DETERMINAÇÃO DA VIA DE PARTO EM GESTANTES PORTADORAS DO VÍRUS DO HPV

Nathasha Paola Barros Garcez, Vanessa Kelly da Silva Gomes, Alba Maria Bomfim de França, Lays Nogueria Miranda, Karina Brandão Menezes Lima, Maria Rita Webster de Moura

Resumo


O papilomavírus humano, também conhecido como HPV, é uma infecção de transmissão sexual e pode acometer tanto homens quanto mulheres. Durante a gestação, a mulher estaria mais facilmente exposta ao vírus devido a sua imunodepressão o que facilitaria o aparecimento e crescimento de lesões causadas pelo HPV. Este estudo trata-se de uma revisão integrativa com o objetivo de identificar quais os aspectos que estão relacionados na determinação da via de parto em gestantes portadoras do HPV de acordo com as evidências científicas. A busca dos artigos foi realizada em quatro bases de dados eletrônicas da Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), tendo como critérios de inclusão: artigos publicados nos últimos 10 anos, disponíveis na língua portuguesa e que pudessem responder a questão norteadora. Foi aplicado a classificação do nível hierárquico de evidência de Melnyk; Fineout-Overholt. As evidências científicas mostraram que não existe indicação da cesariana, exceto em casos de lesões extensas e que comprometam o canal de parto e a gestante pode escolher qual melhor via de parto para o nascimento do seu bebê. Faz-se necessário um melhor aprofundamento de estudos em relação à infecção pelo HPV durante o ciclo gravídico puerperal.


Palavras-chave


Enfermagem; HPV; Parto; Gravidez; Gestação

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de gestação de alto risco. Secretaria de Atenção à Saúde, Brasília-DF, 2012;

CAMPANER, A.; MOREIRA JÚNIOR, E.D.; VILLA, L.L. Guia do HPV. Instituto do HPV, 2013. Disponível em: http://www.incthpv.org.br Acesso em: 05/09/15;

DIÓGENES M.A.R.; BARROSO M.G.T. Experienciando a gravidez com papilomavírus humano: um estudo de caso. Revista Gaúcha de Enfermagem, 2007; 28(3): 340;

DIÓGENES M.A.R.; VARELA Z.M.V.; BARROSO G.T. Papilomavírus Humano: Repercussão na saúde da mulher no contexto familiar. Rev. Gaúcha Enferm., Porto Alegre(RS) 2006 Junho; 27(2):266;

GOMES C.M.; RADES E.; ZUGAIB M. Como devem ser tratados os condilomas genitais durante a gestação? Rev Assoc Med Bras, 2006; 52(5): 281-91;

JALIL E.M., et al. Infecção pelo papilomavírus humano durante a gravidez: o que há de novo? Ribeirão Preto (SP), 2009, vol. 37, nº. 3;

MELNYK, B.M.; FINEOUT-OVERHOLT; E. Making the case for evidence-based practice. In: MELNYK BM, FINEOUT-OVERHOLT E. Evidence-based practice in nursing & healthcare: a guide to best practice. Philadelphia: Lippincot Williams & Wilkins; 2006; 3-24. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/ape/v19n2/a01v19n2.pdf>. Acesso em: 30/09/2015;

OLIVEIRA G.R., et al. Fatores de risco e prevalência da infecção pelo HPV em pacientes de Unidades Básicas de Saúde e de um Hospital Universitário do Sul do Brasil. Rev Bras Ginecol Obstet., 2013; 35(5):226-32;

PANOBIANCO M.S., et al. O Conhecimento sobre o HPV entre adolescentes estudantes de graduação em enfermagem. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2013 Jan-Mar; 22(1): 201-7;

SOARES C.B., et al. Revisão integrativa: conceitos e métodos utilizados na enfermagem. Rev Esc Enferm USP, 2014; 48(2):335-45;

SOUZA A.S.R.; AMORIM, M.M.R.; PORTO A.M.F. Indicações de cesarianas baseadas em evidências: parte II. Rev. FEMINA, setembro 2010, vol. 38, n°. 9;

SOUZA M.T.; SILVA M.D.; CARVALHO R. Revisão Integrativa: o que é e como fazer. Einstein, 2010, p. 102-106;

STOFLER M.E.C.W.; NUNES R.D.; SCHNEIDER I.J.C. Avaliação de fatores associados às lesões HPV induzidas do colo uterino. Arquivos Catarinenses de Medicina, vol. 40, nº. 3, de 2011.