O SORRISO COMO RECURSO TERAPÊUTICO À CRIANÇA HOSPITALIZADA: LIÇÕES DOS PALHAÇOS DOUTORES DO GRUPO SORRISO DE PLANTÃO PARA UM CUIDADO HUMANIZADO

Andressa Lima Cavalcante, Daniela Sandes Valentim, Laíse Gabrielly Matias de Lima Santos, Maria Cícera dos Santos Albuquerque, Maria Rosa da Silva

Resumo


Este estudo descreve o sorriso como recurso terapêutico à criança hospitalizada ressaltando as lições dos palhaços doutores para um cuidado humanizado. Possui caráter qualitativo com uma abordagem fenomenológica baseado em Minayo (2004), tendo por objetivo identificar os sentimentos dos palhaços doutores do projeto de extensão Sorriso de Plantão, da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), após a visita e interação do grupo com as crianças hospitalizadas, bem como analisar como tal relação interfere no processo saúde-doença das mesmas, no tratamento hospitalar, adequando lições que podem ser utilizadas pelos profissionais de saúde, principalmente a Enfermagem, ressaltando a relação interpessoal, o ambiente hospitalar, como também o ambiente interno da criança e suas mudanças através das visitas proporcionadas pelos mesmos. Constatou-se que a alegria foi o sentimento preponderante e que esta pode ser estimulada por meio da interação do palhaço com a criança de forma criativa e que o riso, também, é manifestado por meio de outras expressões corporais. É muito relevante o brincar, o bom humor, o colorido e o sorriso, dentro do ambiente hospitalar possui valor inestimável, que consideramos terapêutico, por promover momentos de alegria, descontração e relaxamento.


Palavras-chave


Sorriso, crianças hospitalizadas, palhaços doutores.

Texto completo:

PDF

Referências


ESTEVES, Carla Hiolanda; ANTUNES, Conceição; CAIRES, Susana. Humanização em contexto pediátrico: o papel dos palhaços na melhoria do ambiente vivido pela criança hospitalizada. Interface – comunicação, saúde, educação, 2014.

CAIRES, Susana et al. Vantagens da presença dos doutores palhaços no contexto hospitalar: as expectativas dos profissionais de pediatria. Indagatio Didactica, vol. 5, n.2, 2013.

CAIRES, Susana et al. Palhaços de hospital como estratégia de amenização da experiência de hospitalização infantil. Psico-USF, Bragança Paulista, v. 19, n. 3, 2014.

CASTRO, Elizabeth; PERUCH, Cecília; FERREIRA, Natália. Doutores palhaços em ambiente hospitalar: O uso do riso como instrumento terapêutico. IN: SEMINÁRIO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DA REGIÃO SUL, 31, 2014, Florianópolis. Anais do 31º SEURS. Florianópolis: UFSC, 2014.

LEOPARDI. M. T. Metodologia da Pesquisa na saúde. Florianópolis, 2002.

LOWEN, Alexandre. Alegria: a entrega ao corpo e á vida. 2. ed. São Paulo: Summus, 1997.

MAGALHÃES, Freitas. A Psicologia do sorriso Humano. 1. ed. Porto, 2006.

MOTTA, Alessandra Brunoro; ENUMO, Sônia Regina Fiorim. Brincar no hospital: estratégia de enfrentamento de hospitalização infantil. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 9, n. 1, p. 19-28, 2004.

MASETTI, Morgana. Soluções de Palhaços: Transformações na realidade hospitalar. 5. ed. São Paulo: Palas Athena, 2002.

MASETTI, Morgana. Boas Misturas: a ética da alegria no contexto hospitalar. 1.ed..São Paulo:Palas Athena, 2003.

MIRANDA, Lúcio; FEDMAN, Clara. Construindo a Relação de Ajuda. 13. ed. Belo Horizonte: Crescer, 2002.

MOTA, Gabriela Maia et al. A percepção dos estudantes de graduação sobre a atuação do “doutor palhaço” em um hospital universitário. Rev Bras Promoç Saúde, v. 25, Supl. 2 2012.

SILVA, Patrícia Helena de; OMURA, Karina Michel. Utilização de risoterapia durante a hospitalização: um tema sério e eficaz. Rev Enferm UNISA, 2005.

WINNICOTT, D. W. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago, 1997.