IDOSOS, AUTOMEDICAÇÃO E O RISCO DA INTERAÇÃO MEDICAMENTOSA: UMA BREVE DISCUSSÃO A PARTIR DA LITERATURA

Evelliny Assis de Oliveira Neves, Neila Caroline Henrique da Silva, Carlos Eduardo de Oliveira Costa Junior

Resumo


A automedicação é uma prática comum na população brasileira, seguido por uma tendência mundial. Um dos riscos associado a essa atividade faz interface com a ocorrência de possíveis interações medicamentosas. A classe idosa é a faixa da população mais afetada devido às alterações nos sistemas orgânicos. Além disso, um perfil detalhado sobre a sistemática de consumo de medicamentos isentos de receita médica ainda é pouco discutida. Diante disso, o objetivo é refletir a luz da literatura sobre a ou riscos da automedicação entre os idosos. Para tanto, foi realizada um levantamento bibliográfico no período de fevereiro a junho de 2016, nos bancos de dados do Google acadêmico, revistas eletrônicas, periódicos, Scielo e na biblioteca da Faculdade Integrada de Pernambuco (FACIPE).As Palavras chaves utilizadas para a construção desse artigo foram: Automedicação, Automedicação em idosos, interação medicamentosa e farmacocinética.50 artigos foram selecionados por tema os que relatavam casos de interações medicamentosas enfocando principalmente a do tipo cinética e artigos que falavam de automedicação em idosos. Os possíveis riscos inerentes ao uso da automedicação em idosos estão e discutidos.

Palavras-chave


Automedicação. Interação medicamentosa. Farmacocinética. idosos.

Texto completo:

PDF