúde como estratégia de prevenção ao câncer de pênis. Trata-se de um estudo de Revisão Literária. Utilizou-se duas bases de dados eletrônicos para a busca de artigos: Scientific Eletronic Library Online (SCIELO) e Literatura Científica e Técnica da América Latina e Caribe (LILACS). Foram utilizados os seguintes descritores: “Neoplasia penianas”, “Prevenção e controle”, “Genitália Masculina”, “Educação em Saúde” e “Saúde do homem”. Como critérios de inclusão foram abordados artigos no período de 2010 a 2016. O profissional enfermeiro possui o papel fundamental para o progresso do entendimento dessa patologia fazendo com que se torne viável a associação da educação em saúde como instrumento de prevenção trazendo um vasto diferencial e incorporando-se aos diferentes públicos de maneira relevante.


Palavras-chave


Neoplasias Penianas. Educação em Saúde. Prevenção e Controle. Genitália Masculina. Saúde do Homem.

Texto completo:

PDF

Referências


ANJOS, Q.S. et al. Práticas de Prevenção do Câncer de Próstata em Uma Unidade Básica de Saúde no Município de Rolim de Moura–RO. Revista Enfermagem e Saúde Coletiva, v. 1, n. 1, 2016. Disponível em Acesso em 05 nov.2016.

BARBOSA, I. R. Tendências e projeções da mortalidade pelos cânceres específicos ao gênero no Brasil. 2015. Disponível em

Acesso em 05 abril. 2015.

CERVERA, D.; PARREIRA, B.D.M; GOULART, B, F. Educação em saúde: percepção dos enfermeiros da atenção básica em Uberaba (MG). Ciênc. saúde coletiva, v. 16, n. S1, p. 1547-54, 2011. Disponível em

Acesso em 25 nov. 2015.

COELHO, M.M.F.; MIRANDA, K.C.L. Educação para emancipação dos sujeitos: reflexões sobre a prática educativa de enfermeiros. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro, 2015.Disponível em Acesso em 03 dez. 2015.

COSTA, S. et al. Câncer de pênis: epidemiologia e estratégias de prevenção. Caderno de Graduação-Ciências Biológicas e da Saúde-FACIPE, v. 1, n. 2, p. 23-33, 2013.Disponível em Acesso em 03 dez. 2015.

COSTA, S.et al. Câncer de pênis: epidemiologia e estratégias de prevenção. Caderno de Graduação-Ciências Biológicas e da Saúde-FACIPE, v. 1, n. 2, p. 23-3, 2015.Disponível em Acesso em 03 dez. 2015.

DIAS, G.A.R.; LOPES, M. M. B. Educação e saúde no cotidiano de enfermeiras da atenção primária. Revista de Enfermagem da UFSM, v. 3, n. 3, p. 449-460,

Disponível em

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs2.2.2/index.php/reufsm/article/view/7846>. Acesso em 10 dez. 2015.

FALKENBERG, M, B. et al. Educação em saúde e educação na saúde: conceitos e implicações para a saúde coletiva. Ciênc saúde coletiva [Internet]. mar, v. 19, n. 3, p. 847-52, 2014.Disponível em Acesso em 10 dez. 2015.

FERREIRA, V. F. et al. Educação em saúde e cidadania: revisão integrativa. Trab. educ. saúde, v. 12, n. 2, p. 363-378, 2014.Disponível emhttp://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462014000200009>Acesso em 10 dez. 2015.

FONSECA, A.G, et al. Estudo epidemiológico do câncer de pênis no Estado do Pará, Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 1, n. 2, p. 85-90, 2010.Disponível em Acesso em 10 dez. 2015.

FIGLIUOLO, G. Perfil clínico-epidemiológico associado a fatores de risco de pacientes com câncer de pênis atendidos em um Hospital de Referência Oncológica em Manaus. Vol.Revista Brasileira de Oncologia Clínica, v. 11, n. 40, 2015. Disponível em Acesso em 05 jan. 2016.

GARCIA, G. S. et al. Sistematização da Assistência de Enfermagem ao paciente com câncer de pênis doi: http://dx. doi. org/10.5892/ruvrv. 2013.111. 531541. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, v. 11, n. 1, p. 531-541, 2013. Disponível em Acesso em05 jan 2016.

INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER (INCA). Estimativa 2012: incidência do câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA; 2011. Disponível em . Acesso em 25 Ago.2015.

JANINI,J.P. ; BESSLER, D.; VARGAS, A.B. Educação em saúde e promoção da saúde: impacto na qualidade de vida do idoso. Saúde debate, v. 39, n. 105, p. 480-490, 2015.Disponível em . Acesso em 10 jan. 2016.

LEITE, A.H.P. et al. Hpv como fator de risco para o câncer peniano. Revista Brasileira de Educação e Saúde, v. 5, n. 3, p. 01-06, 2015.Disponível em Acesso em 25 jan. 2016.

MANDARINO, A.C.S.; GALLO, E. ; GOMBERG, E. Informar e educar em saúde: análises e experiências. In: Informar e educar em saúde: análises e experiências. FIOCRUZ, 2014. Disponível em Acesso em 07 fev.2016.

MARTINS, A.M. et al.A produção científica brasileira sobre o câncer masculino: estado da arte. Rev. bras. cancerol, v. 59, n. 1, p. 105-112, 2013. Disponível em . Acesso em 07 fev.2016.

MODENA, C. M. et al. Os homens e o adoecimento por câncer: um olhar sobre a produção científica brasileira. Revista Baiana de Saúde Pública, v. 37, n. 3, p. 644-660, 2014. Disponível em . Acesso em 07 fev.2016.

MOUTINHO, C.B. et al. Dificuldades, desafios e superações sobre educação em saúde na visão de enfermeiros de saúde da família. Trab. educ. saúde, v. 12, n. 2, p. 253-272, 2014.Disponível em Acesso em 07 fev.2016.

MOTTA, R. T. Câncer de Pênis. Revista Coorte, n. 02, 2014. Disponível em Acesso em 07 fev.2016.

NIETSCHE, E.A. et al. Educação em saúde: planejamento e execução da alta em uma Unidade de Terapia Intensiva neonatal. Esc. Anna Nery Rev. Enferm, v. 16, n. 4, p. 809-816, 2012.Disponível em Acesso em 07 fev.2016.

PAULA, S.H. B.; SOUZA, M. J.L.; ALMEIDA, J.D. Câncer de pênis, aspectos epidemiológicos e fatores de risco: tecendo considerações sobre a promoção e prevenção na Atenção Básica. BIS. Boletim do Instituto de Saúde (Impresso), v. 14, n. 1, p. 111-118, 2012. Disponível em Acesso em 28 fev.2016.

PEREIRA, D. L.et al. Estudo da prevalência das formas clínicas da hanseníase na cidade de Anápolis-GO. Ensaios e Ciência: C. Biológicas, Agrárias e da Saúde, v. 16, n. 1, 2015. Disponível em Acesso em 07 fev.2016.

PINAFO, E. et al. Relações entre concepções e práticas de educação em saúde na visão de uma equipe de saúde da família. Trab. educ. saúde, v. 9, n. 2, p. 201-221, 2011. Disponível em

Acesso em 07 fev.2016.

SALCI, M.A. et al. Educação em saúde e suas perspectivas teóricas: algumas reflexões. Texto & contexto enferm, v. 22, n. 1, p. 224-230, 2013.Disponível emAcesso em 29 fev.2016.

SANTOS, J.A. Autoexames mamário e testicular nos rastreamentos oncológicos: uma questão de prevenção quaternária?. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, v. 10, n. 36, 2015. Disponível emAcesso em 29 fev.2016.

SILVA REIS, A. A.et al. Aspectos clínico-epidemiológicos associados ao

Câncer de pênis. Revista Ciência & Saúde Coletiva, v. 15, 2010. Disponível emAcesso em 29 fev.2016.

SILVA, S. E. D. et al. CÂNCER–UMA DOENÇA PSICOSSOCIAL: CÂNCER NO HOMEM E A HERANÇA DA CULTURA MACHISTA. Gestão e Saúde, v. 6, n. 1, p. pag. 606-616, 2014. Disponível em Acesso em 29 fev.2016.

SOUZA, K. W. et al. Estratégias de prevenção para câncer de testículo e pênis: revisão integrativa. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 45, n. 1, p. 277-282, 2011.

SOUSA, J. E. R. B. et al. Conhecimento do homem sobre a prevenção de câncer de pênis. 2014.

TEIXEIRA, M; OLIVEIRA, R.G.; ARANTES,R.F.. Mudanças nas políticas do trabalho e da educação em saúde no Governo Lula. In: Políticas de saúde no Brasil: continuidades e mudanças. Fiocruz, 2012. p. 197-225.Disponível em Acesso em 29 fev.2016.

XAVIER, E.C.L. et al. Câncer de pênis: sob a ótica da representação social de pacientes submetidos à amputação de pênis e suas implicações para o cuidado de si. Interfaces Científicas-Saúde e Ambiente, v. 3, n. 1, p. 39-46, 2014. Disponível emAcesso em 07 fev.2016.

XAVIER, C. V. J. ; HACHUL, M. Tumores urológicos no Brasil. RBM rev. bras. med,. 71, n. 11, 2014. Disponível em Acesso em 07 fev. 2016.

WANICK, F.B.F.et al. Carcinoma epidermoide do pênis: estudo clínico-patológico de 34 casos. An. bras.dermatol, v. 86, n. 6, p. 1082-1091, 2011.Disponível em . Acesso em 07 fev.2016.